Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
tardes

Efêmeras tardes vazias;
O dado, o acaso,
cheiro de mar,
Turbinas à jato cospem vento;
aviões passam pela cabeça intrépida;
Estremecem os pensamentos;
cabeças aéreas, mocidade feérica;
Cérebro seccionados,
Ei-lo trancafiado numa redoma;
sem horizontes, nem pontes;
sem portas e nem janelas;
sem passarela,
a olhar pela única janela - o mar;
o mar que foi seu um dia,
a areia que lhe foi íntima,
o céu que de tanto azul cansava a vista;
E hoje alí, numa poltrona jogado ao canto,
A esperar o porvir;
a sorrir de si mesmo;
a falar sem ter quem lhe ouça;
a dormir sem sonhos;
a acordar sem esperança;
sem saber qual o sentido de sua existência;
FOKER
Enviado por FOKER em 01/12/2007
Reeditado em 14/06/2014
Código do texto: T761031
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FOKER
Palmas - Tocantins - Brasil
692 textos (25294 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 03:02)
FOKER