Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Jura de amor

O Amor nunca morre, e, sim, adormece!
Dorme numa prece, acorda num sonho!
Ressurge das cinzas, seu manto tristonho,
de igual tamanho no sonho e na prece.

O amor imerece cruel julgamento
ou o sofrimento das dores do Adeus.
Devolva-me os beijos, que eles são meus,
os seus são as dores do meu sofrimento.

Reflita um momento a beleza da jura,
a forma mais pura da fala do amor.
Não seja tão cega, não seja tão dura...

Eu sou seu poeta, meu Deus! Por favor...
Não dexei-o que sofra por sua loucura,
a tola amargura do seu dissabor.
Herculano Alencar
Enviado por Herculano Alencar em 17/09/2005
Reeditado em 17/09/2005
Código do texto: T51229
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Herculano Alencar
São Paulo - São Paulo - Brasil, 67 anos
1813 textos (84444 leituras)
354 áudios (3766 audições)
14 e-livros (5891 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/05/21 17:08)
Herculano Alencar

Site do Escritor