Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como fazer uma redação nota dez

               Redação Não é Como Uma Hidra De Lerna
                  Como fazer uma redação nota dez
                                                            Por Paulo Siuves

Antes de começar um texto, quase sempre surgem os temores acerca da capacidade pessoal para desenvolver uma boa redação. É normal que se pegue com papel e caneta na mão buscando as ideias que serão a base do seu texto sem que alguma coisa venha como inspiração. Para algumas pessoas, isso é sinônimo de trevas. Mas, acredite, escrever não é como uma Hidra de Lerna, isto é, você vai começar escrever e a solução para a redação vai surgir. Você precisa treinar, e isso é possível com algum esforço, é como começar um treino numa academia; no início é cansativo, mas depois você vai sentir falta dos hormônios que causam bem-estar e você vai querer ir para a academia se exercitar todos os dias. Com a escrita também é assim, a sensação de escrever um texto bacana é tão boa que a gente começa a desejar oportunidades para escrever.

No caso de concursos, não é necessário escrever um texto literário digno de uma premiação da Academia Brasileira de Letras, basta saber o que a banca examinadora vai cobrar na hora da correção, o concorrente que se manter dentro dos paramentos, vai se sair bem. O problema é saber: quais são esses parâmetros? Vamos falar sobre isso, tomando por base o tipo textual mais cobrado pelos concursos Brasil afora, o que facilita muito, vamos falar do texto dissertativo argumentativo.

A primeira coisa a lembrar é de dividir o texto em três ou quatro partes. Se escolher dividir em três partes, sua redação vai ter; introdução, desenvolvimento e conclusão. Se você dominar o assunto (e tiver certeza disso) poderá fazer uma redação com quatro partes, desse modo, ela terá as três partes que eu disse antes e a segunda parte será dividia em tese e antítese. É mais difícil, porém pode garantir uns pontos a mais, afinal, todo examinador aprecia uma redação elaborada com mais ousadia. É como encontrar um diamante caro lapidado por um artesão renomado. Mas, apesar dessa ousadia parecer ser bem vista, ela não é necessária. Tenha em mente que quase sempre “menos é mais”, quanto menos palavroso for sua produção textual, mais adequado e objetivo você será; quanto mais simples menos chance de perder tempo com algo que não vai te beneficiar. Então uma redação de três partes é o suficiente para alcançar boa nota.

COMO REDIGIR CADA UMA DESSAS PARTES?

Interpretação

Comece anotando as ideias principais do texto base, marque as palavras chaves, que são aquelas que revelam algo do texto naquele parágrafo. Isso é importante. Durante a escrita, é comum lembrar-se de alguma parte do texto que vale a pena ser citada, se não tiver sido marcada, acarretará perda de tempo relendo praticamente o texto todo para encontrar aquela frase, ou uma palavra. Então, não tenha receio, marque o texto todo, mas não ignore essa dica. As palavras chaves são aquelas que te ajudarão no próximo passo. Pense no texto base analisando algumas perguntas que poderão ser feitas para elaborar qualquer redação.

Introdução

Para escrever a sua introdução, pergunte-se: sobre o que o texto está falando? O que eu entendi sobre o assunto? Essas duas perguntas bastam para que uma boa introdução seja escrita. Dessa forma, a estrutura da primeira parte surgirá clara como um céu sem nuvens. As ideias descritas demonstrarão que a pessoa que escreveu a redação sabe do que está falando, pois é nesse momento que você vai evidenciar seu conhecimento de mundo. Lembre-se que quem escreve bem, lê bastante, as fontes da leitura são, normalmente, jornais e revistas de temas variados.

Desenvolvimento

Para a segunda parte, faça-se as seguintes perguntas: Quais as causas disso? Como isso acontece? Ou quais as consequências disso? Respondendo à essas perguntas, a sua tese será elaborada na redação. Nesse momento você vai relatar que há um problema e que precisa ser analisado, que existe algo no texto deve ser avaliado, observado, interpretado de alguma forma ou ponto de vista. Esse trecho pode ter dois parágrafos, porém, como “menos é mais”, um parágrafo é suficiente para desenvolver uma boa tese.

Conclusão

Agora vem a cereja do bolo, “a conclusão”, ou “o fechamento”. Você vai fazer-se as seguintes perguntas: De que forma posso resolver isso? Que lição posso tirar da minha tese? Nesse momento, você discorrerá sobre sua opinião a cerca de uma possível resolução do problema, ou uma forma de mostrar uma lição da sua dissertação. É o momento de retomar o que foi demonstrado no primeiro parágrafo junto com os argumentos que fundamentam seu ponto de vista e finalizam a redação. Assim, você demonstrará que houve boa assimilação do texto, que não houve fuga do tema proposto e que, dentro da redação, houve argumentos coerentes com todo o contexto.

Bastar lembrar que a banca avaliadora vai analisar as partes da redação, não a redação como se fosse um bloco. Serão três blocos analisados; começo, meio e fim, porém com os nomes: introdução, desenvolvimento e conclusão. De forma simples, diríamos para ler o texto base retirando uma coisa para cada parte.

Primeiro, encontre o problema.
Segundo, demonstre o problema.
Terceiro, resolva o problema.

Por exemplo; digamos que o texto base seja sobre a alfabetização de crianças no ensino público.

Depois de ler o texto e marcar as palavras chaves, comece anotando as ideias principais, digamos que você identificou no texto, os problemas no processo de alfabetização. Então responda a primeira pergunta: o que eu entendi sobre a alfabetização? Escreva o que foi apreendido do assunto do texto, demonstre que você sabe do que está sendo falado. Normalmente, isso demandará entre quatro e cinco linhas.

Depois, é a hora de elaborar a sua dissertação. Responda à segunda pergunta: como o processo de alfabetização acontece? Ou o que causa esses problemas na alfabetização? Lembre-se que tudo está no texto, não se lance a elaborar coisas que não estão no texto base, pois certamente você vai fugir do tema. Diga sempre: “segundo o texto”, ou “de acordo com o autor”, comente “o texto demonstra que…” para que sua tese seja elaborada dentro do que está escrito, não na sua divagação.

Bora fechar a redação com um dez?

Responda a terceira pergunta: De que forma os problemas do processo de alfabetização podem ser resolvidos? Ou responda: Que lição podemos tirar desse processo para corrigir os problemas da alfabetização no futuro? Com isso, você terá feito uma redação coerente, contemplando todos os itens que serão corrigidos pela banca avaliadora e vai tirar uma bela nota para ficar com pontuação suficiente para brigar pelos primeiros lugares no concurso.

-------
Paulo Siuves é escritor, antologista, autor do romance “O Oráculo de Greg Hobsbawn” (CBJE-2011); Formando da Universidade Federal de Minas Gerais; Presidente da Academia Mineira de Belas Artes; Embaixador Cultural da Academia de Letras do Brasil; Músico e Agente de Segurança Pública em Belo Horizonte. Escreve semanalmente para o Jornal Clarín Brasil.
Escritor Paulo Siuves
Enviado por Escritor Paulo Siuves em 23/03/2020
Código do texto: T6894721
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Escritor Paulo Siuves
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 48 anos
457 textos (6470 leituras)
2 áudios (84 audições)
1 e-livros (42 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/04/20 03:29)
Escritor Paulo Siuves