Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Projeto de Educação Ambiental na Escola

1. APRESENTAÇÃO

A forma como nos relacionamos com o meio ambiente à nossa volta está diretamente ligada a qualidade de vida que nós temos. Dessa forma, é função da Escola usar intensamente o tema “meio ambiente” de forma transversal através de ações reflexivas, práticas ou teóricas, para que o aluno possa aprender a amar e respeitar tudo que está a sua volta, incorporando dessa maneira, desde a mais tenra idade, a responsabilidade e respeito para com a natureza.
Esse é o papel da Educação Ambiental que, além de tratar de assuntos relacionados à proteção e uso racional dos recursos naturais (solo, ar, água, flora e fauna), também deve estar focada na proposição de idéias e princípios que possibilitem a construção de um mundo sustentável.
A Lei Federal nº 9.795, de 27 de abril de 1999, através de artigo 2° diz: "A Educação Ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não-formal”.
A Educação Ambiental busca abrir os nossos olhos, mostrando que o ser humano é apenas mais uma parte do meio ambiente em que vive. Ela se contrapõe às idéias antropocêntricas, que fazem com que o homem se coloque egoisticamente como o centro do universo, esquecendo, muitas vezes, da importância dos demais componentes da natureza.
Praticar Educação Ambiental é, antes de mais nada, gostar de si, do seu próximo e da natureza à nossa volta. Ter consciência ambiental é reconhecer o papel que cada um de nós tem na proteção de todos os lugares onde a vida nasce e se organiza. É querer auxiliar as pessoas ao nosso redor. É reconhecer a necessidade de vivermos em harmonia com a terra, as águas, as plantas, os animais e todas as demais formas de vida. É querer ser feliz sem causar danos a ninguém.
Portanto, através da implantação do Projeto de Educação Ambiental na Escola espera-se criar condições favoráveis para garantir o envolvimento e participação de todos (Escola, família e comunidade), utilizando-se para isso de múltiplas ações que visam melhorar a qualidade de vida e orientar o uso racional dos recursos e serviços que a natureza nos dispõe.
Assim, espera-se modificar de forma significativa o modo de pensar e as posturas individuais, familiares e coletivas para a construção de um mundo melhor para todos nós.


2. OBJETIVOS

2.1 OBJETIVO GERAL

- Despertar nos alunos, funcionários da Escola e comunidade em geral o interesse em colaborar com o processo de conservação do meio ambiente, garantido assim uma melhor qualidade de vida para todos da Escola e da nossa cidade.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Enriquecer o currículo escolar com a exploração do tema transversal “educação ambiental e meio ambiente”;
- Estabelecer diversas parcerias com entidades e órgãos públicos para ampliar os trabalhos e projetos desenvolvidos na Escola;
- Promover o interesse e participação da comunidade próxima nas ações e projetos da Escola;
- Incentivar aos alunos a adoção de posturas e hábitos de proteção ao meio ambiente, seja em casa, seja na escola, e por onde eles forem;
- Reduzir a produção de lixo na Escola, além de implantar ações de reaproveitamento e reutilização do que for possível.
 

3. PARCEIROS DO PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

Aqui estão relacionados os potenciais parceiros desse Projeto. É importante mencionar que cada um deles executa ações relacionadas aos metas e objetivos propostos aqui, e que todos eles já possuem pessoas e trabalhos relacionados à temática ambiental.
 
- Prefeitura Municipal;
- Secretaria Municipal de Educação e Desporto;
- Secretaria Municipal de Meio Ambiente;
- Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA);
- Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO);
- Órgão Estadual de Meio Ambiente (OEMA);
- Órgão Estadual de Extensão Rural;
- Polícia Militar Ambiental;
- Conselho Municipal do Meio Ambiente;
- Departamento Municipal de Coleta Seletiva;
- Associação dos Catadores de Lixo do Município;
- Universidades Federal, Estadual e Municipal.


4. AÇÕES DESENVOLVIDAS

Todas as 08 (oito) etapas previstas estão detalhadas para que cada parceiro desse Projeto possa saber exatamente como e quando contribuir. Destacamos que cada uma das oito etapas propostas estarão ocorrendo de acordo com o “Cronograma do Projeto” que se encontra ao final desse trabalho.
A primeira etapa a ser cumprida se refere a elaboração e reprodução do Projeto para ser encaminhado a cada um dos parceiros.
Na segunda etapa do Projeto será feito um contato com todos os possíveis parceiros, através do protocolo na entidade ou órgão visitado de uma cópia do Projeto, para que assim cada parceiro possa conhecer todos os detalhes.
A terceira e a quarta etapa ocorrerão simultaneamente, pois tem objetivos semelhantes que é a sensibilização da maioria do público envolvido. A diferença entre essas duas etapas se diz apenas ao local e ao tipo dos dois públicos, pois o primeiro (gestores, professores e funcionários) estão presentes na Escola todos os dias, e o segundo grupo (comunidade em geral) vem à Escola, principalmente, nas reuniões de pais e em eventos especiais ao longo do ano. Dessa forma, serão elaborados convites apresentado o Projeto para cada um dos funcionários da Escola e para que cada aluno leve também para sua casa. Além disso, nas reuniões dos conselhos de classe serão repassadas informações sobre o Projeto que será executado na Escola.
A quinta etapa será executada pelos funcionários convidados das entidades parceiras, que executarão diversas palestras na Escola, todas com a temática ambiental. Nesse período, esperamos que a comunidade de entorno da Escola participe também das palestras. Nessa etapa haverá a participação de diversos profissionais, técnicos e ambientalistas que estarão apresentado: (1) o papel do Conselho Municipal do Meio Ambiente, (2) as ações do Fórum Municipal Lixo & Cidadania, (3) as ações do Protocolo Municipal do Fogo, (4) o Programa Municipal de Coleta Seletiva, (5) os trabalhos dos órgãos estaduais e municipais do meio ambiente. Tudo isso fará com que  alunos, funcionários da Escola e a comunidade em geral conheçam melhor o que tem sido feito pela proteção dos recursos naturais de nossa cidade e região, o que possibilitará que os mesmos possam colaborar mais para a melhoria dessas ações e projetos. É importante destacar que cada professor vai estar trabalhando antecipadamente cada um dos temas agendados para as palestras, através de atividades em classe. Algumas das atividades em classe que serão executadas são: (1) leitura de textos para a sensibilização, (2) debates e discussões, (3) pesquisas na biblioteca, e (4) mostra de vídeos.
A sexta etapa ocorrerá paralelamente à quinta etapa, pois as duas estão bem relacionadas. Quando os palestrantes convidados estiverem vindo à Escola para trazerem informações e idéias, esse momento será aproveitado para o planejamento e execução de outras ações e atividades previstas no Projeto. As atividades complementares propostas que contarão com acompanhamento dos convidados são: (1) oficinas de reciclagem de papel, vidro e plástico; (2) preparação de uma horta na Escola, com a utilização de adubo produzido a partir das sobras da merenda escolar; (3) elaboração de uma peça de teatro com temática ambiental; (4) organização de um concurso de desenhos, com exposição e premiação dos melhores trabalhos; (5) concurso de poesias, músicas e redações com a temática ambiental, com a culminância de uma apresentação dos melhores trabalhos; e (6) concurso com desfile das roupas feitas de material reciclado. Nesse desfile serão eleitos a “miss sucata” e o “galã da reciclagem”, que serão dados aos melhores trabalhos de reciclagem.
A sétima etapa será a divulgação dos resultados, que ocorrerá ao final do ano letivo, com a produção de um boletim informativo e a produção de cartazes que serão elaborados na gráfica da cidade. Todo esse material será distribuído aos parceiros, aos veículos de comunicação e para que cada aluno e funcionário da Escola possa levar um exemplar para casa.
A oitava etapa será a avalização do Projeto, que está bem detalhada em um tópico exclusivo que se encontra adiante.


5. RECURSOS UTILIZADOS

Nesse tópico estão incluídos todos os recursos humanos, materiais e financeiros previstos para serem utilizados nas ações propostas. Destacamos que o quantitativo de tais recursos previstos pode sofrer pequenas variações ao longo da execução das ações, pois acreditamos que à medida que os resultados das primeiras ações forem chegando, conseguiremos o envolvimento de mais recursos humanos, o que, caso ocorra, certamente será favorável para a ampliação também dos recursos materiais e financeiros.
Informamos ainda que o item recursos humanos se refere apenas às pessoas que estarão executando as ações propostas, o que não inclui toda a parcela da comunidade que estará sendo atingida pelo presente Projeto. Dessa forma, não há previsão para gastos adicionais com os recursos humanos (como por exemplo com a contratação de prestadores de serviço), pois a maioria dos profissionais que estarão sendo envolvidos já são servidores públicos da Escola ou das entidades e órgãos parceiros.
Assim, os gastos financeiros só serão aplicados na produção e aquisição de recursos materiais, que estão detalhadamente descritos a seguir.


5.1 RECURSOS HUMANOS

- Equipe pedagógica da Escola;
- Equipe administrativa da Escola;
- Representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente;
- Representante do IBAMA;
- Representante do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO);
- Representante do Órgão Estadual de Meio Ambiente (OEMA);
- Representante do Órgão Estadual de Extensão Rural;
- Representantes da Polícia Militar Ambiental;
- Representante do Conselho Municipal do Meio Ambiente;
- Representante do Departamento Municipal de Coleta Seletiva;
- Representante Associação dos Catadores de Lixo do Município;
- Pesquisadores e professores das Universidades Federal, Estadual e Municipal.


5.2 RECURSOS MATERIAIS E FINANCEIROS

- Material didático: papéis variados, lápis de cor, pincel, tinta guache, tinta plática de cores variadas, isopor, cartolina, TNT, cola branca, fita adesiva, tesoura, cola gliter, etc.
- Materiais recicláveis diversos (garrafas, vidro, papel, latinhas, etc.);
- Spray de cores diversas;
- Balões de festa de aniversário;
- Aparelho de Data Show e computador portátil;
- Equipamento de som, com caixas e microfone;
- Aparelho de DVD e televisor tela plana.

6. AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS

A avaliação do “Projeto de Educação Ambiental na Escola” irá ocorrer em todas as fases, desde seu início com os contatos e sensibilização dos parceiros, até a execução propriamente dita, que ocorrerá dentro das Unidades Escolares, e que conforme esperamos chegará a outros locais de nossa comunidade, principalmente, no ambiente familiar dos alunos e funcionários da Escola.
Na fase de implantação será verificada a aceitação do Projeto pelo público-alvo. Quanto às demais metas, serão observadas de forma contínua e após a execução, verificando-se assim o cumprimento dos objetivos propostos.
Os alunos serão observados durante todo o Projeto de Educação Ambiental na Escola, através da observação do interesse, participação, realização das atividades, orais, escritas e práticas. Os conteúdos explorados também serão analisados pelos trabalhos e provas aplicadas em sala de aula durante cada bimestre.
Como instrumento de avaliação serão utilizados formulários e relatórios, bem como a escolha, premiação e divulgação dos melhores trabalhos através do boletim informativo e nos veículos de comunicação da cidade (canais de TV, rádios, jornais locais, etc.).


7. CRONOGRAMA


--------------------- Cronograma do Projeto ----------------------
Etapas/ atividades   ---------Meses--------------------------------
----------------------Abr--Mai--Jun--Jul--Ago--Set--Out--Nov--Dez
1ª  ------------------  X   ----------------------------------------
2ª  ------------------  X  -- X  -----------------------------------
3ª  ------------------------- X  ----------------------------------
4ª  ------------------------- X - X -----------------------------
5ª  ----------------------------- X  ----  X --  X --  X  --  X  -- X -
6ª  ----------------------------- X  ----  X --  X --  X  --  X  -- X -
7ª  ------------------------------------- X --  X --  X  --- X --- X-
8ª  ----------------------------- X  ----  X --  X --  X  --  X  -- X -

Descrição das etapas/ atividades: 1ª – Elaboração do Projeto e preparativos iniciais; 2ª – Estabelecimento de parcerias; 3ª Sensibilização dos Gestores, professores e funcionários; 4ª Sensibilização da Comunidade; 5ª Palestras na Escola; 6ª Desenvolvimento das ações e atividades previstas no Projeto; 7ª Divulgação dos resultados; 8ª Avalização do Projeto.


8. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

Esse tópico reúne as principais referências bibliográficas que deram embasamento ao presente Projeto. Aqui consta também a citação de alguns dos Projetos de Educação Ambiental que tive a oportunidade de participar, além daqueles que elaborei e executei nos últimos anos com o apoio de parceiros e amigos.

MARCO ANTÔNIO MARQUES ANTUNES. 2005. A importância da Educação Ambiental. Goiânia. 104p.

ELISÂNGELA BATISTA AGUIAR. 2003.  Educação Ambiental em duas perspectivas que se complementam: a não-formal e a formal. Gurupi: FAFICH. (Monografia do Curso de Pedagogia, orientador: Dr. Jandislau Jose Lui).

ERILÂNIA FERNANDES DA SILVA. 2003. Educação Ambiental: um enfoque a partir do desenvolvimento sustentável. Gurupi: FAFICH. (Monografia do Curso de Pedagogia, orientador Dr. Jandislau Jose Lui).

KÁTIA CILENE SOARES CHAVES PEREIRA. 2005. Educação Ambiental: contexto e estudo exploratório junto a CIPAMA – Gurupi, Tocantins. Gurupi: UNIRG. 49f. (Monografia do Curso de Pedagogia, orientadora MSc. Nelita Gonçalves Faria  Bessa).

LEILANE MACEDO & LUANA EVANGELISTA DE LIMA. 2005. Importância do Jornalismo na Educação Ambiental. Gurupi: UNIRG. 40 f. (Monografia do Curso de Comunicação Social-Jornalismo, orientadora MSc. Marcela Cristina Agustini Carneiro da Silveira).

MAURO VICENTE DA SILVA. 2008. Aquecimento Global e Normas Preventivas. Gurupi: UNIRG. 33p. (Monografia do Curso de Direito, sob orientação de Gilson Ribeiro Carvalho Filho).

NATURATINS – Instituto Natureza do Tocantins. 2001. Sugestões de atividades para multiplicadores em educação ambiental. Provisão Estação Gráfica e Editora Ltda. Palmas (TO). 78p.

NATURATINS – Instituto Natureza do Tocantins. 2004. Ambiente-se: oficina de multiplicadores em educação ambiental. Palmas (TO). 60p.

NEUZELLY ALVES DE SOUSA. 2002. A Educação Ambiental na escola: perspectivas e práticas exercidas no município de Gurupi – Tocantins. Gurupi: FAFICH. (Monografia do Curso de Pedagogia, orientador Dr. Jandislau José Lui).

Prefeitura Municipal de Gurupi / Secretaria Municipal de Educação e Desporto (SEMED). 2005. Projeto Educação para o Trânsito. Gurupi (TO). 14p.

Prefeitura Municipal de Gurupi / Secretaria Municipal de Educação e Desporto (SEMED). 2005. Projeto Meio Ambiente: Lixo Vira Luxo. Gurupi (TO). 16p.

RODRIGUES, AMANDA CAVALCANTE et al. 1999. Educação Ambiental: aprendendo com a natureza. Palmas: Poligráfica. 80p.

SALERA JUNIOR, G. 2001. Projeto Encontro com a Natureza. Araguaína (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1028172. Acessado em 30 de julho de 2008.

SALERA JÚNIOR, G. 2007. Educação Ambiental. Jornal Anoticia, Gurupi - Estado do Tocantins, v. 214, p. 02, 01 nov. 2007. Disponivel em: http://www.recantodasletras.com.br/ensaios/685801. Acessado em 01 de agosto de 2008.

SALERA JUNIOR, G. 2007. Projeto Abraçando a Natureza. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1029457. Acessado em 01 de agosto de 2008.

SALERA JUNIOR, G. 2007. Unidos Valorizando o Meio Ambiente. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1028879. Acessado em 01 de agosto de 2008.

SALERA JÚNIOR, G. 2008. O importante papel dos Conselhos Municipais do Meio Ambiente. Jornal Chico, Gurupi - Estado do Tocantins, v. 41, p. 09, 21 abr. 2008. Disponivel em: http://www.recantodasletras.com.br/ensaios/915639. Acessado em 01 de agosto de 2008.

SALERA JUNIOR, G. 2008. CIPAMA: um breve histórico. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/906917. Acessado em 01 de agosto de 2008.

TOCANTINS – Governo do Estado do Tocantins. 2004. PEEA – Programa Estadual de Educação Ambiental: ações estratégicas. Palmas (TO). 14p.


9. AGRADECIMENTOS

Sou profundamente grato a todos os amigos e colegas de trabalho que apoiaram a realização desse Projeto, especialmente, ao Soldado Joarez Soares Barbosa Filho do 3º Pelotão Operacional da CIPAMA.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Gurupi – TO, Agosto de 2008.

Giovanni Salera Júnior
E-mail: salerajunior@yahoo.com.br

Curriculum Vitae: http://lattes.cnpq.br/9410800331827187

Maiores informações em: http://recantodasletras.com.br/autores/salerajunior
Giovanni Salera Júnior
Enviado por Giovanni Salera Júnior em 04/08/2008
Reeditado em 26/11/2011
Código do texto: T1112201
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Giovanni Salera Júnior
Brasília - Distrito Federal - Brasil
955 textos (1873404 leituras)
107 e-livros (23682 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/12/14 00:05)
Giovanni Salera Júnior



Rádio Poética