Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

REDAÇÃO DO TEXTO: ESTRUTURAÇÃO
 - por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz -

Sob o intuito de facilitar a escrita, pode-se estruturá-la em duas etapas: redação provisória e redação definitiva. A linguagem deverá ser observada, de acordo com os diversos textos, por apresentarem características próprias.
 
1 Redação provisória
 
A redação provisória constitui-se no esboço, rascunho, planejamento ou momento da experimentação. Com a revolução tecnológica, o computador facilita a tarefa, pois permite deletar, cortar e colar os pensamentos, modificando as expressões, o encadeamento lógico, a correção na escrita ou a disposição do conteúdo. Aqueles que preferem escrever a mão devem fazê-lo em papéis soltos, usando apenas uma só face, que lhe facilitará as modificações no anverso livre, podendo, inclusive fazer recortes, colando-os, para poupar tempo.
 
2 Redação definitiva
 
A redação definitiva é realizada após as correções e emendas necessárias ao trabalho provisório e abrange a estrutura essencial comum a todos os textos, a saber: introdução, desenvolvimento e conclusão.
 
2.1 Introdução
A introdução ou exórdio é o começo do discurso, a enunciação da ideia-chave, indicando a tese a ser postulada (status quaestionis). É o anúncio do tema. Objetiva captar a reverência do leitor, seduzindo-o, com o objetivo de fazê-lo adentrar no desenvolvimento do trabalho. Deve-se, nesse momento: definir o assunto a ser tratado, situando-o em relação ao tempo e espaço; restringir o assunto através da tematização; problematizar, particularizando as questões levantadas; estabelecer os objetivos gerais e específicos do trabalho; indicar a contribuição que tal abordagem traz para a sociedade e para o ser humano considerado na sua individualidade; explicitar a metodologia de busca e solução do problema; anunciar a estruturação do trabalho. A introdução deve ser coerente com o desenvolvimento e não deve conter nada que não seja abordado no trabalho, mantendo-se em harmonia com a conclusão do texto. Embora constitua-se na primeira parte do texto que entrará em contato com o leitor, é a última a ser elaborada, posto que só se pode introduzir algo se este algo já existe.
 
2.2 Desenvolvimento
O desenvolvimento compreende dois momentos: a explanação das ideias e sua demonstração. É, pois, a exposição requintada do que foi anunciado na introdução, além da fundamentação cuidadosa e lógica das ideias em estudo. Propõe o que vai provar; em seguida explica, discute e demonstra. As proposições se sucedem dentro de um encadeamento que persegue a etapa final, a conclusão. Costuma ser dividido em partes e entre estas e o todo do trabalho deve existir um liame a garantir um encadeamento lógico das ideias. A divisão e a subdivisão do desenvolvimento são eficazes no processo de comunicação do autor com o leitor.
 
2.3 Conclusão
A conclusão ou peroração é a parte final do discurso, a síntese do que foi apreendido. Alguns elementos estruturais devem ser observados no sentido de que o ápice aqui especificado se concretize. Significa uma recapitulação das inferências e consequências atingidas ao longo da busca. A conclusão é um regresso à introdução. Estabelece-se um movimento circular, harmônico. Uma conclusão bem formulada revela a ideia global do autor, sem que para tal seja necessário nenhuma parte isolada do texto. Concluir significa encerrar uma etapa, abrindo o pensamento do leitor com novas propostas e sugestões para estudos futuros. É o corolário do discurso, a última oportunidade de convencimento. Nisso a sua relevância. Sendo a última parte, é também o momento do autor assumir um posicionamento integral.
Para dominar a arte da escrita faz-se necessário um trabalho que exige prática e dedicação. Fórmulas mágicas não existem, portanto, atividade inútil buscá-las. O quefazer contínuo, acompanhado da leitura de bons autores, e o poder reflexivo, são indispensáveis para a formulação de textos relevantes. Esperamos que as dicas apresentadas sejam úteis.
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 03/09/2019
Reeditado em 04/09/2019
Código do texto: T6736531
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
2339 textos (405998 leituras)
2 áudios (198 audições)
26 e-livros (7997 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/19 09:13)
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz

Site do Escritor