Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A SANTA IMPUNIDADE

Na Terra Lusitana – de veneranda idade –
Em que parece que toda a vida corre bem,
Vemos em cada dia que passa, porém,
Ser muito considerada a Santa Impunidade.

Tudo acontece, assim, na maior vulgaridade
Tanto à calada da noite, como debaixo do sol,
Ou até mesmo na penumbra do arrebol,
Mais pro lado do falso do que pro da verdade.

Quando se é chamado à pedra, como convém
Jura-se eternamente não haver nada no rol,
Deixando-se a justiça em muito mau lençol
E com as mãos atadas, sem culpar ninguém…

E, desta forma, aquilo que devia ser razão
É lançado para as malhas da insanidade
Ficando emproado o “reino da iniquidade”
Com o ser e o não-ser diluído na ilusão.

Ó Santa Impunidade, Santa Impunidade,
Quem te pôs nos altares, quem te fez Vaidade?
Resta-nos da “trindade humana” ser pregoeiros:
Quando um é falso, os outros dois são verdadeiros!


Frassino Machado
In RODA-VIVA POESIA
FRASSINO MACHADO
Enviado por FRASSINO MACHADO em 30/01/2018
Reeditado em 30/01/2018
Código do texto: T6240766
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
FRASSINO MACHADO
Odivelas - Lisboa - Portugal
2403 textos (58008 leituras)
20 áudios (1111 audições)
2 e-livros (35 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/20 13:29)
FRASSINO MACHADO

Site do Escritor