Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Diria, que uma poesia apaixonada

Dos oceanos que navego tuas delícias e mergulho meus desejos;
Sou o sal e o sol na tua pele.
E emerjo meus orgasmos nas enseadas de teu prazer.
E me dou ilhas e bancos de corais na tua cintura.
Às vezes passo feito tempestade e balanço embarcações:
Em festa, sou arco íris sobre teus seios lindos.
Tantas aragens soltas no teu hálito, pousando meus beijos!
E tantas superfícies do meu eu, quando mergulho em ti, fazendo amor.

Na alvura dos areais, encosto maré cheia de carícias na beleza de tua pele. Enlaço canções na poesia de teus cabelos;
E teu sorriso, pinta estrelas para recitá-las.
Encarcerado em teu abraço, oriento-me pelo farol de felicidade na orla de teu olhar; De tantos sabores que deixas em mim: Manjares de tuas quenturas e fatias de luares saciam-me.
Lambuzam e desnudam-me inteiramente para vestir-me de ti.

Cais em que ancoro navios de sonhos e desembarco realidade plena, é teu infinito mágico: Esses milímetros, que se estendem da sola dos pés ao alto da cabeça; E essas milhas, dos poros ao mais recôndito da essência mais linda que existe. Amo-te.

Takinho
Enviado por Takinho em 14/02/2020
Código do texto: T6866387
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Takinho
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 42 anos
283 textos (102830 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/02/20 04:27)
Takinho