Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desejos.

A beira d’água cintila, meus humildes desejos.
Argento oscila meus simples desejos.
Espuma que embriagas meus humildes desejos
Em abstrata e fascinante, paz da solidão!
Cai, gemes, cantas ao fundo da cascata
De minha carne dolorida!
Aos teus desejos vou, batendo asas a irrealidade...
Sentimental e curioso, aroma de meus simples desejos
Vestindo a trama rara, de coisas irreais!
Pedaços de mim ao meu próprio fel
Vivos em nossos próprios seres!
És requinto em ser cruel... És requinto em nossos simples desejos...
Ao meu olhar cansado repousais!
Rude canseira, de nossos simples desejos.
Um sorriso aveludado suaviza nossos simples desejos.
Enfim, nos céus dir-se-ia, o fim de meus humildes desejos.
Na ausência magoada, recomponho meus lindos sonhos.
Em novos e sublimes desejos!


Fernando A. Troncoso Rocha.
Fernando Troncoso
Enviado por Fernando Troncoso em 11/03/2007
Reeditado em 11/03/2007
Código do texto: T408545


Comentários

Sobre o autor
Fernando Troncoso
Praia Grande - São Paulo - Brasil
243 textos (5791 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/09/20 03:52)
Fernando Troncoso