Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma saudade a mais

               Quanta tristeza neste fim de tarde!... Tarde primaveril, em que o perfume que evola das flores silvestres e do nosso jardim, cá na península norte, se espalha no vasto espaço vazio, onde se ouvem ainda as modulações sonoras dos derradeiros trinados dos pássaros que se recolhem a seus ninhos, enquanto o sol reclina sobre nuvens cor-de-rosa, lindas de morrer, e as primeiras estrelas tremeluzem, ainda pálidas, ante a incidência dos últimos raios solares.
               Todavia, em meio a tanta beleza, capaz de tocar e enternecer a mais insensível das criaturas humanas, uma tristeza imensa se ergue e se abate, implacavelmente, sobre nós. É que China – nossa pequinês – morreu neste fim de tarde... E, por uma ironia da sorte, ela que durante dez anos, buscou sempre o nosso convívio, distribuindo humildemente, amor e muito carinho, morreu sozinha em uma dependência de nossa casa, sem o nosso afeto e as atenções e cuidados que a ela dispensaríamos.
               Assim, o dia seis de outubro não a encontrará pela manhã, como de costume, a ladrar pela área de serviço, alegre e festiva, a saltar sobre nós, lambendo-nos as mãos ou procurando deitar-se, humildemente, sobre nossos pés.
               Em seu lugar, o silêncio... E, em nossa alma, uma saudade a mais, daquelas que o tempo pode esmaecer ou ofuscar, mas, apagar, nunca...

 Escrita em Outubro de 1973.
Antonio Lycério Pompeo de Barros
Enviado por Antonio Lycério Pompeo de Barros em 20/11/2008
Código do texto: T1293184
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Antonio Lycério Pompeo de Barros
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 98 anos
177 textos (6750 leituras)
22 áudios (295 audições)
32 e-livros (1571 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/04/21 22:26)
Antonio Lycério Pompeo de Barros