Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O homem que sabe!...


Comentário em torno de uma fotografia publicada na AABB-Rio, em fevereiro de1953.


          Aquele velho, vergado ao peso dos anos, trazendo a alvura da neve na cabeça e a marca dos desenganos nos sulcos de seu rosto macerado, sorri...E o seu sorriso, irônico e frio! Sorriso de quem sabe, de quem conhece a vida de perto; de quem chega ao fim, tropegamente, arrastando consigo desfeitos sonhos, mortas ilusões; sorriso que ele dirige aos afoitos, aos que se agitam, num desperdício pueril de energias, como a adverti-los: - devagar amigos! Cuidado! A caminhada é dura e cheia de incerteza! Não sonhe tanto!...
Aquele sorriso indiferente e frio oculta em si as cinzas de um passado longo e a certeza do fim que se aproxima.
          Os vincos que marcam seu rosto massacrado pelos desenganos, escondem em suas dobras um mundo de tragédias, decepções, mortas esperanças, sonhos desfeitos e uns poucos momentos de felicidade e enlevo...
          Acreditou, demais, no amor e na bondade humana... E, quando em paga, recebeu a ingratidão, o abandono, a incompreensão e o ódio, sofreu demais, quis reagir, lutar desesperadamente, desprezar e odiar, também, a humanidade toda...Mas, já não tinha forças nem mesmo para odiar ou desprezar alguém...
          Descrido, indiferente a tudo e a todos, ele – o homem que sabe -; que sabe, mas que não fala, que nada diz a ninguém, sorri... Apenas sorri...



                                                                     Setembro de 1955.
Antonio Lycério Pompeo de Barros
Enviado por Antonio Lycério Pompeo de Barros em 24/11/2008
Código do texto: T1300068
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Antonio Lycério Pompeo de Barros
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 98 anos
177 textos (6750 leituras)
22 áudios (295 audições)
32 e-livros (1571 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/04/21 18:59)
Antonio Lycério Pompeo de Barros