Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
                                                                                             
               TRISTEZA


Tão festiva e tão bela eu sinto a Natureza!
Parece até zombar desta imensa tristeza;
seu mavioso canto é doce sinfonia
que com imenso calor a todos delicia.

Não consigo entender esta imensa fraqueza
que me abate sem dó,deixando-me indefesa
pois junto a mim tudo é somente alegria,
ao lembrar-me do tempo em que eu sempre sorria.

Perdendo-te,eu me entrego a um grande padecer.
Meus olhos estão secos,mas de sofrer me inundo
e,embora de alma triste,eu não quero morrer.

Eu quero só saber por que secou meu pranto,
por que não posso mais alvissarar ao mundo
que,mesmo padecendo,ainda te quero tanto!
                                       

                                      (Soneto alexandrino)


Alda Corrêa Mendes Moreira
Enviado por Alda Corrêa Mendes Moreira em 22/05/2008
Reeditado em 03/12/2008
Código do texto: T1001030
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Alda Corrêa Mendes Moreira
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
213 textos (16020 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/11/19 21:48)
Alda Corrêa Mendes Moreira