Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cinzas do tempo.

O sono me encara de frente
Minha mente resiste
Encarcerada em meu calvário.

Ecoa a angústia
Em tudo que penso
No diverso horizonte que imagino.

Ah! Olvido imperturbável...
Estás sempre dentro de mim.
Vozes dos mortais, em cenas reais
Que se afeiçoam aos pedaços
Penetrando em nosso ser.

Turva e escurece meu gozo
Neste suave lampejo.
Quebranto desta alma perdida
Esquálida que me ilumina.

Ai de mim, na consumação héctica
Ardente de febre, na loucura da insônia
Mortificada, como poeta da amargura.


Fernando A. Troncoso Rocha.
Fernando Troncoso
Enviado por Fernando Troncoso em 14/09/2007
Reeditado em 12/10/2007
Código do texto: T651669

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Fernando A. Troncoso Rocha). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fernando Troncoso
Praia Grande - São Paulo - Brasil
243 textos (4776 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 20:14)
Fernando Troncoso