Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A cana da chã

O carro canta o seu gemido rouco,
os bois de coice seguem devagar
mas o carreiro não pode esperar,
que o engenho vai moer daqui a pouco.

O seu chicote estala, a vara fura,
e os bois se atiçam, numa pressa vã,
levando a cana que cresceu na chã,
na terra estorricada, terra dura.

Na várzea é bem mais fácil de plantar
e de colher, a água é abundante,
o eito é produtivo e é grossa a cana.

A chã, porém, é fértil e, apesar
de acidentada e do sol escaldante,
a cana é fina, mas é soberana.
Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 13/04/2005
Código do texto: T11187
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Paulo Camelo
Recife - Pernambuco - Brasil, 72 anos
936 textos (290667 leituras)
36 áudios (11177 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/08/20 14:01)
Paulo Camelo

Site do Escritor