Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Corrupção na Carta de Pero Vaz de Caminha
 
É conhecida a passagem constante da Carta de Pero Vaz de Caminha, na qual o fidalgo português, que se notabilizou nas funções de escrivão da armada de Pedro Álvares Cabral, escreve ao rei Dom João IV, em documento datado de 1° de maio de 1500, para informar sobre o descobrimento do Brasil e, ao mesmo tempo, pedir um favor para o genro: “E pois que, senhor, é certo que, assim neste cargo que levo, como em outra qualquer coisa que de vosso serviço for, Vossa Alteza há de ser de mim muito bem servida, a ela peço que, por me fazer graça especial, mande vir da ilha de São Tomé a Jorge de Osório, meu genro – o que dela receberei em muita mercê.”
 
O trecho em destaque é sempre apontado como augúrio do que se passaria no Brasil Colônia. Diversos autores assinalavam a corrupção explícita presente na administração colonial brasileira.
 
Referência
 
CAMINHA, Pero Vaz de. Carta a El Rey Dom Manuel. Transcrita por Maria Angela Vilella. Fotografia por Antônio Caetano Santos. Ilustrações por Jorge Valente. 2. ed. com. e ilustr. São Paulo: Ediouro, 1999, p. 95.
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 18/06/2018
Código do texto: T6367625
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
2264 textos (320383 leituras)
2 áudios (152 audições)
26 e-livros (5016 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/18 01:12)
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz

Site do Escritor