Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DISCURSOS DE JÓ EM VERSOS POÉTICOS. CAP. 16.


Então, dizendo, respondeu Jó:
Tenho ouvido muitas coisas como estas;
Consoladores molestos sois todos vós.
Acaso não terão fim palavras de vento como essas?
 
Ou o que te irrita, para assim responderes?
Falaria eu também como vós falais,
Se a vossa alma em lugar da minha estivesse,
Ou amontoaria contra vós palavras,
E contra vós a minha cabeça menearia?

Antes vos fortaleceria com a minha boca,
E abrandaria a vossa dor a consolação dos meus lábios.
Se eu falar, a minha dor não cessa,
E, calando-me eu, qual é o meu alívio?

Na verdade, agora tu me tens fatigado;
Tu assolaste toda a minha companhia,
Testemunha disto é que já me fizeste enrugado,
E a minha magreza já se levanta contra mim,
E o meu rosto contra mim testifica.
 
Me despedaçou na sua ira,
E ele me perseguiu;
Rangeu os seus dentes contra mim;
Aguça os seus olhos contra mim o meu adversário.
 
Abrem contra mim a sua boca;
Com desprezo me feriram nos queixos,
E contra mim todos se ajuntam.
Entrega-me Deus ao perverso,

E nas mãos dos ímpios me faz cair.
Descansado estava eu, porém ele me quebrantou;
E pegou-me pela cerviz,
Também me pôs por seu alvo e me despedaçou.
 
Cercam-me os seus flecheiros;
Não me poupa, e atravessa-me os rins,
E o meu fel derrama sobre a terra,
Fere-me com ferimento sobre ferimento;
Como um valente arremete contra mim.
 
Cosi sobre a minha pele o cilício,
E revolvi no pó a minha cabeça.
De chorar está todo avermelhado, o meu rosto,
E há sombras escuras sob as minhas pálpebras,
Apesar de violência nas minhas mãos não haver,
E a minha oração ser pura.

Ah! terra, não cubras o meu sangue,
E para ocultar o meu clamor não haja lugar!
Eis que também agora a minha testemunha está no céu,
E nas alturas o meu testemunho está.

Os que zombam de mim são meus amigos;
E diante de Deus se desfazem em lágrimas os meus olhos.
Ah! se alguém pudesse contender com Deus pelo homem,
Como o homem pelo seu próximo!
Porque decorridos poucos anos,
Eu seguirei o caminho por onde não volto.
oliprest
Enviado por oliprest em 03/11/2007
Código do texto: T721765
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 67 anos
2161 textos (186024 leituras)
247 áudios (2694 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/17 23:17)
oliprest

Site do Escritor