Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Diante da Virgem

Senhora minha, um escritor cansado
Revê a vida e tenta alçar uma prece
Para além do teto, para à luz dos prados

No Céu alcancem vossa mão que tece
Um sudário para os dias meus já mortos
E o desfaz quando meu corpo oferece

Um movimento para os sutis portos
De vosso manto, azul ancoradouro
Esse descanso para quem por tortos

Caminhos e por terras de desdouro
Com mãos e pés desnudos palmilhou
Detendo-se em frontões de falso ouro.

Odisseu sem glória e sem astúcia
Sou eu a Troia que às chamas se entregou.
Buscando a Ti, Sagrada Mãe, ó núncia

Do Mistério maior que me engendrou
Espero detenha-se de uma vez a faina
De esfazer o lenço em que a morte estampou

Os dias meus de muito lodo e paina
E eu possa enfim evaporar os vinhos
Que este tempo de ilusão me inoculou.
Rodrigo C Pereira
Enviado por Rodrigo C Pereira em 14/08/2019
Código do texto: T6720333
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rodrigo C Pereira
São Luís - Maranhão - Brasil, 41 anos
33 textos (380 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/19 22:48)
Rodrigo C Pereira