Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
QUE SAUDADES DO RESFRIADO
Eita saudade que tenho
Daquele meu resfriado
Aquele catarro no peito
Amarelo no chão escarrado.
 
Aquelas pulgas nos pés
Rodeados de “ovinhos”
Aquela frieira, ó coceira,
Divertindo-me no escurinho.
 
Os piolhos na cabeça
Faziam festa e coçava
Mas passava um neocid
E ao piolho matava.
 
Uma verminosezinha
Que dava dor de barriga
Tomava um mebendazol
E acabava com a lombriga.
 
A gripe virou mutação
Quando chega é pra matar
Já não tem mais resfriado
Ninguém mais ver escarrar.
 
Piolho e bicho do pé
Não se vê quase em criança
A coceira da frieira
Com suspiro de esperança.
 
Deliro aqui na saudade
Olhando para a parede
Lembrando-me da frieira
Coçada no punho da rede.
JOEL MARINHO
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Joel Marinho
Enviado por Joel Marinho em 26/03/2020
Reeditado em 26/03/2020
Código do texto: T6897248
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Joel Marinho
Manaus - Amazonas - Brasil, 45 anos
966 textos (13838 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/04/20 00:52)
Joel Marinho

Site do Escritor