CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Projeto Capacitação de Professores

1. APRESENTAÇÃO

A globalização e a revolução tecnológica têm causado um enorme impacto em todos os setores de nossa sociedade, criando um novo padrão de conhecimento.

Assim, todas as mudanças ocorridas a partir desse novo cenário fizeram surgir muitas pressões sobre a Escola e sobre os profissionais que nela atuam, e, consequentemente, para o direcionamento das políticas educacionais.

O que se vê atualmente é um momento histórico onde as maneiras de se perceber o mundo a nossa volta são abruptamente diversas das formas vivenciadas pelas gerações passadas e, certamente, daquelas da grande maioria dos professores que ministram aulas no presente.

Então, faz parte desse contexto recente o aumento de investimentos no processo de melhoria da qualidade da Educação. Então, para alcançar tal qualidade a Educação está focada na inclusão e baseia-se na efetiva aprendizagem das competências, habilidades e conhecimentos necessários para plena cidadania.

A Educação de hoje valoriza a autonomia intelectual e a possibilidade de acesso a níveis mais elevados de escolarização com melhor aproveitamento em cada nível e à condições dignas de inserção produtiva. Por isso, em todo país têm sido criados inúmeros “Programas de Formação Continuada” de professores e dos demais colaboradores da Escola,

Diante disso, surgiu o “Projeto Capacitação de Professores” como uma proposta de trabalho da Secretaria Muncipal de Educação que visa promover a melhoria da qualidade do Ensino oferecido neste município, através de capacitação dos profissionais em diversas áreas, tais como: Educação Ambiental, Educação para o Trânsito, Educação Sexual, Artes, entre outras.

Destacamos que as ações de “Formação Continuada” desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Educação, por meio do “Projeto Capacitação de Professores”, tem foco na preparação dos trabalhadores em Educação para o desenvolvimento humano e social dos educandos de nossa cidade, tendo como referencial as diferentes fases da vida, em sua diversidade.

Informo, ainda, que o presente Projeto se espelha em bons trabalhos realizados no Estado do Tocantins, especialmente no Programa Pró-Funcionário da Secretaria Estadual de Educação (SEDUC), e nas experiências bem sucedidas da Secretaria Municipal de Educação e Desporto (SEMED), do munícipio de Gurupi.


2. OBJETIVOS

2.1 OBJETIVO GERAL

- Capacitar profissionais de Educação das Escolas municipais para contribuir com a melhoria dos indicadores do Ensino local, servindo dessa maneira para a formação integral das crianças e adolescentes, proporcionando-lhes capacidade de enfrentar os desafios e as adversidades sociais da atualidade.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Proporcionar aos profissionais da Educação por meio de diversas atividades a aquisição e construção crítica de conhecimentos, habilidades e valores, contribuindo assim para que se tornem competentes e se qualifiquem como pessoas, como cidadãos e como gestores de um determinado espaço escolar;

- Discutir e desenvolver práticas pedagógicas eficazes que permitam o trabalho didático com estudantes do Ensino Fundamental;

- Capacitar e aperfeiçoar os profissionais da Educação para que possam passar aos alunos conhecimentos diversos ligados aos temas tranversais (Meio Ambiente, Trânsito, Sexualidade etc.), proporcionando a reflexão sobre a importância dos mesmos na formação de crianças e adolescentes;

- Aprimorar e capacitar profissionais que atuam nas bibliotecas da Rede Municipal de Ensino para que conheçam novas formas de estimular a busca pela informação bibliográfica como método de ensino, favorecendo a promoção da cultura, das artes e das ciências de modo geral;

- Proporcionar um conjunto de atividades teórico-práticas, investigativas e reflexivas para a formação de servidores que atuam na Alimentação Escolar.


3. JUSTIFICATIVA

Atualmente a Educação Brasileira passa por uma fase bem peculiar em que é patente o direcionamento das políticas públicas com foco na progressiva universalização do acesso com qualidade a todos os níveis e modalidades de Ensino.

Hoje, mais do que nunca se sabe que somente por meio da Educação é possível diminuir as desigualdades sociais, o que exige, portanto, que a Escola, com seus professores e demais funcionários, não seja mais vista apenas como um conjunto de partes desconexas, que atuam de forma isolada. Mas, muito pelo contrário, pois a Escola deve ser vivida como uma unidade complexa, um sistema dinâmico, um ambiente em constante interação com os agentes de mudanças locais, regionais, nacional e internacional, sempre usando e valorizando os valores e a cultura local.

A melhoria dos indicadores educacionais só é possível pelo desenvolvimento de ações focadas no alcance de metas estabelecidas para o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), que, entre outras coisas, se relacionam à “Formação Continuada” dos profissionais do Ensino.

Por isso mesmo é primordial a capacitação profissional de todos os servidores ligados à Educação de nosso município, na busca por um Ensino adequado às mudanças, transformações e realidades presentes em nossa sociedade !!!


4. PARCEIROS DO PROJETO

O “Projeto Capacitação de Professores” será executado pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Educação, e terá duração específica, pois será executado no primeiro semestre do ano, com uma programação definida entre a equipe de Supervisão Pedagógica da Secretaria e a direção das Escolas municipais.

Aqui estão relacionados os principais parceiros desse “Projeto Capacitação de Professores”. É relevante dizer que cada um deles executa ações relacionadas às metas e aos objetivos propostos.
 
- Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA);
- Órgão Estadual de Meio Ambiente (OEMA);
- Secretaria Municipal de Trânsito e Segurança (SMTS);
- Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN);
- Secretaria Municipal de Cultura;
- Banda de Música da Polícia Militar;
- Associação Municipal de Artistas, Artesãos e Músicos;
- Secretaria Municipal de Saúde;
- Universidades e Faculdades Locais.


5. AÇÕES DESENVOLVIDAS

O “Projeto Capacitação de Professores” será desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação, no primeiro semestre do ano, conforme cronograma anexo ao final do presente trabalho.

A equipe de Supervisão Pedagógica será responsável pelo andamento do presente Projeto e contará para isso com a colaboração de diversos parceiros. É missão da equipe pedagógica da Secretaria Municipal de Educação a implementação do desenvolvimento da política de “Formação Continuada” dos profissionais da educação da Rede Municipal de Ensino.

Lembramos mais uma vez que a equipe pedagógica responsavél pela execução da presente proposta é formada por profissionais com ampla experiência de atuação prática em Unidades Escolares de nosso município e são, também, profundos conhecedores de trabalhos e estudos que abordam o valor e relevância da “Formação Continuada”. Ademais, conforme dito anteriormente tal proposta será executada com a colaboração dos melhores profissionais de nosso município, que apresentam conhecimentos valorosos em cada tema espécifico das Oficinas propostas.

Assim, após as etapas iniciais de planejamento, sensibilização dos parceiros e preparação dos materiais, haverá a selecão do público que participará efetivamente das capacitações, que ocorrerão por meio de “Oficinas temáticas”, com atividades diversas a serem desenvolvidas na forma presencial. Informamos, ainda, que em cada Oficina serão apresentados modelos de Projetos que poderão ser usados pelos participantes como referência em suas respectivas Escolas.

É sabido que a qualificação profissional envolve, entre tantas coisas, a promoção de alternativas que possibilitem melhores condições de atuação para os professores e demais servidores da Escola. Então, deve-se respeitar as práticas pedagógicas e demais formas de atuação já desenvolvidas ao longo da experiência profissional de cada um dos envolvidos. Assim, a concepção de “Formação Continuada” que embasa o “Projeto Capacitação de Professores” tem como referência as condições sociais, psicológicas, culturais, históricas e cognitivas daqueles que atuam nas Escolas da Rede Municipal de Ensino.

Cada “Oficina” terá duração de 5 (cinco) dias, de segunda a sexta-feira, com turmas de 20 (vinte) a 30 (trinta) servidores oriundos de todas as Escolas da Rede Municipal de Ensino. A carga horária diária será de 4 (quatro) horas, das 14:00 às 18:00 horas, e a carga total da capacitação será de 20 (vinte) horas.

Estão previstas 7 (sete) “Oficinas temáticas” que abordarão os seguintes temas: (1) Educação Ambiental, (2) Educação para o Trânsito, (3) Eduação Sexual, (4) Jogos e Brincadeiras, (5) Artes, (6) Biblioteca, e (7) Merenda Escolar.

A direção de cada Escola poderá encaminhar, por meio de ofício, a relação contendo até 2 (dois) nomes de servidores para cada uma das 7 (sete) Oficinas propostas. Dessa forma, cada Escola poderá encaminhar até 14 (catorze) servidores. Essa “Formação Continuada” não está restrita unicamente aos professores; pois tal trabalho vai muito além disso ao englobar todos os servidores que atuam na Escola, quer sejam profissionais do magistério, bem como todos os profissionais do corpo administrativo. É notório que que todos os envolvidos, direta ou indiretamente, com a promoção da aprendizagem, com qualidade social, têm o direito à “Formação Contínua”.

Em cada “Oficina temática” serão utilizadas técnicas e estratégias pedagógicas diversas, como por exemplo: aulas discursivas, dinâmicas, jogos, brincadeiras, simulações, exercícios em grupos, sempre com foco na participação, reflexão e revisão de valores e posturas, bem como para reconstrução e compreensão de significados e conceitos.

As pautas de cada “Oficina” serão desenvolvidas pela equipe de Supervisão Pedagógica da Secretaria Municipal de Educação em parceria com os diversos profissionais que irão ministrar as capacitações, de acordo com cada área de conhecimento.

Sabemos que o aprendizado é um processo ativo, que perpassa pela interpretação e compreensão da realidade. A construção do saber implica na reconfiguração permanente de nossos conhecimentos e é influenciado pelas diversas experiências do dia-a-dia que nos trazem novos significados e valores. Diante dessa compreensão, destacamos que as atividades a serem desenvolvidas nas Oficinas propostas terão como meta a incorporação desses conhecimentos, visando a formação dos profissionais de nossa Escolas para um novo padrão de conhecimento.

Queremos com tudo isso, auxiliar na formação que deixe um pouco de lado o “discursivo” e que seja mais focada na valorização do comportamento “mais operativo”. Por isso, todas as programações propostas pelo presente Projeto terão como meta a promoção de conhecimentos “menos particularizados e teóricos”, pois queremos que tais momentos sejam realmente interativos, com enfoque “mais abrangente possível” e “centrado nos valores e nas atitudes”.

Logo a seguir, serão apresentadas com detalhes as informações e conteúdos referentes a cada uma das 7 (sete) Oficinas temáticas.

A – OFICINA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

É função da Escola usar intensamente o tema “meio ambiente” de forma transversal através de ações reflexivas, práticas ou teóricas, para que o aluno possa aprender a amar e respeitar tudo que está a sua volta, incorporando dessa maneira, desde a mais tenra idade, a responsabilidade e respeito para com a natureza.

Esse é o papel da Educação Ambiental que, além de tratar de assuntos relacionados à proteção e uso racional dos recursos naturais (solo, ar, água, flora e fauna), também deve estar focada na proposição de idéias e princípios que possibilitem a construção de um mundo sustentável.
A Lei Federal nº 9.795, de 27 de abril de 1999, através de artigo 2° diz: "A Educação Ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não-formal”.

Assim, após trabalhar tal tema nessa Oficina, será apresentado aos participantes o “Projeto Educação Ambiental na Escola”, que poderá ser um norte do trabalho a ser desenvolvido nas Escolas de nosso município. O referido Projeto se encontra referenciado ao final desse trabalho e pode ser acessado no seguinte endereço: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1112201

É importante destacar que os diversos “Projetos” aqui indicados são apenas um referêncial para os professores e demais funcionários que participarão das Oficinas, por que sabemos que cada um deles deverá sofrer alterções e adaptações de acordo com a realidade de cada Unidade Escolar. E, ademais, relembramos que o desenvolvimento dessas propostas deverá ocorrer sempre com o apoio e assessoramento contínuo e permanente por parte da equipe pedagógica da Secretaria Municipal de Educação.


B – OFICINA DE EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO

Por meio da “Educação para o Trânsito” a equipe de professores das Escolas municipais poderá desenvolver valores essenciais à vida plena e à convivência socialmente justa.

Assim, essa Oficina terá como abordagem os seguintes assuntos: (1) a historia dos meios de transportes aéreos, aquáticos e terrestres; (2) Identificar a Educação para o Trânsito como fator de segurança pessoal e coletiva; (3) apresentar estratégias e atividades pedagógicas teóricas e práticas que abordem a formação de comportamentos que proporcionem segurança no trânsito e os comportamentos que proporcionem ou comprometem essa segurança dos educandos; (4) tratar das normas previstas no Código Nacional de Trânsito; (5) trazer noções de primeiros socorros para a sala de aual; e (6) demonstrar ao professor como trabalhar as virtudes importantes na vida em sociedade que estão relacionadas ao trânsito, tais como: paciência, tolerância, responsabilidade, coleguismo, humildade etc.

Ao final dessa Oficina, será apresentado o “Projeto Trânsito na Escola”, que pode ser acessado no seguinte endereço: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1539000


C – OFICINA DE EDUCAÇÃO SEXUAL

A sexualidade é um tema importante que deve ser trabalho de forma transversal, envolvendo todos os profissionais da Escola. Assim, os participantes dessa Oficina devem usar os conhecimentos adquiridos, cruzando tais informações com suas vivências, para trabalhar em Sala de Aula os assuntos ligados à Sexualidade, focando a participação, discussão e reflexão dos indivíduos em torno das questões que emergem do cotidiano.

Assim, por meio do conteúdo pedagógico a Educação Sexual será usada de forma plena como uma abordagem multidisciplinar para formação de crianças e adolescentes de nosso município.

Nessa Oficina de Educação Sexual serão ensinados a cada um dos participantes as técnicas de confecção e manipulação de bonecas, seguindo o exemplo do trabalho desenvolvido pela equipe de profissionais da Coordenadoria em Diversidade da Diretoria Regional de Ensino de Gurupi, sul do Tocantins, especialmente das professoras Eliane Iara Alebrandt dos Santos e Maria Lúcia L. de Barcelos.


D – OFICINA DE JOGOS E BRINCADEIRAS

Serão repassados diversos exemplos de jogos, brincadeiras e atividades lúdicas que podem ser trabalhadas em Sala de aula, especialmente pelo professor de Educação Física.

Ao final dessa Oficina será apresentado o “Projeto Festival de Pipa”, que pode ser acessado no seguinte endereço: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1444428


E – OFICINA DE ARTES

As Artes, assim como o “meio ambiente”, a “educação para o trânsito” e a “sexualidade”, devem ser trabalhadas de forma transdiciplinar, por todos os professores.

Ao final dessa Oficina serão apresentados 5 (cinco) Projetos, que são: (1) Projeto Cinema na Escola, (2) Projeto Festival de Dança, (3) Projeto Festival de Forró, (4) Projeto Festival de Louvor, e (5) Projeto Capoeira Viva, que podem ser acessados no seguinte endereço: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1557772


F – OFICINA DE BIBLIOTECA

Essa Oficina terá a missão de possibilitar a construção de conhecimentos, saberes, valores e habilidades que credenciam profissional de educação para educar e fazer a gestão dos espaços e ambientes de comunicação e tecnologia na Escola.

Assim, espera-se, então, que esta formação profissional propicie as seguintes competências específicas: (1) conhecer os conceitos básicos e as diversas teorias no campo da comunicação; (2) ter familiaridade com os principais jornais diários e revistas semanais do Brasil, bem como saber produzir mídia impressa (jornal de escola, por exemplo); (3) dominar os fundamentos das linguagens audiovisuais de comunicação: teatro, fotografia, cinema, rádio, tevê e internet; (4) entender e dominar o conceito de mídia educativa e seus desdobramentos na produção de livros didáticos, de programas de rádio, de tevê e de vídeos educativos; (5) conhecer as questões básicas referentes ao livro: produção, edição, classificação, catalogação; (6) dominar os aspectos operacionais de bibliotecas escolares, inclusive da captação de títulos didáticos, literários e científicos, relacionados ao desenvolvimento do currículo da educação básica; (7) gerenciar bibliotecas e videotecas escolares de pequeno e médio portes, supervisionado por profissionais habilitados em biblioteconomia; e (8) conhecer os fundamentos das expressões culturais que integram os conteúdos curriculares da educação básica e dominar as funções e gestão de seus espaços físicos: auditórios, teatros, cinemas, salas de vídeo, salas de dança, galerias de exposições de arte, museus.

Relembramos que todas essas competências só poderão ser adquiridas e construídas com estudos teórico-práticos. Por isso, ressaltamos que tal proposta se baseia fundamentalmente no bem sucedido trabalho do Progrma Pró-Funcionário do Governo Federal.


G – OFICINA DE MERENDA ESCOLAR

Essa Oficina terá como meta a formação de conhecimentos, saberes, valores e habilidades que credenciam o particpante a fazer a gestão do espaço educativo de alimentação escolar.

Espera-se, então, que esta formação profissional propicie as seguintes competências específicas: (1) preparar cardápios escolares de alto valor nutritivo, baixo custo, preparo rápido e sabor regionalizado e sazonal; (2) dominar os principais conhecimentos da profissão, integrando os conhecimentos científicos e tecnológicos transmitidos e produzidos, além de ressignificar a sua experiência profissional; (3) conhecer na teoria e na prática os valores nutricionais dos alimentos, à luz dos aportes da química e da biologia, bem como a oferta regional de nutrientes de origem animal, vegetal e mineral em suas variações culinárias; (4) conhecer os fundamentos e as práticas da educação alimentar nas diferentes fases da vida humana, bem como nas situações familiar, pessoal e escolar; (5) diagnosticar na escola casos de subnutrição, obesidade e outros estados que exigem processo de reeducação alimentar; (6) conhecer várias opções de receitas e de preparação de alimentos compatíveis com as refeições escolares, a partir da oferta regional e das estações do ano; e (7) ter conhecimento teórico e prático do manejo de hortas domiciliares e escolares, como suporte parcial dos insumos da merenda escolar;

Assim como na Oficina anterior, essa proposta se baseia principalmente no bem sucedido trabalho do Progrma Pró-Funcionário do Governo Federal, que encontra-se referenciado ao final desse Projeto.


6. RECURSOS HUMANOS, MATERIAIS E FINANCEIROS

Nesse tópico estão incluídos todos os recursos humanos, materiais e financeiros previstos para serem utilizados nas ações propostas. Destacamos que o quantitativo de tais recursos previstos pode sofrer pequenas variações ao longo da execução das ações, pois acreditamos que à medida que os resultados das primeiras ações forem chegando, conseguiremos o envolvimento de mais recursos humanos, o que, caso ocorra, certamente será favorável para a ampliação também dos recursos materiais e financeiros.

Informamos ainda que o item recursos humanos se refere apenas às pessoas que estarão executando as ações propostas, o que não inclui toda a parcela da comunidade que será atingida pelo presente “Projeto Capacitação de Professores”. Dessa forma, não há previsão para gastos adicionais com recursos humanos (como por exemplo com a contratação de prestadores de serviço), pois a maioria dos profissionais envolvidos já são servidores públicos da Escola ou das entidades e órgãos parceiros.

Assim, os gastos financeiros só serão aplicados na produção e aquisição de recursos materiais, que estão detalhadamente descritos a seguir.

6.1 RECURSOS HUMANOS

- Equipe de Supervisão Pedagógica da Secretaria Municipal de Educaçao;
- Equipe administrativa das Escolas municipais;
- Representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente;
- Representantes do Órgão Estadual de Meio Ambiente (OEMA);
- Representantes da Secretaria Municipal de Trânsito e Segurança;
- Representantes do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN);
- Representantes da Secretaria Municipal de Cultura;
- Músicos da Banda de Música da Polícia Militar;
- Membros da Associação Municipal de Artistas, Artesãos e Músicos;
- Representantes da Secretaria Municipal de Saúde;
- Pesquisadores e professores das Universidades e Faculdades Locais.


6.2 RECURSOS MATERIAIS E FINANCEIROS

Para a realização das Oficinas serão usados diversos materias didáticos e de apoio, que estão relacionados logo a seguir.

- MATERIAL DE APOIO:

Em cada uma das 7 (sete) Oficinas serão usados equipamentos de apoio que fazem parte do patrimônio da Secretaria Municipal de Educação, o que, consequentemente, não trará custos adicionais ao Projeto.

- Aparelho de Data Show e computador portátil;
- Equipamento de som, com caixas e microfone;
- Aparelho de DVD e televisor tela plana;
- Máquina fotográfica;
- Maquina de Costura (Tipo overlok).;

A seguir são apresentados os materiais necessários ao andamento de cada uma das Oficinas, e que devem gerar custos financeiros para a Secretaria Municipal de Educação. Informamos que optamos pela apresentação de tais itens e os seus respectivos custo usando quadros, por que consideramos que assim haverá uma melhor compreensão dos dados.

A – OFICINA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Tabela 1. Custos do material usado na Oficina de Educação Ambiental
Item ------------ Quantidade ---- Valor Unitário R$ -- Valor total R$ --
Xérox de textos --- 1.000 cópias ----- 0,12 --------- 120,00 ------
Encadernações ---- 30 unidades ----- 3,00 ---------- 90,00 ------
Total --------------------------------------------- 210,00 -----


B – OFICINA DE EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO

Tabela 2. Custo do material usado na Oficina de Educação para o Trânstito
Item -------- Quantidade --- Valor Unitário R$ --- Valor total R$ ---
Xérox de textos ----1.000 cópias --- 0,12 --------- 120,00 -----
Encadernações ---- 30 unidades ---- 3,00 ---------- 90,00 -----
Total --------------------------------------------- 210,00 -----


C – OFICINA DE EDUCAÇÃO SEXUAL

Tabela 3. Custo do material usado na Oficina de Educação Sexual
Item -------- Quantidade ---- Valor Unitário R$ -- Valor total R$ ---
Pluminha bege ---- 27 m ---------- 6,90 ------------ 186,30 -------
Olhos adultos ---- 36 pares ------- 0,50 ------------ 18,00 --------
Olhos adolescentes ---- 36 pares ---- 0,50 --------- 18,00 --------
Olhos bebê ---------- 18 pares ------ 0,45 ---------- 8,10 ---------
Cabelos (louro, preto) --- 2 kg ------- 28,00 -------- 56,00 -------
Bastão cola quente --18 unidades --- 0,70 --------- 12,60 --------
Pistola para cola quente --- 01 unidade ---- 15,90 ---- 15,90 ------
Velcro bege ------- 27 m ------------ 2,90 --------- 78,30 --------
Colchete de pressão --- 72 pares----- 1,55 --------- 18,60 --------
Enchimento----------- 18 pacote gde ---- 39,00 ---- 702,00 ------
Caneta para tecido --- 54 unidade ---- 5,75 -------- 310,50 --------
Agulha de mão ----1 cestinha ------- 1,10 --------- 1,10 --------
Tubo de linha bege --- 36 unidades -- 23,40 -------- 23,40 -------
Total -------------------------------------------- 1.448,80 ------


D – OFICINA DE JOGOS E BRINCADEIRAS

Tabela 4. Custo do material usado na Oficina de Jogos e Brincadeiras
Item ------------ Quantidade -- Valor Unitário R$ -- Valor total R$ --
Xérox de textos ---- 1.000 cópias ---- 0,12 -------- 120,00 -----
Encadernações ---- 30 unidades ----- 3,00 -------- 90,00 -----
Total ------------------------------------------- 210,00 ------

E – OFICINA DE ARTES

Tabela 5. Custo do material usado na Oficina de Artes
Item -------- Quantidade ---- Valor Unitário R$ --- Valor total R$ --
Xérox de textos ----- 1.000 cópias -----0,12 ----- 120,00 ----
Encadernações ---- 30 unidades ------ 3,00 ------- 90,00 -----
Pincel de pelo nº 12 ---- 18 unidades --- 2,20 ---- 39,90 -----
Pincel de pelo nº 10 ----18 unidades---- 1,65 ---- 29,70 ----
Blocos de papel cansson -- 3 blocos/20folhas -- 2,45 -- 7,35 ------
Tinta guache -------- 10 unidades ---- 3,30 ------- 33,00 ----
Total -------------------------------------------- 319,95 ----


F – OFICINA DE BIBLIOTECA

Tabela 6. Custo do material usado na Oficina de Biblioteca
Item ----------- Quantidade --- Valor Unitário R$ --- Valor total R$ -
Xérox de textos -- 1.000 cópias ---- 0,12 ------------ 120,00 -----
Encadernações ---- 30 unidades --- 3,00 ------------- 90,00 ------
Total ----------------------------------------------- 210,00 ------


G – OFICINA DE MERENDA ESCOLAR

Tabela 7. Custos do material usado na Oficina de Merenda Escolar
Item -------- Quantidade ---- Valor Unitário R$ -- Valor total R$ ----
Xérox de textos --- 1.000 cópias --- 0,12 --------- 120,00 -----
Encadernações ---- 30 unidades --- 3,00 ---------- 90,00 ------
Alimentos diversos ---- 80 kg ---- 10,00 -------- 800,00 ------
Total ----------------------------------------- 1.010,00 -----


- CUSTO FINANCEIRO TOTAL DO PROJETO

A Tabela abaixo resume todos os custos financeiros que serão necessários para o desenvolvimento das Oficinas de capacitação do presente Projeto.

Tabela 8. Custo financeiro total do “Projeto Capacitação de Professores”
Descrição -------------------- Tabelas ------ Valor R$ -----
Custo da Oficina de Educação Ambiental---(Tabela 1) ---210,00 -----
Custo da Oficina de Educação para o Trânsito -- (Tabela 2) - 210,00 -
Custo da Oficina de Educação Sexual---- (Tabela 3) -- 1.448,80 ----
Custo da Oficina de Jogos e Brincadeiras - (Tabela 4 )-- 210,00 ----
Custo da Oficina de Artes ------------ (Tabela 5) ----- 319,95 -----
Custo da Oficina de Biblioteca ------ (Tabela 6) ------ 210,00 -----
Custo da Oficina de Merenda Escolar - (Tabela 7) --- 1.010,00 ---
TOTAL GERAL-------------------------------------- 3.618,75 ----

Assim, o custo total do Projeto Capacitação de Professores será R$ 3.618,75 (três mil e seiscentos e dezoito reais e setenta e cinco centavos).


7. AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO

A avaliação do “Projeto Capacitação de Professores” será realizado como um ato de reflexão e de crítica inserido no contexto da realidade do público envolvida nas capacitações.

Assim, a equipe organizadora desenvolverá a avalição de forma contínua ao longo do estudo de cada Oficina, com base em reflexão dialógica e participativa entre os tutores e palestrantes e o cursistas (professores e demais servidores).

Esse trabalho levará em conta as relações entre os conhecimentos téoricos historicamente construídos e a Escola, a educação e as práticas profissionais do cotidiano, além das relações com as experiências de vida de cada participante.

A participação será avaliada quantitativamente pela gestão do ambiente e qualitativamente pela realização das atividades propostas. A avaliação final será expressa como “aprovado” ou “reprovado”. Cada participante deverá ter uma frequência mínima de 80 % (oitenta porcento) das atividades.

Assim, ao término das capacitações, cada participante aprovado receberá o Certificado de participação e aproveitamento.


8. CRONOGRAMA

--------------------- Cronograma do Projeto ----------------
Etapas -----------------------Meses-------------------------
-------------Jan--Fev--Mar--Abr--Mai--Jun--Jul--------------
1ª  --------------- X --- X --- X--------------------------
2ª  --------------------  X ---  X -------------------------
3ª  --------------------- X --- X -------------------------
4ª  ---------------------------------- X -- X -------------
5ª  --------------------------------------- X --------------
6ª  --------------------------------------- X --------------


Descrição das etapas/ atividades: 1ª – Elaboração do Projeto e preparativos iniciais; 2ª – Estabelecimento de parcerias; 3ª Sensibilização dos Gestores, professores e funcionários; 4ª Desenvolvimento das ações e atividades previstas no Projeto; 5ª Divulgação dos resultados; 6ª Avalização do Projeto.


9. BIBLIOGRAFIA

BRASIL. Lei Federal nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB. Brasília (DF). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm

BRASIL. Lei Federal nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Estabelece o Plano Nacional da Educação – PNE. Brasília (DF). Disponível em: http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/l10172_01.htm

MARCO ANTÔNIO MARQUES ANTUNES. 2005. A importância da Educação Ambiental. Goiânia. 104p.

MEC - Ministério da Educação. 2007. Curso técnico de formação para os funcionários da educação - Profuncionário: Orientações Gerais. Elaboração: Dase/SEB/MEC e CEAD/FE/UnB. – Brasília : Universidade de Brasília, Centro de Educação a Distância. 2ª edição atualizada. 92p. Disponível em: http://download.seduc.ce.gov.br/profuncionario/orientacoes_gerais.pdf
RANZI, Carmem Lúcia Batista Coelho & CABRAL, Luciana Ferreira. 2008. Projeto Arte, Sexualidade, Xadrez e Biblioteca. Secretaria Municipal de Educação e Desporto - SEMED. Gurupi (TO). 8p.

RODRIGUES, AMANDA CAVALCANTE et al. 1999. Educação Ambiental: aprendendo com a natureza. Palmas: Poligráfica. 80p.

SALERA JÚNIOR, G. 2007. Educação Ambiental. Jornal Anoticia, Gurupi - Estado do Tocantins, v. 214, p. 02, 01 nov. 2007. Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/ensaios/685801

SALERA JUNIOR, G. 2008. Projeto de Educação Ambiental na Escola. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1112201

SALERA JUNIOR, G. 2009. Projeto Cinema na Escola. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1557772

SALERA JUNIOR, G. 2009. Projeto Festival de Pipa. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1444428

SALERA JUNIOR, G. 2009. Projeto Trânsito na Escola. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1539000

TOCANTINS – Governo do Estado do Tocantins. 2004. PEEA – Programa Estadual de Educação Ambiental: ações estratégicas. Palmas (TO). 14p.


10. AGRADECIMENTOS

Sou profundamente grato a todos os amigos e colegas de trabalho que apoiaram a realização desse “Projeto Capacitação de Professores”. Destaco que essa proposta se espelha em inúmeros bons exemplos de Projetos e Programas sócio-educativos que estão em desenvolvimento no Estado do Tocantins e por todo país.

Aproveito esse momento para dedicar esse trabalho a algumas pessoas que muito me inspiraram, especialmente às professoras da Coordenadoria em Diversidade da Diretoria Regional de Ensino, profª Eliane Iara Alebrandt dos Santos e profª Maria Lúcia L. de Barcelos; e as supervisoras pedagógicas da Secretaria Municipal de Educação e Desporto de Gurupi, Luciana Ferreira Cabral e Carmem Lúcia Coelho Batista Ranzi.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Gurupi – TO, Maio de 2009.

Giovanni Salera Júnior
E-mail: salerajunior@yahoo.com.br

Curriculum Vitae: http://lattes.cnpq.br/9410800331827187

Maiores informações em: http://recantodasletras.com.br/autores/salerajunior
Giovanni Salera Júnior
Enviado por Giovanni Salera Júnior em 27/05/2009
Reeditado em 27/11/2011
Código do texto: T1618396
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Giovanni Salera Júnior
Breves - Pará - Brasil
930 textos (1773925 leituras)
106 e-livros (23299 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/07/14 16:14)