Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Agora só, na madrugada

Pra me manter tão triste e amargurado,
esta mulher, a quem eu amo tanto,
escondeu a ternura, o seu encanto,
esqueceu meu amor, deixou de lado.

Ó, mulher! Tu, que sabes como estou,
que viveste de perto a minha vida
em meu leito de amor, vens esquecida
agora desta paz que nos ligou?

Não te lembras do riso em minha boca?
Esqueceste o teu choro no meu peito
em momentos de dor? Eu hoje vivo

a amargura do adeus, certeza louca,
alucinada. E agora, só, no leito,
invado as madrugadas, pensativo.
Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 03/07/2005
Código do texto: T30613
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Paulo Camelo
Recife - Pernambuco - Brasil, 72 anos
936 textos (290322 leituras)
36 áudios (11172 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/07/20 15:30)
Paulo Camelo

Site do Escritor