Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A L Á G R I M A - Presente de Deus

Gotas, de líquido salgado, límpido, transparente, que transbordam pelos olhos afora, toda vez que as “convocamos”, premidos por  circunstâncias que afetam o nosso lado sentimental : pela dor, pela tristeza, pela decepção, pela injustiça, pelo sonho desmoronado, pela felicidade não alcançada ; apesar dos grandes esforços; como, também, pelos momentos felizes, pelos momentos de alegria e, principalmente, nos momentos de nossa intimidade com Deus. Ao ingressar no mundo, ao nascer uma criança, dali para a frente, para os pais,  tornar-se-á a maior razão das satisfações e contentamentos. Aquela criança constituir-se-á  a maior causa das suas existências. Aquela criança “roubar-lhes-á” , a partir daquele instante, todo egoísmo, todo o amor próprio, que normalmente o ser humano carrega consigo, enquanto não se transforma em um pai ou uma mãe.

O jeito mesmo é derramar lágrimas de alegria, por terem gerado aquele lindo fruto do seu amor. Quantos dias e quantas noites de angústias, de desesperos de aflições , passam esses pais, durante o crescimento do rebento. Ao ser o mesmo acometido de qualquer enfermidade, por insignificante que seja. Quantas lágrimas  de dor partilhadas entre ambos; de sentimento humano, de  sentimento pela dor física, que imaginam estar sofrendo aquele pequenino ser, aquele filhinho ou filhinha querida. Passam-se os anos. A cada vitória obtida frente a muitas pelejas, causadas pelos imprevistos que a vida oferece a todos nós, sem exceção e, também, àquele filho ou filha, novas lágrimas são derramadas, agora, lágrimas de satisfação, de reconhecimento e agradecimento a Deus, pela conquista e conservação do pequenino(a)

Porém, não fica aí. Até a adolescência , tudo é riso e, afora as lágrimas de apreensão e expectavivas.`as vezes,  a maioria das lágrimas derramadas são de alegria, satisfação e contentamento. Mas... um dia,. aquele filho querido, aquele por quem os pais deram o máximo de sua vida, termina o seu período de adolescência e quase ao atingir  a maioridade, começa a colocar as “manguinhas” de fora, dando lhes as primeiras decepções que os fazem chorar as primeiras lágrimas de  “sentimento”, as mais duras, as mais dolorosas. Envereda por caminhos suspeitos, adquire péssimos costumes, não ouve mais aqueles que tanto os ama. Vêm, então, as lágrimas da decepção, da sensação de fracasso;da extrema limitação e impotência, ante a luta desigual e inglória que, um dia há 14,15,16, 17 anos atrás  começaram, sempre procurando fazer com que aquela semente, fruto do amor dos dois, se desenvolvesse, crescesse e se tornasse um grande homem, uma grande mulher; uma pessoa honesta, trabalhadora e honrada, que os mantivessem felizes e alegres.

A família brasileira e, de muitos outros países, vêm experimentando esses tipos de problemas,. gradativamente, no decorrer dos anos 60 para cá, após a chegada da televisão no Brasil. No começo, nas grandes metrópoles  e, depois, nas maiores cidades de cada estado e, hoje, sem exceção, em todas as cidades do país, pequenas , médias ou grandes, com ou sem recursos. Por mais humilde que seja  a casa, lá em cima dos telhados deparamos com uma antena, pronta a captar os sinais que se transformam na tela , em mensagens positivas (-) ou negativas(+). Que vão influir de maneira muitas  vezes chocantes , nos usos e costumes do nosso povo. Atualmente, muitos pais sentem na carne esses problemas que passaram a fazer parte integrante no dia-a-dia das famílias.
Muitos pais, às vezes, contribuem indiretamente na continuação do caminho trilhado pelo filho. Confiam tanto nele que, quando alguém amigo procura lhes abrir os olhos, dizendo-lhes que o seu filho fez isto ou aquilo, revoltam-se e cortam  relações imediatamente com o mesmo, dizendo que jamais o seu filho agiria desta ou daquela forma. que falaram. Colocam tapa olhos e, ficam com as explicações do filho, simplesmente. Até que um dia, não mais conseguem acreditar no filho e mudam a história : - “os filhos dos outros é que são os responsáveis pelo desencaminhamento do seu filho.”( E, os pais dos companheiros dizem o mesmo). Nesta altura dos acontecimentos, novas e, muitas lágrimas são derramadas. Lágrimas de sangue, choradas com o coração já em pedaços. Nem é para menos, pois, intimamente, aquela criatura destrói  todo o sonho,. sonhado com tanto amor.

Pais, amem muito os seus filhos; dêem a vida por eles mas...”Lembrem-se sempre que, o ser humano é falível, e, que não são só os filhos dos outros que erram, os nossos também podem errar. Podemos criá-los com muito amor mas nunca sem os devidos limites. Não podemos viver amarrados a eles o tempo todo. Por isso, nunca deixem de falar para eles sobre as Coisas do Alto, sobre as Coisas de Deus e, procurem sempre, viver tudo o que proclamam, tudo o que falam, para não decepcioná-los , para que sempre acreditem nas suas palavras e nos seus exemplos, tomando-os como modelos verdadeiros para a sua vida.

Bene -  (BGJ)  - 19/05/2011 -  “ DEUS É BOM !!! – DEUS É FIEL !!!-

Bene
Enviado por Bene em 25/09/2007
Reeditado em 19/05/2011
Código do texto: T667332

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Bene
Curitiba - Paraná - Brasil, 86 anos
481 textos (276445 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 03:28)