Súplica

Tantas vezes pedi me deixa,

Não guardarei nenhuma queixa.

Tantas vezes pedi vai embora

É chegada a sua hora, agora.

Voltaste tanto, tanto para aplacar,

Para calentar meu pranto.

Mas eu suplicava vai embora.

Se não podes ficar não volta.

Mas você voltava sempre, sempre.

A saudade essa danada dominava a gente.

Você continou voltando, eu poço cedente

A aceitar as migalhas do amor subserviente.

Um dia me vesti de Fênix a guerrear

Com os meus monstros, a salvar-me

dos teus encantos, a enganar minha mente.