Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O TEMPO...

TARDE DEMAIS?

Eu me houvera
cansado de viver.
Enfadava-me a mesmice dos dias
contada pelo calendário
dependurado na parede
da sala de estar..
Abortei meus planos
na barriga dos anos,
eternizei a indiferença
sobre o sol e o luar.
Antes, rigoroso sentimela,
adotei a descrença.
Abri portas e janelas
pra fazer o tempo passar
mas o tempo nem percebia,
vivia amuado pelos cantos das tardes
espichando os dias.
porém, numa tarde de maio,
antes do sol se pôr,
quando dei por mim
dei com uma nova flor
no meu jardim.

Eu nem sabia que flor era aquela,
mas fiz-lhe uma poesia
e me encantei com ela.
Fiquei seu fã
e a cada manhã,
antes do sol nascer,
eu abria a janela a lhe dizer:
_ Bom dia, minha flor
a vida agora é bela!
Foi quando o tempo
inventou de correr.
Fechei janela, tranquei a porta...
Tudo em vão,
ele não se importa
com a minha aflição.
Ah, minha flor linda...
Quanto tempo ainda
vou aspirar o este perfume
que sustenta a minha felicidade
traduzida em nossos momentos
de amizade?,
silasol
Enviado por silasol em 08/12/2015
Código do texto: T5474204
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (CITE O NOME DO AUTOR E LINK PARA A OBRA ORIGINAL). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
silasol
Sabará - Minas Gerais - Brasil, 67 anos
662 textos (80363 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/06/19 12:16)
silasol