Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Selfie

Natal passou
Noite, almoço em família
Um dia em harmonia
Mente que se lança
Busca palavras
Que descreva esse dia
Nascimento de Jesus na Galileia
A milhares de anos
Ao Amor celebra...
Então lá vai idéia
Mente que se queima
A fumaça vira rimas
Aventura, adrenalina
Os versos o modela
Então
Vem vista minha pele
Na batida do meu coração
Veja com meus olhos
Pense em caridade em igualdade
Companheiro amigo
Nada mais envelhece
Mais momentos como esse
Aonde o vazio se preenche
De compreensão, aonde o demais
Rejuvenesce, em cada frase
Nasce sem crises
Vive não apenas sobrevive
Entenda o que não se entende
O sentindo pra hoje.

Se projeta no futuro
Tenta modificar o passado
Um fantasma no presente
Qua nada se faz, tempo que se perde
Muita teoria
Na prática a ação ficou no ontem
Aonde se esquece
Então assim passa se dias
Não nota, que apenas adia
O inevitável pra sua libertação e alegria
Aonde nada mais importa
Apenas agradeça
Essa oportunidade Divina.
Amor, coisa que não se vê
É como o vento
Vc sente ou não sente
Tbm não o vê, mas vê os seus feitos
O balanço das árvores
A cortina da sala
Que parece que vai pular a janela
Com o vento que sopra
Mas não é sobre o vento, essa poesia
Sim ao Amor, que me alimenta
Me leva pra luta de cada dia
Me orienta ao caminho
Guia meus pés, na jornada da Vida
Sem vacilar, fui acelerado
Como tanque, derrubei os empecilhos
Pra chegar do outro lado
E encontrar o egoísmo.
Pouca coisa compatível
O suficiente pra iludir meus sonhos
Decepcionante, me frustrei
Ao contrário do Amor
Me odiei
Caminhei ao contrário
Andei pra trás, sem medo
Entorpecido os sentidos
Sorri bêbado
Com o tempo o vento levou monstros
Me devolveu sentimentos
E tudo ficou mais calmo
Aonde na força da natureza
Me devolveu a razão
O verdadeiro brilho
O Amor nunca ficou por último
Sobrevivendo para o próximo dia
Ouço meu destino,
sem preocupação sorrio,
Na cautela dos passos
Aonde no muro da Vida
Picho meu dialeto.

Entre sentimentos
O sentimos, vc, o quê preza?
Segue a qual conceito?
Estamos em Meio a uma doença
E muitos indo a compras
Pra demonstrar
Em presente material, seu Amor
O carinho pelo próximo,
Pra ajudar a economia
Um lucro extra, pois o vírus quem não mata traz a falência
Na renda da família
Certo ou errado
Quem irá julgar será a doença
Passar fome, no país da agricultura
É muita ironia
Disseram em mudanças
Mas ainda contínua
Quem tem desfruta
Quem não tem sonha
Não pode sair de casa?
O confinamento não deixa?
A criatividade ajuda
A inspiração é a Vida
Aonde há consciência há esperança
Não se lamente, busque a diferença
E não apenas uma felicidade
Retratada em fotos, selfies
Vazio interiores
Pra quem se ilude e aprecia.
Alessandro M P O F
Enviado por Alessandro M P O F em 27/12/2020
Código do texto: T7145504
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Alessandro M P O F
São Paulo - São Paulo - Brasil, 39 anos
341 textos (2305 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/04/21 00:05)
Alessandro M P O F