Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Neurônios Rebeldes

Seus cadeados serrei na lima
Cadeias caem com minha rima
Ouço som dos grilhões no chão
Escravo da minha mente não

Quero ser ave, Jandaia, ter asas pra voar
Se for pra ficar na Terra, enraízo igual Baobá
Tempo que me leva vida, missão que intensifica
Fortaleça sua mente, simplifica, é o rap, fica dica

Se precisar elevar, orações, incensos, um chá
Beba tranquilo no quintal, lendo um livro ou jornal
Tempo, retorno e avanço com a ponta da caneta
Que inflama feito uma nave ao entrar ou sair do planeta

Passa na lua que ilumina a rua e nós que andamos nela
Milianos conectando, representando a favela
A dor e a delícia, sagrado, profano
Diploma do filho da empregada que deu a vida trampando

Arte sincera e sociedade espaço disputando
Várias faixa etária identificando com o que tão escutando
Adrenalina quando lembro que é nois memo orquestrando
Pra desocupado tenho uma responsabilidade e tanto

Luz de quebra, vim das ruas de Ribeirão Preto
A vida que Deus me deu agradeço, sou filho do gueto.
WellingtonRS
Enviado por WellingtonRS em 22/01/2018
Reeditado em 23/05/2018
Código do texto: T6233062
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
WellingtonRS
Cravinhos - São Paulo - Brasil
18 textos (392 leituras)
1 e-livros (7 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/20 14:39)
WellingtonRS