Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONFLITO DE VALORES

                                CONFLITO  DE  VALORES

“Na liberdade está a felicidade, e no valor a liberdade.”
                                           Tucídides (465 a 395 AC).

Teólogos do mundo inteiro nos ensina claramente
Onde estão esses valores, que nos guia pela vida,
Legado do universo, que vaga em nave perdida...
Somos iguais perante Deus, dizem os nobres e indigentes...
Todos pregam a igualdade enquanto concomitantemente
Ousam, investem, brigam, roubam e sem medidas,
Inventam leis, para tornarem suas riquezas merecidas...

Conflitando valores, comflitamos a própria fé,
Olhamos nossos doutores, diplomados em riquezas,
Negando ser devedores de tributos e nobreza...
Tripudiam de seus carros, a pobreza andando a pé,
Invertendo o que nos ensina, o filho de Nazaré...
Não conseguimos entender e vivemos na incerteza...
Urge-nos acabar com o medo e valores sem escala,
Andarmos livres pelas ruas, até mesmo em nossas casas...
Moramos hoje em condomínios, verdadeiras fortalezas,
Onde somo reféns do dinheiro e dos bens que nos embala.
Sem que possam nossos filhos, ver do mundo sua beleza...

Vivo entre nós e por nós, esteve de Deus, o filho
Ensinando aos homens, os valores mais sagrados,
No entanto e por tão pouco, acabou crucificado...
Dando-nos mais que um exemplo de seu brilho,
Orou a Deus para que fossemos pelo ato, inocentados...

Triste é o hábito de venerarmos toda riqueza,
Unindo a força do ouro e dos ricos ao egoísmo...
Damos as honras a quem comete vandalismo,
Ordem confusa que assassina a singeleza...

Durante séculos, pregaram-nos a igualdade,
Enquanto víamos crescer as diferenças...
Somos o que sobra dos conflitos em nossas crenças,
Traduzidas em prantos nos flagelos da cidade...
Olhamos os morros e favelas, símbolos da calamidade,
Reprimindo os motivos que geram as desavenças.
Sentimos medo das mesmas manchetes na imprensa,
Indagando por nossas insípidas autoridades...
Descemos tanto, que perdemos a sanidade,
Ouvindo o eco de nossa própria indiferença...

Menores nas ruas nos expõem seus horrores
Enquanto roubam, se drogam e se prostituem,
Ultimando da sociedade e políticos sedutores,

Amparo para o corpo, para a mente e para crença...
Mais que a vida, nos cobram qualquer presença...
Indignados só sentem da vida, as próprias dores,
Gerando o vírus que nos faz vítimas e destruidores,
Ordenados por tanta ignorância e conflitos de valores...

Jacó Filho
Enviado por Jacó Filho em 11/10/2007
Código do texto: T689926
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jacó Filho
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
3428 textos (290384 leituras)
1 e-livros (294 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 06:28)
Jacó Filho