Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PROVÉRBIOS DE SALOMÃO. CAP. 29.


Aquele que endurece a cerviz, sendo muitas vezes repreendido,
Sem que haja cura, será quebrantado de repente.
Quando os justos governam, alegra-se o povo;
Mas quando o ímpio domina, o povo geme.

O que ama a sabedoria, a seu pai alegra;
Mas o companheiro de prostitutas desperdiça a sua riqueza.
O rei pela justiça estabelece a terra;
Mas o que exige presentes a transtorna.

O homem que a seu próximo lisonjeia
Arma-lhe uma rede aos passos.
O justo canta e se regozija,
Mas na transgressão do homem mau, há laço;

O justo toma conhecimento da causa dos pobres;
Mas não tem entendimento pra a conhecer o ímpio.
Os escarnecedores abrasam a cidade;
Mas desviam a ira os sábios.

O sábio que com o insensato pleiteia,
Quer este se agaste quer se ria, não terá tréga.
Os homens sanguinários, o íntegro odeia;
Mas procuram o seu bem os retos.

O tolo derrama toda a sua ira;
Mas o sábio a aplaca e reprime.
O governador que dá atenção a palavras mentirosas,
Achará que todos os seus servos são ímpios.

Encontram-se o opressor e o pobre;
Os olhos de ambos o Senhor alumia.
Se o rei julgar os pobres com eqüidade,
Pra sempre o seu trono será estabelecido.

A criança entregue a si mesma a sua mãe envergonha.
E dão sabedoria a vara e a repreensão;
Multiplicam-se as transgressões quando os ímpios se multiplicam;
Mas os justos a queda deles verão.

Corrige a teu filho, e ele te dará descanso;
Sim, o teu coração ele deleitará.
Onde não há profecia, se corrompe o povo;
Mas o que guarda a lei, bem-aventurado será.

Não se emendará com palavras, o servo;
Porque ainda que entenda não atenderá.
Vês um homem nas suas palavras precipitado?
Do que para ele, maior esperança para o tolo há.

Aquele que delicadamente o seu servo desde a meninice, cria.
No fim tê-lo-á por herdeiro.
O homem iracundo levanta contendas,
E multiplica as transgressões o furioso.

A soberba do homem o abaterá;
Mas obterá honra o humilde de espírito.
O que é sócio do ladrão odeia a sua própria alma;
Nada denuncia sendo ajuramentado.

O receio do homem lhe arma laços;
Mas estará seguro o que no Senhor confia.
Muitos buscam do príncipe, o favor;
Mas é do Senhor que o homem recebe a justiça.
É abominação para os justos, o ímpio;
E abominação para o ímpio o que é reto no seu caminhar.
oliprest
Enviado por oliprest em 26/10/2007
Código do texto: T710498
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 67 anos
2161 textos (186277 leituras)
247 áudios (2695 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 12:13)
oliprest

Site do Escritor