Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Seção Matinal

Manhã vazia sem emoção
E com a força da impulsão
Fui atirado para um vago lugar,
O aperto do assento juntava-se
Com o do meu coração,
E a minha companhia saudou-me
Com um bom dia e um aperto de mão.

No compasso da espera o auto lotou
E com o barulho do motor e o arranhar
Da mudança o motorista acelerou,
Seguíamos sem percalços na curta estrada,
Janela aberta por onde soprava o vento
Aliviando o cheiro do fumo da combustão.

A viagem era recheada de curiosidades,
E em cada palmo da estrada aumentavam
Os meus sentimentos com a transmissão
Da mente ao meu coração,
Meus olhos transformavam em película
O cenário real, que de minha poltrona
Assistia tudo o que se passava na velocidade!

Sem passadeira o transporte trava na sensibilidade
Em obediência a um grupo de elegantes
Mulheres, que confiantes cruzam a nossa frente
Exibindo os seus lindos panos estampados,
As costas seus filhos enrodilhados contracenam
Com os alguidares equilibrados em suas cabeças,
E em busca do pão caminham orgulhosas
Mãe filhos e negócios!
Empolgado neste cenário cultural, não dei conta,
E lá estava a porta do meu destino, pensando
Em ter dormido, acordei diante da realidade.
Ulisses Maia
Enviado por Ulisses Maia em 01/08/2007
Código do texto: T588368


Comentários

Sobre o autor
Ulisses Maia
Luanda - Luanda - Angola, 58 anos
903 textos (80431 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/05/21 14:27)
Ulisses Maia