Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Projeto Sabão Ecológico

1. APRESENTAÇÃO

Atualmente, o lixo pode ser considerado um dos maiores problemas enfrentados pela população mundial. Assim, medidas para sanar os males do lixo, como por exemplo, a reciclagem, têm surgido por meio de diversos projetos e programas.

A reciclagem é uma forma muito atrativa de gerenciamento de resíduos, pois transforma o
lixo em insumos, com diversas vantagens econômicas, sociais e ambientais. Inúmeras experiências têm mostrado que a reciclagem pode contribuir para a economia dos recursos naturais, além de possibilitar melhoria no bem-estar da comunidade.

Muitos estabelecimentos comerciais (restaurantes, bares, lanchonetes, pastelarias, hotéis etc.), residências e Escolas jogam o óleo de cozinha usado na rede de esgoto, o que causa o entupimento da mesma, bem como o mau funcionamento das estações de tratamento de água e esgoto.

O óleo de cozinha é altamente prejudicial ao meio ambiente e quando jogado na pia, em geral, vai direto para a rede de esgoto causando entupimentos, o que aumento o custo de tratamento do esgoto, pois para limpar esse óleo excedente é necessário o aumento de produtos químicos tóxicos.

Nos locais onde a rede de esgoto é deficiente, invariavelmente, esse óleo acaba indo parar nos cursos d’água (rios, córregos, lagos etc.) que cortam as cidades, causando danos à fauna e flora aquática. Quando esse óleo é jogado diretamente no solo causa impermeabilização, contribuindo para enchentes, ou entra em decomposição, soltando gás metano durante esse processo, causando mau cheiro, além de agravar o efeito estufa.

Muitos bares, restaurantes, hotéis e residências ainda têm jogado o óleo utilizado na cozinha na rede de esgoto, desconhecendo os prejuízos que isso causa.

Não jogar óleo em fontes de água, na rede de esgoto ou no solo é uma questão de cidadania e por isso deve ser incentivada.

Sabendo dessas questões, propomos o “Projeto Sabão Ecológico” que será executado pela Prefeitura Municipal como um meio ecologicamente correto e socialmente justo para resolver essa questão.

Esse “Projeto Sabão Ecológico” está fundamentado na reciclagem do óleo de cozinha usado para produção de sabão e se inspira em inúmeros outros trabalhos realizados em diversas partes de nosso país.

O sucesso de programas de reciclagem de óleo de cozinha depende inteiramente da participação da comunidade. Exemplos variados têm mostrado que o envolvimento da comunidade é fundamental para que esses programas de coletas, sejam governamentais ou não-governamentais, tenham sucesso.

Temos convicção de que essa proposta pode produzir resultados significativos para nossa comunidade, o que nos faz desejar que você, gestor público, empresário e cidadão de nossa cidade, faça parte de nosso lema: “Junte-se a nós e contribua para o meio ambiente !!!”


2. OBJETIVOS

2.1 OBJETIVO GERAL
- O “Projeto Sabão Ecológico” tem por meta implantar um amplo trabalho de coleta e reciclagem de óleo de cozinha para produção de sabão por meio do envolvimento de todos os segmentos de nossa sociedade.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Evitar transtornos às redes de esgotamento sanitário e sobrecarga da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), por meio da redução de lançamentos de óleo de cozinha nas pias de estabelecimentos comerciais, nas residências e Escolas da cidade;

- Contribuir com a preservação de rios, córregos, nascentes e lagos de nosso município e região, evitando que o óleo de cozinha polua tais lugares;

- Criar o Disque Óleo, como um instrumento focado na coleta e reciclagem de óleo e gorduras residuais;

- Envolver a nossa comunidade em ações de proteção do meio ambiente e de promoção do desenvolvimento social;

- Promover a integração das ações do presente Projeto com todas as instituições públicas e Organizações Não Governamentais (ONG’s) correlatas à Educação Ambiental, à proteção da natureza e que atuam na geração de emprego e renda para comunidades carentes.


3. JUSTIFICATIVA

Grande parte das refeições e alimentos preparados diariamente conta com o uso de óleo vegetal. Assim, em todas as residências e em inúmeros estabelecimentos, como restaurantes, lanchonetes, bares, hotéis etc. e em cantinas nas Escolas públicas e privadas uma grande quantidade de óleo é utilizada periodicamente.

Todos hão de concordar que o uso de óleo vegetal na preparação de alimentos é indispensável, mas o que se deve fazer com o óleo utilizado na preparação desses alimentos ??? Se esse óleo é jogado no ralo da pia, isso causa uma série de problemas e se ele é posto no lixo comum, também. Quando o descarte ocorre em uma região com rede de captação de esgotos, parte do óleo adere às paredes das tubulações e absorve outras substâncias. Essa mistura pegajosa reduz o diâmetro das tubulações prejudicando o transporte do esgoto, aumentando a pressão e os vazamentos, diminuindo a vida útil e provocando, em alguns casos, o completo entupimento da rede coletora.

Ademais, caso este resíduo seja despejado em terrenos baldios ou em cursos d’águas (rios, córregos, lagos etc.) há interferência na biota aquática e terrestre. O óleo de fritura polui os rios por conter carga orgânica elevada que, em sua digestão, requer oxigênio dissolvido essencial à respiração dos peixes e outras formas de vida. Também contribui para formar um filme flotante que prejudica a oxigenação das águas. Quando lançado no solo, causa a impermeabilização dos leitos e terrenos, contribuindo com inundações e enchentes, ou entra em decomposição, soltando gás metano durante esse processo, causando mau cheiro, além de agravar o efeito estufa. O óleo lançado nos rios aumenta o custo do tratamento da água, por que obstrui os filtros existentes nas Estações de Tratamento de Água (ETA’s), tornando-se assim um grande obstáculo ao seu bom funcionamento.

Deve-se destacar que as Estações de Tratamento de Esgoto (ETE’s) de modo geral não estão preparadas para receber a enorme quantidade de óleo de cozinha despejado pela população. Da mesma forma, quando há o despejo em lixões ou em Aterros, invariavelmente, tal óleo é enterrado com os demais resíduos podendo contaminar o lençol freático. Nestes casos, os prejuízos econômicos e os danos ao meio ambiente são enormes.

Experiências diversas têm demonstrado que o óleo vegetal utilizado na preparação de alimentos pode ser empregado como matéria-prima para diversas indústrias, tais como: saboeiras, detergentes, produção de resina para tintas, glicerina, ração animal, biodiesel e graxas. Mas, para que as empresas recebam a matéria-prima reciclada, é necessário que o óleo seja descartado de forma adequada. Portanto, têm surgido, por todo país, Projetos de instituições públicas, da iniciativa privada ou de Organizações Não Governamentais (ONG’s) voltados para o recebimento do óleo usado de estabelecimentos comerciais, públicos e residenciais, que reciclam o material e vendem ou repassam para as empresas ou outras instituições interessadas. Esses Projetos têm surtido muitos benefícios ambientais, pois a reciclagem do óleo gera renda e colabora com a proteção da natureza.

Firmados nesse rol de informações e espelhados nos inúmeros exemplos bem sucedidos é que acreditamos nessa proposta do “Projeto Sabão Ecológico” como uma iniciativa saudável para mobilizar nossa comunidade para enfrentar essa questão.


4. PARCEIROS

O “Projeto Sabão Ecológico” será executado pela Prefeitura Municipal e contará com a parceria de diversas instituições.

Relembramos que a promoção de mudanças em nossa sociedade não pode ser vista como uma obrigação única do poder público, o que nos faz acreditar na importância do envolvimento de todos os seguimentos de nossa comunidade, especialmente aqueles abaixo relacionados.

- Secretaria Municipal de Assistência Social;
- Secretaria Municipal de Educação;
- Secretaria Municipal de Meio Ambiente;
- Secretaria Municipal de Comunicação;
- Secretaria Municipal de Indústria e Comércio;
- Secretaria Estadual de Educação e Cultura - SEDUC;
- Companhia Estadual de Saneamento - CES;
- Associações de Moradores de Bairros;
- Associação de Catadores de Latinhas e Papelão;
- Associação Industrial e Comercial do Município;
- Rádios e Programas de Televisão Locais;
- ONG’s estabelecidas no município.

No decorrer da apresentação das ações e trabalhos propostos pelo presente Projeto serão apresentados com maiores detalhes quando e onde cada um dos citados parceiros estará atuando e colaborando.


5. AÇÕES DESENVOLVIDAS

Nessa parte apresentamos a estruturação e o funcionamento do “Projeto Sabão Ecológico” que terá início no ano corrente e será desenvolvido por tempo indeterminado como uma ação do Poder Público Municipal para promover a preservação ambiental e o desenvolvimento social de nosso município e região.

Esse “Projeto Sabão Ecológico” será executado pela Prefeitura Municipal e parceiros, que disponibilizarão infra-estrutura, recursos humanos, materiais e financeiros para execução de todas as ações e trabalhos aqui propostos.

O local de funcionamento e coordenação do “Projeto Sabão Ecológico” será a “Casa da Mulher” que é parte da estrutura administrativa da Secretaria Municipal de Ação Social, onde são realizados trabalhos diversos de capacitação profissional, geração de renda e auxílio de famílias carentes de nossa cidade.

Logo a seguir são apresentadas todas as ações e etapas do presente Projeto. Vale destacar que cada uma dessas etapas está detalhada no Item 8 (Cronograma), que se encontra ao final desse trabalho.

5.1 SENSIBILIZAÇÃO DOS PARCEIROS

Todos nós contribuímos de diferentes maneiras, involuntariamente ou não, para a degradação da qualidade do ambiente. Queixamo-nos e lamentamo-nos da perda da qualidade de vida, mas na busca de conforto e dos bens do capitalismo cada um de nós contribui diariamente para o uso desregrado dos recursos que temos acesso.

A sensibilização ambiental é uma ferramenta fundamental para a mudança comportamental relativamente ao meio ambiente. Sensibilizar é procurar atingir uma predisposição da população para uma mudança de atitudes (IDÉIAS AMBIENTAIS, 2010).

Por isso, no seguimento do desenvolvimento sustentável, a sensibilização ambiental é fundamental para a conscientização do público em geral, para uma melhoria dos comportamentos e das atitudes dos cidadãos. Cada vez mais se tem demonstrado que cidadãos sensibilizados desempenham um importante e vital papel para a preservação do ambiente.

A sensibilização ambiental possui um valor relevante em todas as faixas etárias com o objetivo de conscientizar e alterar hábitos e costumes enraizados, sendo uma ferramenta fundamental para a mudança comportamental no que se refere ao meio ambiente. Sensibilizar é procurar atingir uma predisposição da população para uma mudança de atitudes e posturas.

Mudar atitudes requer educação, apresentando os meios da mudança que conduzam à melhor atitude, ao comportamento adequado perante o ambiente, surgindo da consciência cada vez mais premente de que é necessário modificar os comportamentos humanos face às características dos espaços naturais e artificiais, restaurando-lhes o equilíbrio necessário (IDÉIAS AMBIENTAIS, 2010).

O processo de sensibilização dos possíveis parceiros do “Projeto Sabão Ecológico” será realizado com a função de despertar o interesse destes, visando fomentar as ações de mobilização que possam contribuir para a aceitação dessa proposta que busca alternativas para solucionar os problemas causados pelo óleo de cozinha usado.

A equipe responsável pelo “Projeto Sabão Ecológico” realizará reuniões com estudantes, líderes comunitários, servidores públicos, empresários e demais membros da comunidade para discutir a importância da realização desse Projeto. Assim, serão feitas visitas a estabelecimentos comerciais (restaurante, lanchonete, bares e outros) que processam a fritura de alimentos para trazê-los como parceiros dessa proposta.

Para envolver o maior número de parceiros, a equipe do “Projeto Sabão Ecológico” buscará firmar parcerias com a Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, a Companhia Estadual de Saneamento (CES), a Associações de Moradores de Bairros e a Associação Industrial e Comercial do Município.

Exemplos diversos têm mostrado que a identificação e o engajamento com novidades tecnológicas e metodológicas que promovem a proteção da natureza e o desenvolvimento social podem ser acelerados e ampliados por meio de trabalhos educativos nas Escolas e deve contar ainda com apoio da mídia local.

5.2 CADASTRAMENTO E RECOLHIMENTO DO ÓLEO VEGETAL

Após o trabalho de sensibilização dos parceiros iniciará o trabalho de cadastramento dos estabelecimentos comerciais, das Escolas e órgãos públicos para a coleta do óleo de cozinha. Buscaremos estabelecer parcerias com os mais diversos estabelecimentos comerciais, indústrias e residenciais  que possuem este tipo de resíduo evitando assim que os mesmos sejam descartados no meio ambiente.

Em cada bairro serão cadastradas famílias para participarem. Assim, será feito um mapeamento da cidade em regiões e periodicamente um veículo da “Casa da Mulher” passará em uma dessas regiões para coletar óleo de cozinha armazenado nesses locais. Os interessados receberão um recipiente para armazenar o óleo ou poderão armazenar em garrafas PET, de preferência transparentes.

Destacamos que as pessoas que forem cadastradas poderão participar da própria produção do sabão que ocorrerá na “Casa da Mulher”. Pretende-se coletar a gordura que é jogada fora para transformá-la em sabão, ou seja, em renda para as famílias carentes de nossa cidade.

Além disso, esperamos uma parceria com a “Associação de Catadores de Latinhas e Papelão”, que possui muitas famílias de catadores que recolhem papelão, alumínio e plástico na cidade, e poderão iniciar a coleta de óleo usado de cozinha. Dessa forma, pretendemos envolver esses coletores de material reciclável para que eles produzam sabão com o óleo que recolhem, aumentando a sua renda.

A proposta desse Projeto é trabalhar junto com a comunidade. Esperamos que, aos poucos, haja a adesão crescente de empresários e da comunidade em geral. Pretende-se estabelecer um trabalho conjunto com as Associações e Cooperativas que já realizam a coleta seletiva de resíduos sólidos, como latas, vidro e papel, em condomínios, utilizando a logística dessas entidades, o que só ampliará e facilitará o alcance das metas propostas.

A coordenação do “Projeto Sabão Ecológico” criará o Disque Óleo – um número 0800 para ligações gratuitas de pessoas e empresas que querem se cadastrar – como um instrumento de facilitação do envolvimento de parceiros. Assim, um estabelecimento comercial ou as próprias residências podem contribuir com este trabalho. Todas as pessoas podem juntar o óleo usado em uma garrafa PET e ligar para o “Disque Óleo” que a equipe irá fazer a coleta. Destaca-se que tudo será feito dentro das normas de segurança e higiene.

5.3 PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DO SABÃO ECOLÓGICO

A produção do “Sabão Ecológico“ ocorrerá na “Casa da Mulher”. A “Casa da Mulher” é parte da estrutura administrativa da Secretaria Municipal de Assistência Social, onde se realizam inúmeras ações e trabalhos voltados para comunidades carentes, que apresentam baixos índices de escolaridade e um pequeno poder aquisitivo. Por isso mesmo essa proposta vem se juntar aos trabalhos já realizados para auxiliar essas comunidades carentes na ampliação de suas rendas.

A comercialização será feita no comercio local ou de casa em casa. Contamos também com a parceria da Prefeitura Municipal que fará aquisição de parte da produção para usar nos órgãos, departamentos e Escolas do município.

Exemplos diversos demonstram que iniciativas que envolvem a proteção do meio ambiente têm mais sucesso quando envolvem atividades que geram renda para a comunidade.

5.4 AÇÕES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

A Lei Federal nº. 9.795, de 27 de abril de 1999, através de artigo 2° diz: "A Educação Ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não-formal”.

A Educação Ambiental busca abrir os nossos olhos, mostrando que o ser humano é apenas mais uma parte do meio ambiente em que vive. Ela se contrapõe às idéias antropocêntricas, que fazem com que o homem se coloque egoisticamente como o centro do universo, esquecendo, muitas vezes, da importância dos demais componentes da natureza.

Praticar Educação Ambiental é, antes de mais nada, gostar de si, do seu próximo e da natureza à nossa volta. Ter consciência ambiental é reconhecer o papel que cada um de nós tem na proteção de todos os lugares onde a vida nasce e se organiza. É querer auxiliar as pessoas ao nosso redor. É reconhecer a necessidade de vivermos em harmonia com a terra, as águas, as plantas, os animais e todas as demais formas de vida.

A Educação Ambiental é um processo permanente no qual os indivíduos e as comunidades adquirem consciência do seu meio e adquirem os conhecimentos, os valores, as competências, a experiência e também a determinação que os capacita para atuar, individual e coletivamente, na resolução dos problemas ambientais presentes e futuros (IDÉIAS AMBIENTAIS, 2010).

Baseando-se nisso, propomos ações de Educação Ambiental a serem realizadas em todas as Escolas públicas e privadas do município para desenvolver a consciência ambiental, estimulando alunos, professores e demais funcionários da Escola a trazerem de casa o óleo usado para que seja reciclado.

Nas Escolas públicas e privadas propomos atividades de Educação Ambiental a partir de eventos presenciais de sensibilização, realizados de diversas formas: debates, palestras, workshops, dinâmicas, videoconferências, entre outras.

Para tanto, contaremos com apoio de técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e de jornalistas da Secretaria Municipal de Comunicação para a elaboração de materiais didáticos diversos (folhetos, cartazes, adesivos autocolantes, brindes, postais ecológicos, etc.) para serem usados nas atividades de sensibilização e Educação Ambiental.

Esse trabalho de conscientização da nossa comunidade será realizado por meio da integração dos servidores da Prefeitura Municipal com funcionários da Companhia Estadual de Saneamento (CES), com membros e associados de outras instituições públicas Estaduais e Federais, empresas privadas e diversas Organizações Não Governamentais (ONG’s) correlatas à Educação Ambiental, à proteção da natureza e que atuam na geração de emprego e renda para comunidades carentes de nossa cidade.

5.5 DIVULGAÇÃO DO PROJETO SABÃO ECOLÓGICO

Ao longo de todo o ano, a coordenação do “Projeto Sabão Ecológico” manterá um plano de comunicação para divulgar constantemente as ações desenvolvidas. O plano de comunicação refere-se a maneira como a Prefeitura Municipal dará conhecimento de suas ações aos parceiros, jornalistas, público interno e para a sociedade em geral. Esse trabalho de divulgação do Projeto ocorrerá de diversas maneiras apresentadas logo a seguir.

O primeiro passo será a atualização permanente do site da “Prefeitura Municipal” com informações do “Projeto Sabão Ecológico”.

A cada seis meses, em julho e dezembro, será lançado um “Informativo” de 15 (quinze) páginas que apresentará os trabalhos e resultados alcançados pelo Projeto. Ao final de cada ano, em dezembro, será elaborado um “Relatório de Avaliação” que conterá a prestação de contas do Projeto, assim como conterá um resumo de todas as atividades e parcerias desenvolvidas no decorrer dos últimos doze meses. Esses trabalhos servirão para sistematizar a organização das ações, bem como para criar uma melhor transparência na gestão do Projeto.

A coordenação do “Projeto Sabão Ecológico” fará a divulgação constante das ações nos jornais de circulação local e regional, nos sites, nas rádios e nos programas de televisão locais. Assim, a mídia terá um papel fundamental para conscientizar a população da importância de preservação ambiental e responsabilidade social envolvida neste processo.

Além do apoio da mídia, haverá a divulgação em eventos diversos ligados à temática ambiental, como por exemplo: comemoração de datas ambientais (Dia da Água, Dia da Árvore, Semana do Meio Ambiente etc.), Congressos, Encontros, Workshops, entre outros.

Qualquer estabelecimento comercial ou as próprias residências podem contribuir com este trabalho. Todas as pessoas podem juntar o óleo usado em garrafas PET e ligar para o Disque Óleo da “Casa da Mulher” que uma equipe do “Projeto Sabão Ecológico” irá fazer a coleta.

Você, empresário, dona de casa ou estudante, pode doar o seu óleo usado, contribuindo para a proteção da natureza e para a geração de renda em nosso município. Divulgue para seus familiares, seus amigos, colegas na Escola e para sua comunidade em geral, falando sempre sobre a importância da reciclagem. Junte-se a nós e contribua para o meio ambiente !!!


6. RECURSOS UTILIZADOS

Nesse tópico estão incluídos todos os recursos humanos, materiais e financeiros previstos para serem utilizados nas ações propostas. Destacamos que o quantitativo de tais recursos previstos pode sofrer pequenas variações ao longo da execução das ações, pois acreditamos que à medida que os resultados das primeiras ações forem chegando, conseguiremos o envolvimento de mais recursos humanos, o que, caso ocorra, certamente será favorável para a ampliação também dos recursos materiais e financeiros.

Informamos ainda que o item recursos humanos se refere apenas às pessoas que estarão executando as ações propostas que ocorrerão, principalmente, na “Casa da Mulher”, o que não inclui toda a parcela da comunidade que estará sendo atingida pelo presente Projeto.

Dessa forma, não há previsão para gastos adicionais com os recursos humanos (como por exemplo, com a contratação de prestadores de serviço), pois a maioria dos profissionais envolvidos é composta de servidores públicos da Prefeitura Municipal ou das entidades e órgãos parceiros. Assim, os gastos financeiros serão aplicados apenas na produção e aquisição de recursos materiais, que estão detalhadamente descritos a seguir.

6.1 RECURSOS HUMANOS

- Equipe de profissionais da Secretaria Municipal de Assistência Social;
- Coordenação de Supervisão Pedagógica da Secretaria Municipal de Educação;
- Profissionais da Secretaria Estadual de Educação e Cultura - SEDUC;
- Equipes pedagógicas das Escolas Municipais e Estaduais;
- Equipes administrativas das Escolas Municipais e Estaduais;
- Técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente;
- Jornalistas da Secretaria Municipal de Comunicação;
- Profissionais da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio;
- Servidores da Companhia Estadual de Saneamento - CES;
- Representantes das Associações de Moradores de Bairros;
- Representantes da Associação de Catadores de Latinhas e Papelão;
- Representantes da Associação Industrial e Comercial do Município;
- Representantes Rádios e Programas de Televisão Locais;
- Membros das ONG’s estabelecidas no município.

6.2 RECURSOS MATERIAIS

Nesse tópico apresentamos de forma detalhada os recursos materiais necessários para a estruturação da “Casa da Mulher”, onde se executará o “Projeto Sabão Ecológico”.

A – PREPARO DO SABÃO
- Óleo vegetal usado (Litros);
- Sebo (Kg);
- Álcool (Litros);
- Soda cáustica (Kg);
- Sabão em pó (Kg);
- Essência (Litros);
- Polvilho (Kg).

B - UTENSÍLIOS E EQUIPAMENTOS
- Balde de 20 litros;
- Avental de cozinha;
- Luva plástica;
- Colher de alumínio;
- Panela;
- Bacia plástica;
- Fogão industrial;
- Caixote de madeira;
- Mesa de madeira.

C - EMBALAGENS
- Maquina de embalar;
- Embalagem;
- Rótulos.


7. AVALIAÇÃO

A avaliação do “Projeto Sabão Ecológico” ocorrerá em todas as suas fases, desde seu início com os contatos e sensibilização dos parceiros, até a execução propriamente dita, que ocorrerá dentro das dependências da “Casa da Mulher”.

Na fase de implantação será verificada a aceitação do Projeto pelo público-alvo, gestores públicos, empresários, professores etc. Quanto às demais metas, serão observadas de forma contínua e após a execução, verificando-se assim o cumprimento dos objetivos propostos.

A coordenação do Projeto estará em sintonia constante com as Secretarias Municipais e Estaduais de Educação e com as respectivas Escolas públicas e privadas para apoiar a comunidade escolar no repasse e disseminação de informações. Durante as atividades de Educação Ambiental realizadas nas Unidades de Ensino será avaliados o quantitativo do público atingido e o envolvimento das Escolas no recolhimento e doação do óleo usado.

Ao final de cada ano, em dezembro, a equipe organizadora do “Projeto Sabão Ecológico”, composta, primordialmente, por funcionários da Secretaria Municipal de Assistência Social, fará a avaliação que será apresentada através de um “Relatório de Avaliação” contendo todos os dados quantitativos e qualitativos das ações e trabalhos desenvolvidos de janeiro a dezembro de cada ano.

Por fim, serão apresentados a toda a comunidade local os resultados alcançados através da publicação de um "Boletim Informativo", que ocorrerá sempre no final de cada ano.

A divulgação do “Informativo”, que ocorrerá a cada seis meses, e a publicação do “Relatório de Gestão” do Projeto, em dezembro, serão dois instrumentos importantes de avaliação de todas as atividades e parcerias desenvolvidas no decorrer de cada ano. Esses trabalhos servirão para sistematizar a organização das ações, permitindo uma análise acurada dos dados, bem como para criar uma melhor transparência na gestão do Projeto.

No que se refere a divulgação do Projeto serão quantificados ao final de cada semestre e ano o número de horas de propagandas nos programas de rádio e televisão locais. Além disso, o quantitativo de participações em programas de cunho educativo e matérias em jornais impressos e televisionados será um indicativo da divulgação dos trabalhos aqui propostos. Com isso, espera-se buscar de forma crescente o apoio da mídia local.


8. CRONOGRAMA

------------------ Cronograma do Projeto ---------------------------
Etapas ----------------- Meses -----------------------------------------
-----Jan--Fev--Mar--Abr--Mai--Jun--Jul--Ago--Set--Out--Nov—Dez --
1a -- X ---------------------------------------------------------------------
2a -- X -- X -- X -- X -- X -- X – X -- X -- X -- X -- X -- X ----
3a -------- X -- X -- X -- X -- X ---------- X -- X -- X -- X -- X ----
4a -------- X -- X -- X -- X -- X – X -- X -- X -- X -- X -- X ----
5a -------------------------------------------------------------- X ---
6a -------- X -- X -- X -- X -- X – X -- X -- X -- X -- X -- X ----

Descrição das etapas: 1ª – Elaboração do Projeto e preparativos iniciais; 2ª – Estabelecimento de parcerias; 3ª - Desenvolvimento das ações e atividades previstas no Projeto; 4ª - Divulgação dos resultados; 5ª – Publicação do Boletim Informativo e Relatório de Avaliação; e 6ª - Avaliação do Projeto.


9. ANEXOS

Logo a seguir apresentamos 03 (três) receitas para preparo de sabão utilizando óleo de fritura usado.

1) SABÃO A PARTIR DE ÓLEO DE FRITURA (SEM SEBO)

MATERIAL UTILIZADO:
- 4 litros de óleo comestível usado;
- 2 litros de água;
- 1/2 copo de sabão em pó;
- 1 Kg de soda cáustica (NaOH);
- 5 mL de óleo essencial.

MODO DE PREPARO:
- Dissolver o sabão em pó em 1/2 litro de água quente;
- Dissolver a soda cáustica em 1 e 1/2 litro de água quente;
- Adicionar lentamente as duas soluções ao óleo;
- Mexer por 20 minutos;
- Adicionar a essência;
- Despejar em formas;
- Desinformar no dia seguinte.

Atenção: alguns ingredientes são tóxicos ou combustíveis e não devem, em nenhuma hipótese, ser manuseados por crianças e pessoas despreparadas.


2) SABÃO A PARTIR DE ÓLEO DE FRITURA USADO (COM SEBO)

MATERIAL UTILIZADO:
- 4 litros de óleo de fritura usado (filtrado);
- 2 litros de sebo de vaca (consegue-se no açougue);
- 1 Kg de soda cáustica em escamas;
- 4 litros de álcool combustível; e
- 2 litros de água.

MODO DE PREPARO:
- Aquecer o sebo juntamente com o óleo até que o sebo derreta (não deixar muito quente); em uma bacia plástica grande, despejar a mistura óleo mais sebo e adicionar o álcool;
- Em um balde de plástico, colocar a água e despejar a soda e mexer com um pedaço de pau ou plástico até a total dissolução;
- Despejar a soda diluída na outra bacia aos poucos, mexendo sem parar até que se obtenha um ponto tipo geléia;
- Despejar em bacias plásticas retangulares e deixar esfriar;
- Quando estiver quase duro, cortar com uma faca e retirar os pedaços de sabão. Após, deixá-los em uma caixa de papelão revestida com saco plástico por 15 dias antes de utilizá-los.

Atenção: alguns ingredientes são tóxicos ou combustíveis e não devem, em nenhuma hipótese, ser manuseados por crianças e pessoas despreparadas.

3) SABÃO A PARTIR DE ÓLEO DE FRITURA USADO (COM BREU)

MATERIAL UTILIZADO:
- 5 a 7 litros de água;
- 4 litros de óleo de fritura usado;
- 1/2 Kg de soda;
- 1/2 Kg de breu.

MODO DE PREPARO:
- Leve ao fogo baixo uma lata com água, o óleo por + ou - 2 horas. Cuidado para não deixar a mistura transbordar;
- Estando grosso, dissolva a soda em 1 litro de água fria e jogue lentamente na lata misturando bem;
- Moer o breu com um martelo e jogar de uma vez só na mistura mexendo sempre;
- Deixar no fogo por + de 2 horas;
- Depois de pronto, forre uma caixa de papelão não muito grande, despeje o sabão e depois de frio, corte-o em barras.

Atenção: alguns ingredientes são tóxicos ou combustíveis e não devem, em nenhuma hipótese, ser manuseados por crianças e pessoas despreparadas.


10. BIBLIOGRAFIA

AGÊNCIA BRASIL. 2010. Reciclar óleo de cozinha pode contribuir para diminuir aquecimento global. Disponível em: http://www.agenciabrasil.gov.br/

AMBIENTE BRASIL. 2010. Programas e Projetos. Disponível em: http://www.ambientebrasil.com.br/composer.php3?base=residuos/index.php3&conteudo=/residuos/programas.html

AMBIENTE BRASIL. 2010. Reciclagem. Disponível em: http://www.ambientebrasil.com.br/composer.php3?base=residuos/index.php3&conteudo=./residuos/reciclar.html

BIODIESELBR. 2010. Reciclagem de óleo de cozinha. Disponível em: http://www.biodieselbr.com/noticias/biodiesel/reciclagem-oleo-cozinha-10-07-07.htm

DIAS, M.A.R.; SALERA JÚNIOR, Giovanni. 2008. Coleta Seletiva. Jornal Mesa de Bar News, Gurupi - Estado do Tocantins, v. 271, p. 04, 01 ago. 2008. Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/ensaios/1080888

FUNDAÇÃO AMI – Assistência Médica Internacional. 2010. Reciclagem de óleos alimentares usados. Disponível em: http://www.ami.org.pt/default.asp?id=p1p490p338

FUTURAMB. 2010. Sensibilização Ambiental. Disponível em: http://www.futuramb.com/sensibilizacao-ambiental/

HOWSTUFFWORKS? COMO TUDO FUNCIONA. 2010. Como funciona a reciclagem do óleo de cozinha. Disponível em: http://ambiente.hsw.uol.com.br/reciclagem-oleo-cozinha.htm

IDÉIAS AMBIENTAIS. 2010. Sensibilização Ambiental / Educação Ambiental. Disponível em: http://www.ideiasambientais.com.pt/index.php?pg=3

SALERA JÚNIOR, G. 2007. Educação Ambiental. Jornal Anoticia, Gurupi (TO), v. 214, p. 02, 01 nov. 2007. Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/ensaios/685801

SALERA JÚNIOR, Giovanni. 2008. Programa Municipal de Coleta Seletiva. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1218147

SALERA JÚNIOR, G. 2008. Projeto Cidadania e Solidariedade. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1148774

SALERA JUNIOR, G. 2008. Projeto de Educação Ambiental na Aldeia. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1226616

SALERA JUNIOR, G. 2008. Projeto de Educação Ambiental na Escola. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1112201

SALERA JUNIOR, G. 2010. O que fazer com o óleo de cozinha usado ??? Ilha de Marajó (PA). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/ensaios/2089654

SALERA JUNIOR, G. 2010. Reciclagem de óleo de cozinha. Ilha de Marajó (PA). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/ensaios/2089657

SETORRECICLAGEM. 2010. Categoria “Coleta Seletiva”. Disponível em: http://www.setorreciclagem.com.br/

WIKIPÉDIA – A Enciclopédia Livre. 2010. Coleta Seletiva. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Coleta_seletiva

WIKIPÉDIA – A Enciclopédia Livre. 2010. Reciclagem. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Reciclagem


11. AGRADECIMENTOS

Sou profundamente grato a todos os amigos e colegas que apoiaram a formatação desse “Projeto Sabão Ecológico”.

Informo que essa proposta se espelha em inúmeros bons exemplos de trabalhos sócio-educativos que existem em nosso país, como por exemplo: (1) Projeto Cata Óleo realizado em Ribeirão Preto (SP), através de parceria da USP e o Laboratório de Desenvolvimento de Tecnologias Limpas (LADETEL); (2) Programa de Reaproveitamento de Óleos Vegetais (PROVE), firmado entre a iniciativa privada, a Refinaria de Manguinhos e a Secretaria de Meio Ambiente do Rio de Janeiro; (3) Projeto de Reciclagem do Instituto Triângulo do ABC Paulista; e (4) Projeto da ONG Trevo e Sociedade dos Amigos e Moradores do Bairro de Cerqueira César (SAMORCC).

Aproveito esse momento para dedicar esse trabalho a algumas pessoas exemplares que muito me inspiraram, especialmente, à Vereadora Marta Barbosa, responsável pela Associação de Mulheres em Ação do Tocantins (AMAT), de Gurupi (TO); e ao Engenheiro Químico, Luciano Hocevar, responsável pela Reciclagem de Óleos Vegetais (RENOVE), de Salvador (BA).


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Ilha de Marajó – PA, Fevereiro de 2010.

Giovanni Salera Júnior é Mestre em Ciências do Ambiente e Especialista em Direito Ambiental.
E-mail: salerajunior@yahoo.com.br

Wilma Lúcia Neca e Silva é Normalista e Especialista em Direito Ambiental.
E-mail: wneca@hotmail.com
Giovanni Salera Júnior
Enviado por Giovanni Salera Júnior em 18/02/2010
Reeditado em 01/12/2011
Código do texto: T2094005
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Giovanni Salera Júnior
Brasília - Distrito Federal - Brasil
955 textos (1873423 leituras)
107 e-livros (23682 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/12/14 05:47)
Giovanni Salera Júnior



Rádio Poética