Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A jovem mãe


Era uma jovem mãe que vivia quase só
em sua choupana que sugeria dó.
Com paciência quase de Jó
criava seu filho e cuidava da avó.

A vida não lhe sorria, lhe ria,
e a fome que não merecia,
só vencia
porque alguém sempre lhe valia.
Era assim que a jovem vivia.
Vivia?

Pai, não sabia se ainda tinha.
Mãe, só quando dela precisava, vinha.
Mesmo pouco sendo e tendo,
sentia-se rainha.
A comida, escassa, esbelta lhe mantinha
e seu semblante lembrava uma santinha.

Ao receber, na choupana, um ancião
que pedia comida, ou migalhas de pão,
tirou o que tinha e com devoção
entregou seu bocado para aquele irmão.
A jovem era assim, de bom coração.

Sonhava até com uma vida decente
e seus planos e tesouro guardava na mente.
Triste, pensava:
- Meu Deus será que sou gente?

Segurando seus trapos seguia em frente,
às vezes, parecendo um tanto demente...

O pequeno no colo e a avó amparando,
estando cansada seguia arrastando.
Descansando estando,
continuava trabalhando.

Em outros momentos se via rezando.
Seus dois tesouros zelava amando.

O filho crescia e em seu colo pesava,
a avó já não ouvia e também não enxergava.
Sua sina cumpria e, por vezes, lembrava
da força que vinha e que lhe amparava.

Em seus sonhos uma Luz
Explicava-lhe sua cruz:

- Alguém que hoje você bem conduz,
amanhã, sorrindo-lhe, vem e lhe reluz.
Poeta Devany
Enviado por Poeta Devany em 03/11/2005
Código do texto: T66958


Comentários

Sobre o autor
Poeta Devany
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
56 textos (3426 leituras)
3 áudios (185 audições)
1 e-livros (32 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/20 16:25)
Poeta Devany