Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

                                    TRISTE RIO

              
Entre as margens da vida, eu sigo persistente;

            em meu leito carrego as dores do passado

            a pensar num futuro alegre e diferente,

            querendo sempre ter amor de cada lado.

 

           Muito cascalho e pedra encontro a minha frente,

           ficando eu mui covarde e sempre desolado;

           mas um doce cantar me faz bem sorridente,

           pois não quero viver tristonho e abandonado..

 

            E assim eu vou traçando as linhas do destino

            onde prazermefalta e me sinto franzino.

            Porém, sempre sorrindo, eu nunca me desvio,

 

            pois sei que se teachar a amargura me invade:

            tuas lágrimas são apenas falsidade,               
            vindo eu a ser de novoaqueletristerio



                                                                   (Soneto alexandrino)

Alda Corrêa Mendes Moreira
Enviado por Alda Corrêa Mendes Moreira em 16/06/2007
Reeditado em 06/12/2008
Código do texto: T529801

Comentários

Sobre a autora
Alda Corrêa Mendes Moreira
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
213 textos (16057 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/19 19:08)
Alda Corrêa Mendes Moreira