Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OSCILAÇÕES - soneto


Sou como a folha que baila no vento,
levada longe pelas mãos de Deus.
Espaço aberto, vôo no pensamento,
como fantoche de cordões ateus.

Olhar perdido nos cantos das ruas,
por trás dos morros, feito chuva densa,
pousado em rimas, nas planícies nuas,
molhando campos sem pedir licença.

Outrora firme como rocha bruta,
hoje poroso, areia diminuta,
indivisível e incontável ser.

A minha essência permanece inteira:
poeta e louco, sem berço ou bandeira,
invento versos para não morrer.



*******************
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 16/11/2005
Reeditado em 14/04/2006
Código do texto: T72375


Comentários

Sobre a autora
Lílian Maial
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1236 textos (274739 leituras)
21 áudios (14075 audições)
3 e-livros (1604 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/20 17:08)
Lílian Maial

Site do Escritor