Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CLARÃO DE SONHOS


O mundo é um porto injusto de dores,

No clarão de sonhos que se vão assim

Diluindo o âmago dos dissabores

No triste véu das cores como um mar sem fim...



E o que há de estúpido em cada ato,

O que há de frívolo em cada breve dia,

Torna-se incongruência do que seria exato

Em cada simples lágrima, nessa noite fria...



Ah, cais perdido das parcas aparências,

Onde haverá, de fato, a mais sublime luz

Que conduz amor além das turbulências,

Além da dor humana que essa vida induz ?



Pois em cada labirinto que no mundo existe,

Pelas ruas tantas do profundo amor,

Eis que o tempo hoje passa triste,

Procurando, assim, algum sentido em cor...



E quando, apenas, vemos sombras sós

Do que seriam emoções sem calma,

Os corações naufragam, cá, em nós,

Suplicando luz ao próprio céu da alma.


----










Juliana Silva Valis
Enviado por Juliana Silva Valis em 20/10/2007
Código do texto: T702972

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Juliana Silva Valis
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 33 anos
3989 textos (886080 leituras)
4 e-livros (1867 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 08:57)
Juliana Silva Valis