Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cavalo de Tróia II (Lourenço)

          CAVALO DE TRÓIA II – DUSM: um caso de polícia?

                        Lourenço de Oliveira

          Uma situação grave se abate sobre a nossa cidade. O DUSM entrou com força total paralisando obras de moradia, impedindo ligação de energia, desaquecendo o comércio e desempregando os trabalhadores informais da construção civil local. Suas armas são legais e o argumento irrefutável - proteção aos mananciais. Executam um trabalho para o qual são pagos e defendem uma causa nobre. Porém, sua ação em nosso município está sendo questionada e não é para menos. Não adianta enxugar  goteiras com a torneira escancarada. Atendimento local eficiente neutralizado pela regional que não disponibiliza carro exclusivo para manutenção preventiva adequada.

A SABESP nos cobra 100% sobre o valor da água tratada, para coleta e tratamento do esgoto, instituído por um dos governos PSDB. Deveríamos receber ROYALTS pelos mananciais explorados no município e no entanto andamos na contra-mão. Outros interesses são defendidos por nossos representantes na mesa de negociação e o povo é relegado a segundo plano. Famílias inteiras foram despojadas de suas propriedades na área do aterrado e ficaram na miséria – a maioria delas sumiu do município, outras perderam o ganha-pão com suas terras cultiváveis desapropriadas a preço de banana pelo DAAE. O mesmo só não se deu com a barragem do Paraitinga devido à ação do GENT através do MOAB do Paraitinga - Movimento dos Atingidos pela Barragem do Paraitinga. Não fosse por isso e teríamos repetição da história. Tudo, portanto, é questão de postura e direcionamento.

Se os fins justificam os meios numa ação política, o mesmo não se pode dizer numa questão humanitária. São ângulos de visão diferenciada e interesses que se chocam. A coleta de esgotos em nossa cidade produz vazamentos constantes e localizados em todos os raios do perímetro urbano. Com isso, os afluentes e rio Paraitinga continuam contaminados. Um crime ambiental envolve a estância turística e não se vê ação efetiva por parte das autoridades para coibir isso.

Como se justifica a presença do DUSM durante um ano paralisando tudo em nome de algo que nos assombra há muito tempo com ninguém a se importar com o ranger das correntes? Um cavalo de tróia foi impetrado em Salesópolis e trouxe em seu bojo um exército para nos ferrar. Quem permitiu isso ou se responsabiliza pela situação? Um diz que é outro, outro alega que é um... Enquanto isso, ninguém pode vender lote, construir casa, ligar luz, sem autorização do órgão que manda mais que nossas "autoridades". Um ano se passou e tudo que se consegue é a desistência do DUSM e a entrada da polícia científica. E agora, resolve?
A Estância de Sallis
Enviado por A Estância de Sallis em 01/04/2006
Código do texto: T131837
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
A Estância de Sallis
Salesópolis - São Paulo - Brasil
18 textos (16007 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 11:12)
A Estância de Sallis