AMADA


Maria de Fatima Delfina de Moraes


Quero sentir o doce contratempo
de teu corpo a despertar-me na madrugada
enquanto a cidade quieta e adormecida,
não presencia meu prazer de ser amada.

Reluzem lumes de estrelas na janela
extenuados no prazer que se revela
corpos unidos em doces descobertas
são só sussurros em bocas entreabertas.

As folhas soltas levadas pelo vento
tornam-se cúmplices do perpétuo silêncio
ocultas ao véu da longa madrugada.

E eu assim, vivo em pleno deleite
o doce encanto que teu amor desperta
dou-te meus lábios, consinto ser beijada.


Rio de Janeiro - Brasil

 
Maria de Fatima Delfina de Moraes
Enviado por Maria de Fatima Delfina de Moraes em 19/07/2021
Código do texto: T7303064
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.