Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOBRE MAIS UMA CRÍTICA


Recebi um E mail de um amigo, que diz ter ficado muito triste com uma crítica sobre texto seu. Não é a primeira vez que recebo uma carta com semelhante lamento. Resolvi dar uma resposta em tom de artigo e pas-
so aqui então para quem se interessar.
Eu nunca tive a menor pretensão de ser poeta. Sempre senti, isso   sim, enorme desejo de escrever, e mais ainda, de mostrar a todo  mundo  os meus textos, isso, desde bem jovem. Quando escrevo algo, procuro dar 
a dimensão exata daquela imagem, do sentimento, da emoção que   me levou a escrever aquela determinada coisa. Sendo assim, nunca me im-portei com a pecha que possa levar minhas “criações”, porque nem eu mesmo saberia criticá-las, e, ou qualificá-las, portanto, não me cabe jul-
gar críticas endereçadas aos textos que eu escrevo. Fico grato  quando 
a crítica me mostra defeitos gramaticais, quando esclarece    equívocos 
ou me propõe novas estruturas.   Embora  não  seja “profissional”    da literatura, nunca é demais ganhar conhecimento. Com a internet, veio 
a facilidade em se mostrar, de forma abrangente, toda e qualquer cria-
ção, seja ela literária ou não, de boa ou péssima qualidade, mas mesmo 
ai, o grau de qualidade vai depender do grau de exigência e cultura  de quem lê. Ainda assim, ou, apesar disso, ainda vemos reações negativas, respostas intempestivas e ofensas de   toda  ordem  em razão  de     um comentário negativo. Da mesma forma que eu ou você colocamos textos, sem que ninguém tenha pedido, ou que ninguém tenha me perguntado o porquê, nem saiba exatamente quem está colocando, assim é,       quem critica, comenta ou brinca com a criação alheia. Há tempos deixei de me preocupar com a opinião que me pareça uma demonstração de, no míni-
mo, ignorância de quem a faz. Quem se atreve a expor suas criações em espaço tão aberto e democrático, tão fechado ao personalismo, tão pou-
co identificado a pessoa real, não deve se preocupar com a opinião    de 
um ser virtual. Para quem me considera poeta, sou poeta com       muito 
amor, para aqueles que me vêem como pretensioso e medíocre escritor, apenas me ignorem, porque com certeza, estarei fazendo o mesmo  com
as suas opiniões. Não é de forma alguma, pedantismo da minha    parte,
mas é a maneira mais tranqüila de se levar a termo,   uma    convivência harmoniosa nos inúmeros sites literários que encontramos  na   Internet. 
De   qualquer    forma   posso  está  errado  e  aceito  todas  as  críticas, desconsiderando, é claro, aquelas que me forem contrárias.

Ps. Calma, eu apenas tentei ser engraçado na frase final.
Jose Carlos Cavalcante
Enviado por Jose Carlos Cavalcante em 01/06/2006
Código do texto: T167381
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jose Carlos Cavalcante
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
732 textos (54104 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 14:49)
Jose Carlos Cavalcante