Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

EU E MEU SÓ

Estou só, quer dizer, tenho ódio e medo do amor que está a caminho, um rosto e uma voz que desconheço.
A mulher é o copo que recebe o meu veneno, o meu conteúdo de amor. Não é por isso que tenho medo, o que me arrepia de terror é este amor invisível e brutal como um  príncipe.
Homem livre? – estremeço.
Que faço agora da minha liberdade?
Que faço deste amor informe como a nuvem e pesado como a pedra?
Que faço se este amor me esvazia e remove a cor e o sentido das coisas como ácido?
Sinto o terror de amar, e agora, como fera enjaulada, sinto-me selvagem. Selvagem não na voluntariedade do sexo, mas neste amor profundo e incontrolável como a loucura.
Novamente estou só, sem amor, sem ninguém... exatamente como espelho que espera      o retorno da imagem humana, o amor sem rosto e sem voz está a caminho.
Que faço?
Onde fugir?
Como provar que antes de ser canalha, vagabundo, anjo, companheiro, amigo...
Como provar que antes e depois de todos esses predicados que me dão eu sou único e  simplesmente homem?
Como???
Luiz Carlos Rodrigues dos Santos
Enviado por Luiz Carlos Rodrigues dos Santos em 19/09/2007
Reeditado em 07/10/2007
Código do texto: T658868
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luiz Carlos Rodrigues dos Santos
São Paulo - São Paulo - Brasil
1101 textos (224293 leituras)
40 áudios (76883 audições)
39 e-livros (4243 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 15:30)
Luiz Carlos Rodrigues dos Santos