Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SER JOVEM - por Solange da Cruz Battirola

SER JOVEM

Solange da Cruz Battirola


RESUMO: A juventude está impregnada de simbolismos, fragilidades e inexplicáveis ambigüidades, que devem ser avaliadas e consideradas quando se pensa na sua atuação e inserção na sociedade. É a partir desse conjunto que se devem construir as reflexões e políticas voltadas para as diferentes juventudes; são essas as potencialidades que devem ser exploradas para elaboração de toda proposta direcionada a esses jovens. Socialmente, a juventude está caracterizada pela opressão e cobrança das instituições, como família, escola, comunidade, estado, vivendo em conflito com a necessidade de tomada de decisões que poderão refletir-se ao longo da vida. Frente a esses conflitos, os jovens expressam suas idéias e opiniões por meio de suas organizações, estilo de vida, costumes, gírias, contradições e dúvidas.
Palavras-chaves: Juventude. Sociedade. Políticas. Família. Escola.

1 Introdução

O presente artigo foi estruturado a partir de um apanhado conceitual sobre juventude - o conceito do jovem sobre si mesmo - protagonista do mundo atual que enfrenta as crescentes desigualdades sociais do país, sem perder a sua diversidade de estilos e identidades.
Essa contextualização é de grande importância para confirmar que estamos falando de uma população heterogênea, com identidades próprias, ou seja, não estamos falando de juventude, e sim de juventudes, cuja condição é dada pelo fato de os indivíduos estarem vivendo um período específico, num determinado momento histórico e em dado cenário cultural.
No contexto atual, a juventude é idealizada como o tempo em que se complementam a formação física, intelectual, psíquica, social e cultural, processando-se a passagem da condição de dependência para a de autonomia em relação à família de origem, à própria subsistência, sustentabilidade, alcance de objetivos e metas. A pessoa torna-se capaz de produzir, reproduzir, manter-se e participar plenamente da vida social, com todos os direitos e responsabilidades. Trata-se, portanto, de uma fase marcada por processos de definição e de inserção social.
A partir dessa diversidade de estilos e identidades, a juventude pode ser considerada um fenômeno multidimensional, pelo qual se procura entender os diversos fatores que a compõem. Por um lado, a juventude é o momento em que o indivíduo começa a ampliar suas responsabilidades e a responder individualmente às diversas relações sociais que o cercam. Por outro lado, esse é um período de transição, de diversas transformações biológicas e psicológicas. É, como dizem na linguagem popular, “deixar de ser criança e ainda não ser um adulto”. E é, ainda, a fase da vida em que o jovem constrói a sua personalidade e suas escolhas, de acordo com o contexto social, cultural e econômico em que  está inserido.

2 O que é ser jovem

O termo juventude é abrangente e nos remete ao conceito de coletividade e dinamismo, inerente a um segmento populacional marcado pelos diversos fatores que influem na expressão dos valores. O jovem será problema ou solução de acordo com a forma que seus valores forem expressos.

[...] ser jovem é viver a vida sim, seja com responsabilidade ou não, mas sempre com muita intensidade, criatividade e vontade de mudar o que não está legal, o que nos incomoda, o que é injusto. Ser jovem é ter arte de mudar, de inventar... porque pra ser feliz a gente inventa, conta piadas e diz que nada vai dar mal (NUNES, Fórum Juventude, 2004).

Vivemos em uma sociedade determinada por relações sociais historicamente construídas. O passado determina o presente. Ser jovem é lutar para que o futuro determine o presente. Lutar para nos livrarmos das heranças que amargamos. Lutar para que possamos construir um mundo novo que se esconde por baixo dessa imensa agonia.

Essa juventude, em um país massacrado por ideologias burguesas espalhadas pela mídia, torna-se sedenta de utopias. Essa juventude, em um país onde os exemplos de luta da história foram meticulosamente apagados pela classe dominante, deve ser uma juventude combativa. Essa juventude, em um país, onde diversos jovens são compelidos à estagnação, enganados, traindo seu potencial revolucionário, deve ter claras as particularidades da juventude, confiar no seu potencial, ser capaz de elaborar sua própria tática e sobreviver frente a tantos desafios do poder.
“A juventude brasileira é composta de 34,1 milhões de jovens entre 15 e 29 anos de idade, o que representa 20,1% da população do país. É a esta parcela da população que hoje se aufere o futuro da nação. Mas de que futuro?” (NUNES, 2004).
“Os índices de escolarização são mais frágeis quanto aos jovens entre 18 e 19 anos, já que apenas 50,3% dessa população freqüentam a escola. Os índices caem ainda mais entre os jovens de 20 a 24 anos, pois apenas 26,5% podem ter acesso à escolarização” (NUNES, 2004), já que a maioria, que se enquadra nessa faixa etária, precisa trabalhar.
Se, por um lado, a necessidade de inserção no mundo do trabalho é um dos fatores de abandono ou desistência da permanência na escola, por outro, o desemprego representa um dos mais graves dilemas vividos por esses jovens.
Contudo, desde os anos 60, esta mesma juventude tem se apresentado como questionadora da sociedade, de usos e costumes, desigualdades e injustiças. A juventude herdou, sobretudo, o caráter estruturante de utopias sociais e políticas, desde os movimentos pró-democracia da década de 70, demonstrando todo seu engajamento político e social. Nos anos 80, diante de uma maior liberdade política, assume o seu protagonismo nos movimentos culturais, sociais e em prol da ampliação da sua cidadania. Assim, se percebe o quanto se faz necessária a criação de um espaço no qual o jovem possa ter participação na construção de ações e de políticas públicas que visem ao seu desenvolvimento social e cidadão.
Os jovens de hoje buscam maior participação, mesmo sofrendo a influência da sociedade de consumo e globalizada, seja através de fóruns na Internet ou em ações locais,
nas suas comunidades ou em seus bairros.
Nossa juventude é generosa e solidária. Dispõe-se a trabalhos voluntários e campanhas quando há liderança e motivação. É, também, extremamente tolerante. Tolera pais e familiares bêbados, convive com diversos vícios, maus hábitos, infidelidades conjugais. Tolera governantes injustos. O que por um lado é positivo, pois revela sua capacidade de conviver com realidades múltiplas e contraditórias. E o lado negativo é que torna a convivência extremamente desgastante, chegando ao ponto do comodismo, da apatia e da indiferença. Uma juventude apática é o que o poder mais deseja num jovem.
Na época de nossos pais, os jovens desconheciam as drogas, pois o uso delas não era tão escancarado, mas o mesmo não acontece com os jovens hodiernos que são assediados em praças e avenidas, escolas e clubes. Alguns resistem heroicamente a esse assédio, enquanto outros entram na “onda”, e adentram por um caminho às vezes sem volta.
A sexualidade é outra questão que merece nossa atenção. Os jovens via de regra, são prematuros e inconseqüentes. Desse modo, têm sua primeira relação sexual cada vez mais precoce. E o saldo de tantas experiências são os traumas que carregam pelo resto da vida. Mal adentram na adolescência, e muitos já mantêm relações sexuais. Isso torna difícil discursar sobre virgindade, amor, fidelidade. Tudo é relativo. Hoje ficam, amanhã não ficam mais. Casam e descasam. Ordenam e desordenam. Assumem compromisso e logo se descomprometem. Tudo é provisório. Aqui surge o desafio do compromisso com os valores humanos, morais e religiosos.
Em termos de religião, também há muitas diferenças. A religião dos jovens, muitas vezes, é a religião de seus pais, embora os jovens não estejam preocupados com a herança religiosa.
Este é o perfil, ao menos em parte, de nossa juventude: vida sexual precoce; dificuldades financeiras; alvo fácil do traficante; geração do ‘depende’; indiferença à reflexão; cultura superficial e já mergulhada numa salada religiosa.
Se nos deparamos com uma juventude perdida, violenta, consumista e erotizada, é porque os modelos em evidência a atraem. Em tempos de crise, é preciso lutar contra as algemas, sonhar e construir um jeito novo de viver e conviver. Na esperança, não tenhamos medo de propor valores, autoconhecimento e reflexão sobre a existência e desafios.
O grande desafio que enfrentamos hoje é cultural. A juventude moderna está fazendo todo o esforço para saber tudo que está acontecendo no mundo, mas não está fazendo nenhum esforço para entender a verdade fundamental da vida humana. Nenhum benefício provém de adquirir tal informação que não os conduz à meta da vida.
A inclusão dos adolescentes na solução de problemas colabora, não só para o desenvolvimento da auto-estima e da autonomia, mas contribui, também, para a organização e fortalecimento da sociedade. São exemplos desses ganhos, a melhoria do nível de informação e formação da população jovem, desenvolvimento de lideranças, solução de problemas e necessidades da comunidade, articulação e amadurecimento da sociedade civil, e construção de um novo imaginário social de cidadania - com base na responsabilidade, cooperação, solidariedade e compromisso.
O jovem não é apenas o beneficiado, mas, também, o promotor da transformação social.

O jovem de hoje reformulou seus conceitos, preocupa-se com a qualidade de vida embora, não desprezando a valorização do aspecto físico, característica de sua idade, num país que, já apontava, no final da década de 80 para uma população 40 milhões de pessoas com idade entre 15 e 29 anos (ECO, 1970: 135-138).
 

A juventude de hoje, segundo a pesquisa do Instituto AKATU (2002), não traz nem ligação com os ideais políticos pacifistas da década de 1960 nem o culto egoísta ao dinheiro que caracterizou os jovens urbanos de 1980, nem o vai-para-as-ruas dos cara-pintadas de 1990... é uma juventude às voltas com suas crises pessoais e profissionais dentro de uma crise econômica que vive nosso país.
O jovem é um sujeito em transformação, buscando sua completude, que está em condição de assimilar a cultura e, portanto, seu ponto de chegada é ser adulto: terminará por superar seu conflito de identidade e se integrará, sendo responsável por si mesmo.

2.1 O que é ser jovem na opinião dos jovens

A juventude é uma fase da vida, que deve ser refletida e vivida intensamente no seu tempo. Como seres humanos, somos chamados a nos relacionar com os outros e, neste relacionamento, a descobrir o sentido da vida (RUI ANTONIO DE SOUZA).

A juventude é um grupo chave em qualquer processo de transformação social, principalmente agora, que adolescentes são o grupo etário mais numeroso do país. Segundo dados do IBGE (BRASIL, 1999), “o Brasil tem hoje 34 milhões de jovens na faixa de 10 a 19 anos e, se o ritmo de crescimento da população for mantido, os adolescentes continuarão a ser o grupo etário predominante, pelo menos até o ano 2010”.
Mais do que nunca, aquilo que os jovens pensam, sentem, dizem e fazem, tem relevância não só para eles mesmos, mas para toda a sociedade. É o que evidenciaremos, a seguir, através dos relatos obtidos numa pesquisa, realizada informalmente, em 2006, no Instituto Estadual Rui Barbosa, município de São Luiz Gonzaga-RS/BR, com alunos do Ensino Fundamental e Médio, na disciplina de Ensino Religioso:
- CJ - “Para mim a juventude é uma etapa da vida por que todo mundo passa, é nesse período que devemos nos divertir e aproveitar que os compromissos não são muitos... Logo passa essa fase e, então, temos que já estar com a cabeça no lugar, com certeza do que queremos para o futuro... Ser jovem é algo lindo, inexplicável...”
- CB - “É a melhor idade, pois você passa do nível brincadeira pro nível adulto... Acontecem os primeiros relacionamentos afetivos, sexuais e outros... Você se prepara para ter uma vida mais fácil, você quase sempre luta pelo seu ideal e quer ser livre sem se incomodar com os pais e outras pessoas que estão ao seu redor...”
- PR - “Ser jovem é ser livre, fazer festas sempre com alegria no rosto, disposto a fazer o que vier tipo: chorar, rir, cantar, pular, ajudar... Ser jovem é deixar viver e ser vivido, curtir tudo o que faz...”
- MM - “Ser jovem é fazer festa, pegar garotas, tomar uns porres de vez em quando, tocar violão, fazer amigos, agitar, xaropiar os professores  de vez em quando...”
- RL - “Ser jovem é curtir a vida a cada momento, falando o que pensa, fazendo o que der vontade... Curtir, curtir e curtir enquanto temos a juventude que é a parte que mais marca em nossa vida, tempo de se descobrir...”
- JS - “Ser jovem para mim é viver todos os momentos da juventude intensamente! Ser feliz e aproveitar as oportunidades que surgem na vida... É sair com os amigos. É muito bom...”
- JA  - “Ser jovem é ter bons sonhos... É projetar um futuro maravilhoso sem levar em conta as possíveis e prováveis adversidades da vida... É ver beleza até mesmo na simplicidade; é contemplar tudo com a pureza e bondade do seu coração... Ser jovem é um estado de espírito!”
- TM - “Ser jovem é ser rebelde e rebelde. Pra mim, não é uma atitude. É um estilo de vida”.
- LH - “Ser feliz, responsável, educado, amado... Fazer festa... Estudar... Trabalhar...”
- LA - “... é curtir a vida ao máximo como se cada segundo fosse o último, pois a vida é curta e passageira, por isso não podemos perder nada de nossa juventude...”
- PC - “É plantar o amor mais singelo nos corações, sem mágoas, sem ressentimentos... É depositar confiança nos sentimentos que plenificam a rendição do jovem no caminho da realização... Ser jovem é amar e nem sempre ser correspondido...”
- CA - “É viver a sua vida, pois o tempo passa e nós mudamos, ficamos adultos e esquecemos como era bom ser jovem... Hoje em dia os jovens precisam estar de olhos bem abertos para tudo e para todos...”
- JFA - “Ser jovem é saber de um problema hoje e tentar arrumá-lo amanhã. Ter a rebeldia brotando com as espinhas... É a pessoa, com o poder de ratificar e retificar... Ou o jovem é corrompido pelo sistema e confirma-o, ou revela-se como um transformador potencial do mundo, apesar de que é o mesmo e sempre com o poder, basta usá-lo...”
- GDP - “Ser jovem é se preparar para a vida, curtir ela livremente, sem muita responsabilidade, mas sabendo que no futuro teremos que ser muito responsáveis... Então ser jovem para mim é um momento da vida que devemos aproveitar ao máximo, pois um dia passa...”
- JC - “Ser jovem é poder sonhar, poder dar os primeiros passos para a liberdade, é saber aproveitar a vida, é amar, é ter amigos, é saber encarar a vida de frente, saber que os jovens são o futuro de um país, é levar a vida a sério, mas também sair, se divertir, aproveitar... Ser jovem é viver... Amar... É ser feliz!”
- HP - “Ser jovem é a idade da gente se encontrar com a vida; é o desafio de lutar com toda a energia e tentar... e tentar de novo, conquistar o que quer. Resumindo, ser jovem, numa palavra, é REBELDIA”.
- DO - “É aproveitar a vida e curtir cada momento. É compartilhar sentimentos, se sentir livre e voar como pássaros. Por que depois que se casa ou se compromete com alguém, ficamos presos numa gaiola.”
- ETM - “É batalhar por tudo que encontramos. Ser jovem não é ter 15 anos. Ser jovem é continuar conhecendo o amor!!!”

2.2 O que os jovens pensam ...
Sobre Perseverança: “Às vezes, é ser muito simples, às vezes, muito complicado. Enfim, ser jovem é simplesmente complicado” (L.G.N., turma 73).
Sobre Harmonia: “É procurar a felicidade em tudo o que fazemos, aprender a viver com o que temos e persistir em nossos objetivos para a concretização de nossos sonhos” (T.C. da S. Turma 102).
Sobre Simplicidade: “Ser feliz, fazer as coisas de que mais gosta: estudar, dançar, sair, beijar... Mas, antes tem que pensar bem, para não fazer bobagem” (P.R.R., turma 102).
Sobre Confiança: “Curtir a vida, criar responsabilidades, ter sensação de liberdade, fazer o que der vontade, e principalmente saber que o futuro depende do presente” (E.C.M., turma 301).
Sobre Responsabilidade: “Ser jovem é ter toda a sabedoria do mundo e não saber nada ao mesmo tempo. É querer sair para todos os tipos de festas e os pais não deixarem. É querer comprar todas as roupas da moda e ter que repetir o velho jeans. É querer, simplesmente, curtir a vida e se deparar com a oferta de bebidas alcoólicas e drogas” (F.M., turma 101).
Sobre Sexo: “A sexualidade é algo para ser vivido livremente, sem medos, sem preconceitos, mas na hora certa para cada um. O jeito de vivê-la é você quem decide e não os outros” (E.C.M., turma 301).
Sobre Maturidade: “Tem adultos que nos pedem para crescermos, muitas vezes nos repreendem, dizendo que somos crianças demais para realizar certas coisas ou falar sobre certos assuntos. Tem vezes que nós é que os surpreendemos com nossa maturidade!” (A.C., turma 83).
Sobre Momento: “Aproveitar a vida com as pequenas coisas, os pequenos momentos, as pequenas conquistas... É uma fase maravilhosa que vai marcar nossa memória para sempre! Eu adoro ser JOVEM!!!” (D.L.M., turma 102).
Sobre Futuro: “Juventude é uma época de transformações, um período de confrontos com todo o mundo. Ser jovem é a vida em movimento, quando a imaginação e os pensamentos sobre o futuro são constantes” (L.M., turma 101).
Sobre Valores: “Ser jovem é ser uma pessoa leve, feliz, ética, alegre, sincera... Ser jovem não tem idade, você pode ser uma pessoa vivida, mas tendo valores, você conserva eternamente sua juventude” (M.H.S., turma 101).
Os Jovens Amam: Ouvir música. Cantar. Dançar. Família. Sair. Clube. Beijar. Festas. Se Apaixonar. Escola. Conversar. Curtir seu cantinho. Estar com a Turma. Criar o próprio estilo.
Os Jovens Detestam: Acordar cedo. Falsidade. Inveja. Espinhas. Aulas monótonas. Pagar micos. Hipocrisia. Gente convencida. Falta de educação. Tpm. Pessoas que jogam lixo na rua.
Os Jovens Lêem: Código Da Vinci (Dan Brown). Harry Potter (Jk Rowlin). O Pequeno Príncipe (Saint Exupéry). Maktub (Paulo Coelho). Mãe, Você Não Tá Entendendo (Luiza Perissé). Não Faça Tempestade em Copo D’água (Richard Carlson). O Sucesso É Ser Feliz (Roberto Shinyashiki).
Os Jovens Assistem: Pânico na TV. Vídeo Show. Malhação. Rebeldes. Patrola. Globo Esportes. Altas Horas. Caldeirão do Huck. JORNAIS.


3 Considerações finais

Considerando que a representatividade populacional da juventude é extensa e as ações pensadas para esse público ainda não atendem a todos, a verdadeira batalha pelo futuro deve ser travada em torno da construção de alternativas, oportunidades, escolaridade, capacitação e inclusão social desses jovens..
Quem ama, ensina o outro a ser ele mesmo; não reprime; coloca limites sem provocar traumas e garante-lhe a liberdade. Os jovens precisam de pessoas que acreditem neles, que valorizem suas capacidades e possibilidades, que respeitem sua autenticidade e lhes ensinem a viver com os pés no chão. O jovem sente a necessidade de buscar sua identidade, seu verdadeiro eu. Mas, muitas vezes, para serem amados e aceitos, encaixam-se nos padrões estabelecidos pelo grupo e acabam se anulando. Deixam de ser quem são, deixam de ser jovens.
A vida, no entanto, precisa ser vivida da melhor forma possível. E os jovens são aprendizes, estão em construção. A história do jovem é um processo de mudança constante; querem curtir a vida e sabem que as regras, ao invés de os aprisionarem, mostram que é preciso ter segurança para viver a liberdade.
O filósofo Gabriel Marcel diz que “A vida não é um problema a ser resolvido, mas um mistério a ser celebrado!” O jovem precisa ser visto não como um objeto a estudar ou um problema a ser resolvido, mas sim como uma presença, um Ser, uma Pessoa, um mistério a ser contemplado e celebrado. “[...] A vida é como um livro. A juventude precisa ser bem curtida e escrita”.
... Ser jovem é sonhar, sempre!

4 Referências bibliográficas

BRANCO, Cíntia Andrade. Imagem: a comunicação visual, os modelos de representação e as relações sociais do jovem contemporâneo. NUCOM – Núcleo de Comunicação. Limeira. São Paulo/SP, Ano 1, nº 5. Disponível em: <www.akatu.com.br>. Acesso em: 27 ago. 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Área de Saúde do Adolescente e do Jovem. Cadernos, juventude saúde e desenvolvimento, v.1. Brasília, DF, agosto, 1999. 303p.

CARVALHO, Cynthia Paes; OLIVEIRA, Miguel Darcy. Centros de voluntários - transformando necessidades em oportunidades de ação. Rio de Janeiro: Programa Voluntários, 1998.

CENTRO INTERAMERICANO DE INVESTGACION Y DOCUMENTACÍON SOBRE FORMACION PROFISIONAL. Juventude brasileira: um estudo preliminar (capítulo 3: população jovem) Disponível em: <http://www.cinterfor.org.uy/public/spanish/region/ampro/cinterfor/temas/youth/doc/not/libro61/iii/i/>. Acesso em: 26 ago. 2007.

ECO, Umberto. Apocalípticos e Integrados. São Paulo: Perspectiva, 1970.

ESPAÇO JOVEM. O que significa ser jovem hoje? Disponível em: <amaivos.uol.com.br/templates/amaivos/amaivos07/noticia/noticia.asp?cod_noticia=622&cod_canal=31>. Acesso em: 26 ago. 2007.
NUNES, Elisangela. Ser Jovem. Fórum Juventude. 11/02/2004. Disponível em: <www.projetojuventude.org.br>. Acesso em: 26 ago. 2007.

SILVA, David da; FONSECA, Natasha. Ser jovem é ter arte de inventar... Porque pra ser feliz a gente inventa! Rede Juventude Cidadã. Artigos. Disponível em: <www.juventude.org.br/conteudo/artigos/Ser%20_jovem_ter_arte_de_inventar.asp>. Acesso em: 27 ago. 2007.
Solange da Cruz Battirola
Enviado por Solange da Cruz Battirola em 15/12/2008
Código do texto: T1336028

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Solange da Cruz Battirola
São Luiz Gonzaga - Rio Grande do Sul - Brasil
39 textos (170340 leituras)
3 áudios (2046 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/12/14 22:52)
Solange da Cruz Battirola



Rádio Poética