Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Risco

Tenho em mim o desejo de desvendar os mistérios da humanidade.  Retirar todas as máscaras que escondem e fingem proteger as pessoas umas das outras.
Sou condenado por expor o que sinto;
Sou traído por minha própria franqueza, mas não desisto.
Continuo me transparecendo em sentimentos, intenções e desejos.
Seria muito covarde e simplesmente impossível reter essa fonte incessante de afeto e carinho e amor e saudade e esperança que trago em meu peito.
Externo todo o sentimento contido para mais tarde não me tornar uma caldeira purgadora de arrependimentos e frustrações.
Me ofereço inteiro, nu e cristalino, pois é assim que vivo.
De outra maneira, eu não seria exatamente Eu.
A vida está aí para isso:
Tentar, tentar e tentar.
Tenho pena de quem desiste na primeira encruzilhada, no primeiro “talvez” e prefere adotar o “não” como uma bela máscara que o impeça de sofrer.  Sofrimento maior é de quem sucumbe ao medo e fica estagnado, pára no tempo e, o que é inevitável, perde a sua identidade.
Por mais que me arrisque, por mais que mergulhe nas possibilidades, ainda assim continuo tentando, até achar o que realmente aspiro, que não sei onde está, mas certamente saberei o que é, quando o for.
Como diz a “poeta”:  Quem sabe o que procura, compreende o que encontra.” *
*Frase de Elisa Lucinda

José Abbade, in BAGAGEM DE MÃO - poesia em verso e prosa,
Editora CEPA, Salvador, 2007

José Abbade
Enviado por José Abbade em 13/01/2006
Reeditado em 26/01/2008
Código do texto: T98149


Comentários

Sobre o autor
José Abbade
Salvador - Bahia - Brasil, 45 anos
16 textos (619 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/09/20 11:45)
José Abbade