Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pequena crítica ao espetáculo multimídia Pedras de Raio - Frederico Barbosa


Em agosto tive a oportunidade de alguns dias de férias e viajar um bocadinho.

Saí desta Província de São Pedro e desembarquei na Avenida Paulista, no núcleo da Paulicéia Desvairada.

Trazia um endereço no bolso e surpresas a me aguardar.
Adentrei o prédio 137, da Paulista, no complexo do Itaú Cultural.Era noite de 17/agosto.

Dentro de uma semana dedicada à poesia : Poesia na idade mídia, apresentava-se o poeta/agitador cultural Frederico Barbosa e seu grupo Viva Voz num recital poético chamado Pedras de Raio, com um mix de poesia, interferências sonoras, música, imagens e paisagens cênicas.

Fred, paramentado como um homem maduro em trajes sociais adentrou o palco e postou-se a um púlpito.Ao fundo, os músicos Marcelo Ferretti, Diego Rodrigues, Elisa Gatti e a atriz Clenir Belezzi de Oliveira.

Um telão projetava os créditos do livro-poema Louco no oco sem beiras.Apoiado por um jogo cênico, simples mas eficiente, Fred. recitava seus poemas de desespero e depressão secundado por Clenir. A cada ênfase dada, um soco no púlpito, como querendo mostrar o poeta interagindo como um agredido/agressor, neste planeta conturbado e hostil. Angústia, tédio, urbanidade emergiam deste longo poema, em meio a luzes enxutas e acordes pesados de violão e guitarra.

Num segundo momento, Fred mostrou sua interface com a música. Letras suas musicadas pelos componentes do grupo desfilavam rocks, bossa-novas, blues com interpretações elogiáveis, sobremaneira da cantora Elisa Gatti.Irrepreensível.Suas letras transitavam pela urbanidade, viajavam através das angústias e preferências contemporâneas.Material para se pensar em futuro CD ou apresentação-solo.

Ao final, os poemas minimalistas do autor.A cidade, o caos, as escolhas musicais, formaram o pano de fundo para uma comunhão entre atriz, poeta e músicos.Momento pungente do espetáculo que manteve um continuum de interesse e expectativa.

Infelizmente, não pude abraçar o poeta.

Fica um amplexo virtual, sob forma de artigo.

Ricardo Mainieri
Enviado por Ricardo Mainieri em 02/09/2005
Código do texto: T47053
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Ricardo Mainieri
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 59 anos
2456 textos (35510 leituras)
1 e-livros (110 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/07/20 15:20)
Ricardo Mainieri