CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Os 10 melhores presidentes da história do Brasil

       Caros leitores, o Brasil hoje é uma Republica Federativa com duas câmaras legislativas, onde o presidente é o chefe de Governo e o chefe de Estado, e desde a proclamação da republica em 1889 onde no ano passado comemoramos 120 anos de republica, e desde então o Brasil chegou a ter 6 constituições, 30 presidentes tirando alguns governos provisórios, e destes 2 morreram enquanto exerciam o cargo (Afonso Pena e Getulio Vargas), 9 foram membros das forças armadas(Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto, Hermes da Fonseca, Eurico Dutra, Castelo Branco, Costa e Silva, Emilio Médici, Ernesto Geisel e João Figueiredo), 4 foram depostos (Washington Luiz, Getulio Vargas, Carlos Luz e João Goulart), 2 morreram antes de tomar posse (Rodrigues Alves e Tancredo Neves), 2 renunciaram(Deodoro da Fonseca e Jânio Quadros), 1 saiu motivado por impeachment(Collor), 3 exerceram mais de um mandato(Getulio Vargas, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva) e no período republicano o país sofreu 2 golpes de Estado e foi governado por 2 ditaduras.
       Devido ao recesso aproveitei o tempo livre para pesquisar quem foram os melhores presidentes da história de nosso país, e para isso estabeleci alguns critérios onde submeti todos os governantes a estes critérios e me apoiei também em alguns princípios básicos para a organização de um Estado.
       Política em sua acepção ampla é o estudo do fenômeno do poder, entendido como a capacidade que um individuo ou um grupo organizado tem de exercer controle imperativo sobre a população de um território, mesmo quando é necessário o uso da força.
     
Alguns de meus critérios foram:

Função de um presidente:
-Liderar a vida política da nação
-Representar o país interna e externamente
-Comandar as forças armadas
-Firmar tratados
-Encaminhar projetos de lei ao Congresso
-Responder pela administração e pelas decisões nos setores do executivo e escolher ministro de Estado

Ou seja, cada uma dessas funções teve um peso, um dos modos de pontuação foi através da capacidade que os presidentes tiveram de cumprir essas funções.

Elementos da organização do Estado:
-A administração
Organização encarregada de tomar as decisões políticas e de fazer com que elas sejam cumpridas por intermédio de uma série de órgãos ou departamentos (Governo, ministérios, governos territoriais ou regionais, policia, previdência social, etc.).
Baseado nisso selecionei aqueles que tiveram a capacidade de manter a estabilidade política e social em seus governos.

-As forças armadas:
Defender o Estado (sem peso)

-A fazenda:
A manutenção de todo o aparelho estatal exige a arrecadação de fundos mediante a contribuição dos membros da sociedade.
A partir daí selecionei aqueles que mantiveram a estabilidade econômica em seus governos.

Regimes em que governaram:
-Democracia (maior peso de todos)
-Ditadura
-Oligarquia

E entre os princípios selecionei os seguintes:
-Governar em função de todos
-Realização de alguma mudança significante para o país ou para a população
-Investimentos em setores públicos
-Desenvolvimento e progresso
-Política Externa, boa relações com outros países.

        Toda pesquisa da abertura a margem de erros, o que na verdade obtive não foram fatos exatos e sim uma aproximação do que realmente foi, uma simulação de pesquisa, pessoalmente eu defendo que a escolha do melhor presidente da história do Brasil seja feita por historiadores sem ligação a nenhum partido político, e não através da consulta da população já que muitos não estão antenados com todos os presidentes que o Brasil teve, reconheço a polemica que este texto poderá causar, mais uma vez afirmo, não sou o senhor da verdade, sou apenas um cidadão brasileiro que resolveu expor uma pesquisa que fez exercendo assim a liberdade de pensamento e de expressão.
       Estarei selecionando do décimo ao primeiro colocado em minha lista, tentei ser o mais imparcial possível, se você leitor quiser pular para o final do texto para ver quem for o primeiro fique a vontade, mas existe todo um processo e uma motivação para que estes fossem selecionados, não estarei submetendo os presidentes a todos estes critérios aqui neste texto, apenas exibirei os pontos mais positivos e negativos de seus governos, boa leitura a todos.

10º- Epitácio da Silva Pessoa (1919-1922)
       
       Único paraibano até hoje a governar o Brasil e tio de João Pessoa, ele foi um administrador eficiente chegando a executar grandes obras de melhoramentos contra as secas no Nordeste, fundou em 1920 a primeira Universidade brasileira, a do Rio de Janeiro, depois Universidade do Brasil e hoje Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), além de promover em 1922 a exposição internacional comemorativa do primeiro centenário da independência.
       Porém a situação de sua política interna foi uma das mais conturbadas, onde ele chegou a causar tensão com os militares ao nomear civis para a pasta do ministério da guerra e da marinha e quando estourou o movimento dos 18 do forte de Copacabana, as tropas do governo massacraram seus manifestantes provocando uma comoção popular.

9°- João Baptista Figueiredo (1979-1985)

       Ultimo militar a governar o país, em sua posse jurou “fazer deste país uma democracia” e realmente continuou a realizar o processo de abertura e redemocratização. Seu primeiro ato foi a anistia política que permitiu a volta de alguns exilados políticos e depois realizou a reforma partidária e extinguiu o bipartidarismo vigente, sendo criado assim, novos partidos além de realizar as primeiras eleições diretas para governador após a ditadura militar.
       Porém no seu governo a divida externa atingiu tetos astronômicos chegando a 100 bilhões de dólares.

8° Ernesto Geisel (1974-1979)

       Penúltimo militar a ser presidente o país, ele foi o primeiro protestante a governar o Brasil, e mesmo tendo apelado para algumas medidas autoritárias ele tomou as primeiras medidas para suavizar o regime, entre elas a revogação do AI-5, ele também iniciou a exploração da plataforma submarina de petróleo, além de propiciar o aumento da receita em divisas, com as exportações de café e soja e o sucesso dos manufaturados brasileiros no exterior, Geisel também revogou as penas de mortes e banimento, eliminou a censura prévia a imprensa e extinguiu a toda poderosa Comissão Geral de Investigações (CGI), que podia confiscar bens após processo sumario além de restabelecer as questões diplomáticas com a China, assinar o acordo nuclear entra Brasil e Alemanha e criar Planos Nacionais de Saneamento, do Desenvolvimento e de Papel e Celulose.
       Porém instituiu o mandato presidencial de seis anos e a nomeação de 1/3 do Senado, os chamados senadores biônicos, pelo mesmo colégio eleitoral encarregado de escolher os governadores.

7º- Hermes da Fonseca (1910-1914)

       Derrotando Rui Barbosa nas eleições e sobrinho do marechal Deodoro da Fonseca, e entre suas grandes obras podemos citar, o Saneamento na baixada fluminense, o traçado maior para a Estrada de Ferro Central do Brasil e a reforma do ensino secundário e superior.
       Porém em seu governo estourou a revolta da chibata liderada pelo marinheiro negro João Candido Felisberto, onde os revoltosos exigiam a extinção do castigo da chibata, logo depois eles foram anistiados mas traídos, onde os revoltosos foram lançados nas masmorras da ilha das cobras e nos porões do navio Satélite, morrendo a maioria.

6º Francisco de Paula Rodrigues Alves (1902-1906)

       Encontrando as finanças em ordem, junto com o barão do Rio Branco realizaram grandes empreendimentos, em seu governo foi assinado o tratado de Petrópolis, que incorporou o território do Acre ao resto do Brasil, o tratado de limites com a Guiana Holandesa, a luta contra a febre amarela que dizimou milhares de brasileiros, sendo o responsável por sanear a cidade do Rio de Janeiro, o grande cientista patrício Osvaldo Cruz, e junto com o prefeito do Rio de Janeiro, Pereira Passos foram construídos o porto do Rio de Janeiro, o Teatro Municipal, a Biblioteca Nacional e outros edifícios.
       Porém em seu governo a vacinação foi feito de modo radical ao ponto de provocar a revolta da vacina, e em lugares de alto risco de disseminação, pessoas foram desocupadas de suas casas, além de ocorrer a revolta da fortaleza de Santa Cruz e o movimento revolucionário de Mato Grosso.

5º-Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2007/2007-2011)

     
       Seu governo foi caracterizado pela estabilidade econômica e por uma balança comercial superavitária, além de promover um incremento na geração de empregos, e o lançamento de programas sociais como o PAC e o Fome Zero além de iniciar a exploração de petróleo na plataforma submarina conhecida como Pré-Sal, e na política externa houve a crescente projeção da influencia brasileira pelo mundo, a proposta de entrada da Venezuela no Mercosul, a insistência de obtenção de um assento no Conselho Permanente de Segurança das Nações Unidas, além do mais, conseguiu tornar o Brasil sede da copa do mundo de 2014 e das olimpíadas de 2016.
       Porém em seu governo o tapete rolou e houve varias denuncias de corrupção entre elas o escândalo do mensalão envolvendo o Partido dos Trabalhadores, partido de Lula, o caso de vendas de dossiê para petistas em São Paulo, também continuaram a ser ventilados casos como o do filho de Lula, Fábio Luís Lula da Silva, o "Lulinha", que teria supostamente enriquecido após fechar contrato de quinze milhões de reais com a empresa de telecomunicações Telemar, da qual o governo é acionista, além de houver a crise dos cartões corporativos no inicio de 2008, além de ser o presidente na história do Brasil que mais aumentou a carga tributaria.

4º-Eurico Gaspar Dutra (1946-1951)

       Primeiro mato-grossense a governar o país, em seu governo ele propôs a elaboração de um Estatuto do petróleo e construiu as primeiras refinarias do país, realizou a companhia Hidrelétrica do São Francisco, a ativação da usina de Paulo Afonso, a ligação rodoviária de São Paulo com o Rio de Janeiro, e também encampou em 1950 a estrada de ferro Leopoldina, procedeu o recenseamento geral do país, realizou em Petrópolis, a Conferencia Interamericana, de repercussão continental, determinou o fechamento de todos os cassinos e a proibição do jogo em todo o território nacional e elaborou a Constituição de 1946.
       Ele porém colocou o partido comunista na ilegalidade e rompeu relações diplomáticas com a URSS.

3º Juscelino Kubitscheck de Oliveira (1956-1961)

       Tendo como slogan de campanha “50 anos em 5”, Kubitscheck voltou-se para o desenvolvimento econômico e a política de industrialização. Expandiu-se a infra-estrutura de rodovias, ferrovias e portos, energia elétrica, armazéns e silos. A fim de atenuar as disparidades regionais Kubitscheck criou a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e promoveu a interiorização, através de uma rede de estradas e da mudança da capital para Brasília, e iniciou a fase de implantação de industrias de bens de consumo duráveis e de bens de produção. Instalaram-se as industrias automobilísticas, de eletrodomésticos, de construção naval, de mecânica pesada, de cimento, de papel e de celulose.
       Apesar de tudo em seu governo o endividamento externo e a intensificação inflacionaria começaram a alimentar uma crise profunda. A alta burguesia estava disposta a aceitar uma paralisação momentânea do desenvolvimento, em troca de uma política de austeridade e estabilidade, preocupada com a orgia de gastos públicos decorrente da dispendiosa construção de Brasília, a nova capital federal, empreendimento sobre o qual acumularam se as denuncias de corrupção.

2º Fernando Henrique Cardoso (1995-1999/1999-2003)

       Segundo presidente do Brasil a ficar mais tempo no poder, ainda quando ministro da Fazendo do governo Itamar Franco, implantou o plano real que havia sido proposto pelo ex ministro Recupero, ficando assim conhecido como pai do Real e tirando o país da maior crise econômica de todos os tempos da história do país, onde o Brasil chegou a atingir uma hiperinflação, e em seu governo houve a manutenção do controle efetivo da inflação, o Mercosul entrou em vigor oficialmente, aprovou a portaria regulamentando a internet, quebrou o monopólio estatal do petróleo, iniciou o processo de desestatização, a aprovação de novas leis de diretrizes e bases, a medida provisória 938, que instituiu provas para todos os formandos dos cursos de engenharia, direito e área de saúde, a aprovação da emenda da reeleição para governadores, prefeitos e presidente, ele também iniciou uma nova política neoliberal, e aprovou alguns projetos sóciais como o bolsa gás e o bolsa escola.
        Porém em seu governo houve o aumento do desemprego e uma forte perda de divisas em decorrência da crise financeira mundial. Isso obrigou o governo a anunciar um acordo com o FMI que levaria a um duro conjunto de medidas econômicas. Além do mais no seu governo houve a crise de energia.

1º Getulio Dorneles Vargas (1930-1945/1951-1954)

       Presidente brasileiro a ficar mais tempo no poder, governou numa ditadura e numa democracia e foi intitulado “pai dos pobres”, ele foi responsável por transformar um país oligárquico em uma democracia emergente, os primeiros passos de seu governo foram o combate a corrupção administrativa, a reforma do ensino  e a ampliação das leis trabalhistas. Criaram se dois novos ministérios, o da educação e Saúde, estabeleceu o voto feminino, o voto secreto, a representação proporcional dos partidos, a justiça eleitoral e a representação classista, eleita pelos sindicatos, criou também a Justiça do Trabalho, por intermédio do imposto sindical, instituiu o salário mínimo e criou uma legislação trabalhista capaz de ajustar a mão-de-obra egressa do meio rural às condições do trabalho urbano. Propiciou assim, mediante o rígido controle sindical e a neutralização política do proletariado nascente, a expansão dos empreendimentos capitalistas, numa economia em franco processo de industrialização. No elenco de medidas governamentais ao favorecimento da industrialização, o passo mais significante foi a busca da auto suficiência no setor de aço. Em 1940 num hábil jogo com as rivalidades norte americanas e alemãs, o governo conseguiu do Import and Export Bank um financiamento no valor de 45 milhões de dólares para a instalação de uma siderúrgica de capital integralmente nacional e prioritariamente publico. Instalada no município de Volta Redonda RJ, a companhia Siderúrgica Nacional (CSN) entrou em operação em 1946, em seu segundo governo Vargas criou a Petrobras em 1953, propôs a elevação de 100% do salário mínimo, o que representava um ganho real para o trabalhador e criou a Eletrobras em 1954, Vargas suicidou-se ainda na presidência em 1954.
       Porém seu governo ditatorial foi marcado pela opressão a alguns grupos, sendo ele admirador de Adolf Hitler, chegou a deportar judeus para a Alemanha Nazista, criou uma carta conhecida como o plano Cohen, que contava sobre uma suposta invasão internacional do comunismo ao Brasil, pretexto que o manteve por mais tempo no poder, ele perseguiu muitos grupos comunistas, e mais tarde chegou a perseguir integralistas também, levou o Brasil a participar da Segunda Guerra Mundial, em seu segundo mandato foi acusado de querer implantar no país uma “republica sindicalista” com moldes no peronismo argentino.

       Aqui estão os 10 primeiros que selecionei, todos tem o direito para me contestar pelas palavras ditas aqui, todos estes foram responsáveis por grandes obras no país mas tiveram grandes falhas também, eu também posso ter cometido falhas aqui, talvez o Brasil nunca de fato tenha tido os 10 melhores presidentes e sim os 10 menos piores, de qualquer forma a vocês leitores tenham uma ótima semana e obrigado pela leitura.

Fontes:
Enciclopédias Barsa
Escola Viva: Programa de pesquisa e apoio escolar ed: Millenium
Wikipédia

       
Enã Rezende
Enviado por Enã Rezende em 10/01/2010
Reeditado em 15/01/2013
Código do texto: T2022081
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Enã Rezende
Rondonópolis - Mato Grosso - Brasil, 22 anos
113 textos (129760 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/09/14 06:16)