Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Aquiliano


Pesa em mim um sapo de balança.
Equilibrado suavemente nos meus ombros...
Em balanços desajeitados,
A bonança.

Enxoto-o rapidamente,
Com sopros.



O seu olhar,
Profundo,
Humilde.
Invade as entranhas do meu ser.
Absorto permanece.
As estrelas amiúde...

Guachos cantantes no entardecer.



Fogo claro,
Trelo de brilhantismo.
Afugentado na esquina,
De terno.
Mudo,
Saboreia de novo o feiticismo.

Lambe,
Empapuça de idéias numa cisterna.



Parece uma pressa.
Fácil,
Besta.
Caminhando em pulos para ser engolida...
Fascinante teia de noite de sexta.

Mercenário inseto de vida...
Alcebíades Segundo
Enviado por Alcebíades Segundo em 01/02/2007
Código do texto: T366454


Comentários

Sobre o autor
Alcebíades Segundo
Guanambi - Bahia - Brasil, 41 anos
164 textos (9681 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/20 00:24)
Alcebíades Segundo