Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poesia minha poesia

Pensei que não me querias
Ou que jamais a teria
Eu achei que tu sumirias
Somente o teu rastro eu veria
Indo ao encontro do nunca
Atirando-me  agonia tamanha

Mundo que se bifurca
Imaginação que me arranha
Não havendo poesia
Homem nenhum existe
Ainda que haja fantasia

Pode ser alegre ou triste
O mundo sem tua presença
Eis aqui quem não resiste
Sempre em desavença
Inigualável, sem quem a imite
Ainda tenho esperança
Maurício Freitas de Siqueira
Enviado por Maurício Freitas de Siqueira em 27/07/2006
Código do texto: T203195

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar o nome do autor). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Maurício Freitas de Siqueira
Salvador - Bahia - Brasil, 28 anos
13 textos (380 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 15:33)
Maurício Freitas de Siqueira