Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DEUS NÃO É BRASILEIRO, MAS, O ASTRONAUTA SIM!

Neil Armstrong ao assistir o lançamento da nave espacial russa Soyuz, sorri como a quem assiste a um episódio cômico, a ida do Homo Sapiens Brasilis, vulgo Marcos Pontes, que está prestes a ser canonizado por ser o primeiro astronauta brasileiro a ir ao espaço. Aqui nos trópicos é assim, os primeiros são canonizados ou beatificados, coisas de um “povin” místico maltratado pelas mazelas e desmandos de um sistema político corrupto e ineficiente em tudo, menos na arte dos Ali Babás...

Santos Dumont inventou o avião?! E por um motivo inusitado a mídia criou o primeiro astronauta brasileiro, mais um marketing a um custo chinfrim de R$ 10.000.000,00 pagos pelo governo Lula de um Brasil Para Todos, que o colocou à bordo da nave Soyuz, para mais um golpe de propaganda, já que não há notícia de resultados científicos relevantes alcançados na viagem sideral. Talvez a resposta rápida e imediata fosse uma possível rota de desvio dos velhos novos problemas de escândalos e corrupções. Há os que se orgulham, pois, amanhã o nosso astronauta estampará livros didáticos e revistas que discutirão quais os benefícios que o nosso homem do espaço trouxe enquanto olhava admirado e assustado a beleza inigualável de nosso planeta. Não consigo conceber qual o benefício da ida do nosso astronauta ao espaço. Não temos tecnologia que acompanhe as grandes potências, a Base de Alcântara é uma fábula para gringos verem e se deliciarem, afinal o dólar deles paga o mingau de poucos esfomeados pelo poder e suas benesses.

Enquanto assistia nos jornais a aterrissagem da sonda espacial, me veio a triste constatação de que nascia um ícone e morria um cidadão. Será badalado, fotografado, entrevistado, contará estórias de “astronauta-pescador-espacial”, terá idéias e teorias de como devemos proceder para entrar de vez na corrida espacial, pois, a China já está a anos luz de nós. Se isso chegar a acontecer devemos lembrar-lhe que no caso da China eles não trabalharam com teorias, foram mais de 10 anos de investimentos em massa começando pela educação.

Enquanto isso aqui nos trópicos vivemos a realidade imaginando um espaço abstrato que só existe na ficção científica. Mas, de qualquer já visualizado o nosso Astronauta ou Cosmonauta de Mármore, que ao desfilar em carro de Corpo de Bombeiros ao invés de ouvir os gritos de felicitações do cortejo na sua cabeça estará ouvindo Nenhum de Nós, e sua eterna trilha sonora “a trajetória escapa o risco nu, as nuvens queimam o céu nariz azul, desculpe estranho eu voltei mais puro do céu”.
Natalino Oliveira
Enviado por Natalino Oliveira em 28/04/2006
Reeditado em 09/10/2013
Código do texto: T146918
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Natalino Oliveira
Aparecida de Goiânia - Goiás - Brasil
29 textos (2315 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 04:59)
Natalino Oliveira