Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

o desabafo de uma professora

       Era uma sexta-feira, último dia de trabalho de uma semana estressante. A professora acorda 4h:30m para sair 5h e 40m de casa, para não perder o ônibus de 5h e 55m, ou chegaria atrasada para às aulas que iniciam às 7hs.
          Antes tem que colocar ração para suas 2 cachorras, água para que não fiquem com sede. Também é necessário trocar a água do aquário e alimentar seus peixinhos. Inclusive existe outro aquário solitário para um beta macho.
            Faz seu café, após sua higienização, alimenta-se, olha para o tempo e vê a melhor roupa que adequa-se ao tempo, já que em São Paulo o tempo muda  num piscar de olhos de calor para frio ou chuvoso, sendo assim não custa prevenir.
           Assim inicia-se sua sexta-feira com responsabilidades, olhando constantemente ao relógio para que não se atrase, já que esse ônibus é demorado e como já relatado, tem um horário específico para passar.
           Logo chega na escola, agradecendo a Deus por mais um dia de vida, pelo trabalho e por suas dificuldades que a faz não desistir de viver.
          Encontra um aluno no caminho que lhe diz: Bom dia professora, você merece meu respeito. Ela agradece com um sorriso e acelera os passos para cumprir seu horário.
         Chegando oferece sua educação aos funcionários, afinal de contas todo o processo é realizado pelo coletivo, a educação é p mínimo que devemos ter para um bom andamento profissional.
          Então faça o que tem que ser feito e terás um dia produtivo.
          Bate o sinal, cada professor pega seu material, incluindo giz e apagador. Na sala de aula um "Bom dia classe", inicia-se a chamada: número um... presente...número dois...faltou... número quatro ...mudou de escola, número cinco está no banheiro... número 54... oi professora sou aluno novo, meu nome é Thiago com H. Eu fui convidado a sair da outra escola.
          - Como assim? pergunta a professora espantada, você foi expulso?
           - Sim eu chutei a porta da sala de aula por fora e atingiu a professora por dentro, o óculos dela trincou na hora e ela foi para o hospital, mas não se preocupe ela não ficou cega não.
            A professora engole em seco e anota o nome do aluno no diário e inicia sua aula atenta aos detalhes de comportamento deste e demais alunos.
           Pergunta quem leu o livro proposto de Hans Ruesch " No País das sombras longas", mas infelizmente não houve uma resposta afirmativa.
           Alguém bate na porta, é a diretora, pede para dar um recado, permissão concedida.
           - Quantos alunos trouxeram o dinheiro para a excursão do Hopi Hari?
           Fez-se fila para o pagamento, demorou tanto que bateu o sinal e a professora saiu descontente para a outra sala.
           Nesta sala tinha seminários para serem apresentados e tinha esperança que houvesse a participação devida entre eles, porém responsabilidade, zero.
           Iniciou-se então um desafio ao professor, superar toda a sua angústia e elaborar outra aula imediatamente.
            Escreveu na lousa o que era pesquisa de campo, pesquisa de satisfação, pesquisa política, pesquisa social, mercadológica, pesquisa qualitativa e pesquisa quantitativa.
            Explicou e pediu que eles fizessem dois questionários com 10 perguntas, contendo perguntas com alternativas, escala e perguntas abertas. O Tema : Como melhorar a educação?
             Um questionário para alunos e outro para professores.
             Uma aluna veio tirar uma dúvida após ter elaborado o questionário para entrevistar alunos.
              Foi lido o todo e uma pergunta em si deixou a professora preocupada. Questionou à aluna para explicar por qual motivo achou interessante comentar sobre colocar câmeras de segurança na escola, sendo essa pergunta para dicentes.
               Logo ouve a explicação mais chocante de todos os tempos e de todas experiências que já teve em escolas.
              - Professora a senhora é nova aqui e não sabe do pior problema desta Escola, aqui o caseiro (zelador) da escola que é concursado, é traficante neste bairro.
              Imagina a reação da professora...
              Noutra sala vê alunos chorando com depressão e fica sabendo de uns que estão se cortando ...
              Pai do Céu dê forças a essa professora e sabedoria para cada situação! Eis um grande desabafo.




ps: foram citados exemplos reais acontecidos em escolas diferentes e em momentos diferentes.

CIDA MOURA
Enviado por CIDA MOURA em 02/09/2019
Reeditado em 02/09/2019
Código do texto: T6735077
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
CIDA MOURA
São Paulo - São Paulo - Brasil
2394 textos (133467 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/01/20 13:48)
CIDA MOURA