Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto da infelicidade

As bodas da paixão há quem celebre
mas, logo as ilusões perdem magia
e mesmo as sensações do corpo em febre
esfriam dão lugar ao dia-a-dia...

O sonho de palácio ainda é casebre
e ex-cúmplices da dor e da alegria
já despem sem pudor peles de lebre;
os lobos se devoram autofagia...


A foto na parede é só lembrança.
A vida avança lenta e inalterada
à espera de que cresçam as crianças...

Já velhos com a trégua declarada
ostentam desgastadas alianças
e a vida sem amor desperdiçada!
Poeteiro
Enviado por Poeteiro em 16/10/2005
Código do texto: T60284
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeteiro
Santos Dumont - Minas Gerais - Brasil
440 textos (11134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/01/19 23:21)
Poeteiro