Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
** Nosso amor (Me Ponha Coleira) Releitura. **
 
Eu necessito que me asile, que me queira.
Me dê ao menos; mais uma nova chance.
Ainda te quero, eu te amo menina faceira.
Me ame, me beije, me coma, me balance.
 
Nós vivemos um enlace, um fiel romance.
Eu te quero, sem você, eu só faço besteira.
Ainda te quero, eu te amo menina faceira.
Me ame, me beije, me coma, me balance.
 
Sem você, falecerei sem eira e nem beira.
És minha, me ame, ainda sou o seu lance.
Por favor, me grampei, me ponha coleira.
O nosso amor tem acalento, tem nuance.
Eu necessito que me asile, que me queira.
 
 
******************************
 
     Observações:
 
     Resolvi refazer a releitura do meu primeiro rondel, porque ele não ficou de acordo as regras, pois, a segunda estrofe, recebem os dois últimos versos da primeira estrofe, e última estrofe de cinco verso recebe o primeiro verso da primeira estrofe. Ainda tem outra peculiaridade, a preferência do verso é de sete ou oito sílabas poética, (mas, não é rígido).
     Peço desculpas aos meus amigos poetas, e demais leitores, não retirei o rondel em respeito as leituras e os comentários já efetuados, na minha opinião até que ficou legal, não ficou tão ruim assim. Felicidades a todos!!!
 
José Aprígio da Silva.
“Lorde dos Acrósticos.”
Stenius Porto
Ceilândia/DF.
Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 – 09:35.


********************************


 
NOSSO AMOR (Me ponha coleira)
Meu primeiro Rondel
 
Eu necessito que me asile, me queira.
Me dê pelo menos; mais uma chance.
Eu te amo, minha bela menina faceira.
Me ame, me oscule, seja o meu lance.
 
Nós vivemos um enlace, um romance.
Eu te quero, sem você só faço besteira.
Tenha pena, não me dê tanta canseira.
Jamais aceite que o nosso amor dance.
 
Sem você, estou sem eira e nem beira.
És minha e una, me coma, me balance.
Nós inda somos uva da mesma parreira.
O nosso amor é primaveril, tem nuance.
Por favor, me prenda, me ponha coleira.


*************************


 
     Comentários:
 

     Olá minha amiga poetisa, Regina Madeira, por onde anda a nossa poetisa, Estrela Radiante, você já encontrou com ela por aí??? Boa Noite!!! Comentários: Acho que nunca fiz um Rondel, mas esse seu está especialmente lindo, peguei a fórmula não sei se é bem assim: ABAB - BAAB - ABABA. Se não for, por favor, me corrija. Linda interações. Parabéns para os autores. Lorde dos Acrósticos * 16/02/15 * 22:45
 

     Comentários por e-mail:
 

    Amiga estou te enviando em primeira mão o meu primeiro rondel, não sei se ficou a altura dos seu e dos demais poetas do Recanto das Letras, se caso precisar de correções faça-as. Eu nunca fui bom em português * 21/02/15 - 00:23
 

     Regina por e-mail:
 

    Amigo José, boa tarde. O seu rondel ficou uma beleza. E está a altura de todos, porque estamos todos no mesmo patamar. Não posso corrigi-lo porque os meus são corrigidos por outros poetas, o meu Português também é falho. Não se preocupe, o importante é participar. Agradeço o carinho de sua presença em minha página. Já está devidamente publicado. Abraços carinhosos. 21/02/15 * 13:08.
 

     Regina
 

   Amiga Regina, meus sinceros agradecimentos por tudo e mais uma vez obrigada por me deixar fazer parte da sua linda escrivaninha, esse Rondel só nasceu por causa de você, pois, lendo o seu Rondel, me deu vontade de fazer um também e fiz. Valeu!!!
 
José Aprígio da Silva.
“Lorde dos Acrósticos”
Stenius Porto.
Brasília/DF.
Sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015 - 17h23
 
Leia também o Rondel da minha amiga poetisa, Regina Madeira

“AMIZADE SENTIMENTO DE VALOR.”
 
 
http://www.recantodasletras.com.br/rondel/3816145

Postado as 11:13 do dia - 12/03/15.
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA
Enviado por JOSÉ APRÍGIO DA SILVA em 12/03/2015
Reeditado em 12/03/2015
Código do texto: T5167247
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA
Ceilândia - Distrito Federal - Brasil, 61 anos
1920 textos (183088 leituras)
1 áudios (52 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/04/21 11:20)
JOSÉ APRÍGIO DA SILVA