Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ORGIA NO PLENÁRIO

Evaldo da Veiga


Amalucou só um tantinho,
em breve momento,
e logo queria outra cena em outro cenário,
e um novo orçamento.
Tentou tirar a calcinha pela cabeça,
até que lembrou que tinha pernas e deputados,
e repórteres de olho no momento.

Desatinou de vez,
mas também por breve instante,
até ser informada, que ainda
naquele ano,  haveria novas eleições ,
no mesmo clima de Deputação,
safadeza  e suas manobras de sempre...

Não percebeu que tinha platéia,
e de tão excitada tentou, várias vezes,
com insucessos repetidos,
vestir a calcinha logo na borda da sessão.

Nem percebeu que gente olhava
torcendo por um resultado bem positivo,
de um DNA descomprometido,
da Câmara ou do Senado,
"do não sei " do "não vi" e do "fico calado",
e sim, Xadrez nela,  Delegado.

Viu falecer suas ambições
quando o homem do rabecão levou papéis,
computador e votos, lá pra onde não tem
endereço, e se perdeu na confusão 
sem seu nome no listão.

Ninguém vai querer o seu lugar
sairá da folha de pagamento e do mensalão,
e vai curtir um balneário de areia,
Urubus vigiando,
saudade e solidão, aguardando a chegada,
de uma improvável  eleição (???).

www.recantodasletras.com.br/autores/evaldodaveiga

evaldodaveiga@Yahoo.com.br
Evaldo da Veiga
Enviado por Evaldo da Veiga em 28/05/2006
Reeditado em 14/05/2007
Código do texto: T164753


Comentários

Sobre o autor
Evaldo da Veiga
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 78 anos
952 textos (317401 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/03/21 03:43)
Evaldo da Veiga