Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"Querer o nada a nada querer"

  Angústia é descobrir-se sozinho em desalento macabro, agonia é quando você quer estar só e não lhe deixam ficar solitário "em paz". o turbilhão de sentidos e máximas não alteram somente a perplexidade do ser, como alimentam essa existência. Com virtude e vislumbre da perversa compaixão - hipócrita e doentia - é que muitas vezes nos damos conta do perigo que representamos para nós mesmos.
  É melhor "querer o nada a nada querer", porque só assim nos sentimos vivos; já que não nos ensinam a morrer, a desesperar-se, a afligir-se, em vez de apenas lamentar-se. O óbvio, desse ciclo maldito e cruel - de nossa ímpfia participação - no nicho biológico é que somos passageiros e necessitamos findar para dar continuidade a outros. A maior contribuição que posso dar é aguardar no silêncio o meu olhar desviar-se para o horizonte incerto e só assim serei feliz:
- Por que só assim saberei quem realmente sou e que pra nenhum lugar irei além de mim...
 
Humberto Amorim
Enviado por Humberto Amorim em 18/07/2006
Código do texto: T196612

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Humberto Amorim
Euclides da Cunha - Bahia - Brasil
55 textos (1923 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:35)
Humberto Amorim