Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DISCURSOS DE JÓ EM VERSOS POÉTICOS. CAP. 28.

Na verdade, há veios donde se extrai a prata,
E para o ouro lugar onde o derretem.
O ferro tira-se da terra,
E da pedra o metal se funde.

Os homens põem fim às trevas,
E até os confins exploram;
Na escuridão, as pedras,
Nas trevas mais densas.

Uma mina num túnel abrem,
Longe do lugar onde habitam.
São esquecidos pelos viajantes;
Longe dos homens, pendentes, oscilam.

A terra, donde procede o pão,
Em baixo é revolvida como por fogo.
O lugar da safira as suas pedras são,
E neles há pó de ouro.

Essa vereda a ignora a ave de rapina,
E não a viram os olhos da gralha.
Nunca filhos de animais a pisaram,
Nem o feroz leão passou por ela.

Ele estende a sua mão contra o rochedo,
E desde as suas raízes os montes revolve.
Faz sair rios dos rochedos,
E o seu olho todas as coisas preciosas, descobre.

Tapa os rios, e dele não sai nem uma gota,
Para a luz o que estava escondido, ele tira.
Mas onde está o lugar da inteligência?
E onde se achará a sabedoria?

O homem não lhe conhece o caminho;
Na terra dos viventes não se acha.
Não está em mim, diz o abismo;
E o mar: ela comigo não está.

Não se dará por ela ouro fino,
Nem a peso de prata se trocará.
Nem se pode comprar por ouro fino de Ofir,
Nem pelo precioso ônix, nem pela safira.

Com ela se não pode adquirir o ouro ou o cristal;
Nem se trocará por jóia de ouro fino.
Ela faz esquecer as pérolas e o coral;
Pois a sabedoria é melhor que os rubis.

Não se lhe igualará o topázio da Etiópia,
Nem por ouro puro se pode comprar.
Donde, pois, vem a sabedoria?
E o lugar do entendimento, onde está?

Porque está oculta aos olhos dos viventes,
E está às aves do céu oculta.
A perdição e a morte respondem:
Ouvimos com os nossos ouvidos a sua fama.

O seu caminho Deus entende,
E Ele sabe onde ela está.
Porque Ele vê as extremidades da terra,
E tudo o que debaixo dos céus há.

Quando Ele peso ao vento deu,
E a medida das águas tomou.
Quando uma lei para a chuva prescreveu,
E caminho para o relâmpago dos trovões, formou,

Então a viu e a manifestou;
Estabeleceu-a e também a esquadrinhou.
E disse ao homem: apartar-se do mal, é o entendimento,
E a sabedoria é o temor do Senhor.
oliprest
Enviado por oliprest em 08/11/2007
Reeditado em 10/11/2007
Código do texto: T728711
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 67 anos
2161 textos (186043 leituras)
247 áudios (2694 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 09:58)
oliprest

Site do Escritor