Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A TOTALIDADE DA CRIANÇA E OS MOVIMENTOS ( REPUBLICADO)

A TOTALIDADE DA CRIANÇA E OS MOVIMENTOS

William Pereira da Silva

Do que mais precisa uma criança? Aparentemente a resposta é muito fácil de deduzir. Ela precisa de alimentação adequada, carinho, afeto, amor, brinquedos, espaços livres. Mas para ter e fazer tudo isso de que realmente ela precisa? Matou a charada? Não?  É algo que sem ele ela não sobreviveria. É tão importante ou mais quanto o alimento e o afeto, sem ele a vida dela seria pura letargia. Estamos falando DOS MOVIMENTOS que dão vida e satisfaz todas as necessidades e desejos de uma criança. O que seria de uma criança sem os movimentos? Como ela se alimentaria? Mostraria seus sentimentos? Como iria satisfazer suas necessidades básicas de chorar, mamar, pegar, segurar, engatinhar, andar, correr, pular, saltar, rolar, subir, dependurar, pedalar, nadar, girar, dançar, cantar, pintar, escrever, desenhar, soprar, tocar instrumentos musicais? Tudo, tudo o que ela faz e necessita só consegue através dos MOVIMENTOS CORPORAIS.
OS MOVIMENTOS dão liberdade à criança de viver seu mundo com mais prazer ampliando sua capacidade de locomoção e exploração do mundo ao seu redor, dando a elas maiores conhecimento do seu corpo e desenvolvendo sua inteligência. Quanto mais movimentos e exploração do mundo, mais a criança tem suas capacidades cognitivas, afetivo-social e motora elevada a um nível de qualidade melhor.
A comunidade e a escola em particular esta satisfazendo as necessidades de MOVIMENTOS das crianças? Estaria a escola cumprindo o seu papel de educar as crianças em sua plenitude envolvendo os sentimentos, as emoções, a inteligência e suas necessidades motoras? Certamente se bem espreitares, todos irá ver e responderiam com um sonoro NÃO! A preocupação maior é somente com a mente, o cognitivo e o resto do corpo são esquecidos.
As escolas verdadeiramente não estão cumprindo sua parte no que tange a educação dos movimentos corporais dos alunos nas suas diversas etapas do desenvolvimento motor nos respectivos níveis de ensino desde o maternal até o fundamental. Os professores de Educação Física que deveriam ser valorizados, incentivados, preparados, são tratados justamente ao contrario, não sendo ouvidos nem aceito suas idéias, projetos, experiências e todo valor profissional que os mesmos deveriam ter no âmbito educacional. È um grande erro e falta de sensibilidade dos dirigentes da educação principalmente em Mossoró, tanto na rede pública municipal e estadual de ensino. Não vemos um projeto sequer ser implantado e desenvolvido pelos órgãos públicos onde as crianças tenham seus movimentos corporais desenvolvidos em sua plenitude e feita uma avaliação rigorosa dos danos causados à saúde das crianças pela falta da educação motora.
Os professores de Educação Física sempre cumpriram o seu papel de mostrar como trabalhar os movimentos corporais em todos os níveis de ensino, principalmente no ensino pré-escolar e fundamental onde projetos foram implantados na rede municipal e estadual e inconsequentemente sem nenhum estudo ou avaliação estes projetos foram retirados do âmbito escolar. Tivemos um projeto Riquíssimo implantado na década de oitenta e inicio de noventa na rede municipal onde a Educação Psicomotora  fazia parte da educação física das crianças. Projeto este apresentado de forma brilhante pelo Professor de Educação Física Djalma Frota tendo respaldo de toda comunidade acadêmica e profissional da educação física, projeto que devemos resgatar e tornar viável sua execução na rede pública de ensino.
Torna-se necessário a compreensão dos(as) dirigentes da educação para entender
que nem só de politicagem vive a educação, eles não são  sozinhos os donos do saber e do poder, “algumas coisas mudam e são temporárias”, mas  a educação, esta sim é eterna e precisa de pessoas  sábias que compreendam o seu valor para a história da sociedade humana.
 A Educação Física, única disciplina escolar cujo objeto de estudo e aplicação é o movimento, não tem tido espaço físico e, principalmente espaço político-pedagógico nas escolas. Normalmente a escola não conta com professores especializados, sob a alegação de que as aulas devem ser ministradas pela regente de classe. Por outro lado, a regente não adquiriu conhecimento suficiente em seu curso de formação para tratar as questões do movimento. E quem sofre as conseqüências é a criança. Ressalta a professora de Prática de ensino de Educação Física, da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Eustáquia Salvadora de Souza.
Os antigos já tinham uma concepção sobre a necessidade de ver o corpo como um todo, de ver que todas as partes precisam uma da outra, não pode separar suas partes para educá-los temos de tratá-lo como um só corpo. Vejamos o que a carta aos I CORINTIOS escrita a mais de dois mil anos relata, sintam a riqueza nos detalhes em mostrar que devemos ver  o corpo como uma unidade:
»I CORINTIOS [12]
12 Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo.
13 Pois em um só Espírito fomos todos nós batizados em um só corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos quer livres; e a todos nós foi dado beber de um só Espírito.
14 Porque também o corpo não é um membro, mas muitos.
15 Se o pé disser: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixará de ser do corpo.
16 E se a orelha disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixará de ser do corpo.
17 Se o corpo todo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde estaria o olfato?
18 Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis.
19 E, se todos fosse um só membro, onde estaria o corpo?
20 Agora, porém, há muitos membros, mas um só corpo.
21 E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós.
22 Antes, os membros do corpo que parecem ser mais fracos são necessários;
23 e os membros do corpo que reputamos serem menos honrados, a esses revestimos com muito mais honra; e os que em nós não são decorosos têm muito mais decoro,
24 ao passo que os decorosos não têm necessidade disso. Mas Deus assim formou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela,
25 para que não haja divisão no corpo, mas que os membros tenham igual cuidado uns dos outros.
26 De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele.
27 Ora, vós sois corpo de Cristo, e individualmente seus membros.
Então senhores(as) dirigentes da educação vamos seguir os ensinamentos bíblicos e tratar as crianças como tendo um corpo inteiro e não só a cabeça  desenvolvendo somente a parte cognitiva. Viva o corpo inteiro. Viva os movimentos. Viva a Educação Física.
PROFESSOR WILLIAM PEREIRA DA SILVA
Enviado por PROFESSOR WILLIAM PEREIRA DA SILVA em 13/04/2009
Código do texto: T1537202
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
PROFESSOR WILLIAM PEREIRA DA SILVA
Mossoró - Rio Grande do Norte - Brasil, 55 anos
326 textos (268251 leituras)
2 e-livros (853 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/11/14 22:01)
PROFESSOR WILLIAM PEREIRA DA SILVA



Rádio Poética